Olhar Direto

Segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Notícias / Política MT

Governo se ‘enrola’ em judicializações e mesmo com dinheiro garantido não finaliza obras da Copa

Da Redação - Wesley Santiago

02 Jun 2018 - 17:15

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Governo se ‘enrola’ em judicializações e mesmo com dinheiro garantido não finaliza obras da Copa
O governador Pedro Taques (PSDB), nestes três anos e meio à frente do Executivo, acabou se ‘enrolando’ com as diversas judicializações e, mesmo com o dinheiro garantido, não conseguiu finalizar muitas das obras da Copa do Mundo de 2014, deixadas incompletas pelo ex-governador Silval Barbosa. Entre os projetos que ficaram travados, estão: Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), Arena Pantanal e Trincheira Jurumirim.

Leia mais:
Esperada para abril, licitação do VLT segue empacada; modal era promessa de Taques

A situação do VLT é velha conhecida dos cuiabanos. Quando assumiu, Taques determinou uma auditoria minuciosa em todo o contrato. Depois, judicializou a questão, o que fez com que a sequência do projeto ficasse travada. Audiências de conciliações foram feitas e quando a luz no fim do túnel, neste caso dos trilhos, apareceu, uma operação da Polícia Federal (PF) – batizada de ‘Descarilho’ – cessou qualquer chance do modal ser finalizado ainda sob este mandato.


 
O que incomoda a população de Cuiabá e Várzea Grande, que convive com uma cicatriz exposta, é que o dinheiro para a sequência de tudo já estava garantido. O ex-secretário de Cidades (Secid), Wilson Santos (PSDB) e o próprio governador, diziam que dinheiro não seria problema para terminar o projeto. Além disto, a Caixa Econômica Federal (CEF) também havia sinalizado positivamente para liberação do montante necessário.
 
Judicialização virou quase a palavra chave da gestão de Pedro Taques na questão das obras da Copa do Mundo. Outro projeto que acabou travado na Justiça, por decisão do governador, é o da Arena Pantanal. O estádio, que recebeu quatro jogos do Mundial de 2014, tem diversos problemas e já perdeu, inclusive, a chance de receber uma partida das Eliminatórias da Copa de 2018, por conta da calamitosa situação.
 
A construtora Mendes Júnior é responsável pelas obras civis da Arena. Ao total ela já executou 98,4% dos trabalhos. Atualmente o contrato, estimado em R$ 453,2 milhões, encontra-se judicializado. Várias reuniões foram realizadas no segundo semestre do ano passado, com a contratada para conciliação com intuito de executar reserviços (constantementes apontados pela equipe técnica da Secid) e concluir da obra.



Para não deixar o espaço inutilizado, o governo decidiu fazer valer o nome multiuso da Arena Pantanal. O local é utilizado pela Secid, pois abriga duas adjuntas da pasta e é sede da Escola Governador José Fragelli, por meio do projeto ‘Arena da Educação’, que tem como principal objetivo a busca pela excelência acadêmica e formação integral do jovem estudante. Além disto, é palco de alguns jogos e eventos culturais.
 
A situação da trincheira Jurumirim também envolve a Justiça. Com 97,84% de obra executada e orçada em R$ 50,5 milhões, os trabalhos encontram-se paralisados. Atualmente a Secretaria trabalha em um levantamento técnico e ensaios de qualidade. Segundo o Executivo, o processo de retomada (negociação) para reserviços e conclusão da obra está em andamento com o Consórcio Sobeltar, responsável pela construção.
 
Em diversas entrevistas, Taques jogou a culpa para o ex-governador Silval Barbosa: “Enganaram o povo de Cuiabá e de Mato Grosso: fizeram a obra por cima. Por fora, bela viola, por dentro, pão bolorento, diz o ditado”, observou Taques, recorrendo ao velho ditado, ao argumentar que busca fazer cada obra de forma correta e pelo preço justo.
 
“Quando você pega algo mal feito desde o início, demora para reconstruir. A dona de casa sabe que o que começa mal feito é muito difícil de arrumar. Mas o cidadão pode ter certeza que o que está aqui vai se resolver”, projetou Taques, em outubro de 2017. Porém, o que se vê até agora, ainda parece longe de resolução.
 
Edital do VLT
 
Quem trabalha no edital de licitação do VLT é o engenheiro civil José Picolli Neto, que foi diretor da implantação do VLT no Rio de Janeiro, mais dois servidores da Secid, um procurador do Estado e um controlador do Estado. Os trâmites do novo edital para o VLT estavam parados devido à liminar concedida em janeiro pela desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), Helena Maria Bezerra Ramos, que suspendeu provisoriamente o rompimento contratual com o Consórcio VLT.
 
Porém, a situação foi resolvida quando o governador Pedro Taques (PSDB) manteve a rescisão de contrato e também a multa de R$ 147.761.727,71 que deve ser aplicada ao Consórcio VLT. Porém, o chefe do Executivo deu provimento parcial ao recurso administrativo em análise e afastou “a declaração de inidoneidade até ulterior deliberação”. O Consórcio ainda terá de devolver R$ 11.474.548,62 que teria sido “subtraído” dos cofres públicos.

10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Hector Vasconcellos.
    03 Jun 2018 às 10:43

    Por essas,e outras, que o Brasil, é país de terceiro mundo. Nada é levado a sério. Veja um exemplo,bem pequeno: Até hoje o estado não conseguiu construir a Sede própria da Empaer. O recurso para a obra,esta depositado até hoje na CEF. Esses recurso é de emenda federal, conseguido pelo já falecido Senador,Jonas Pinheiro.Ou seja, já tem mais de 10 anos.

  • Rocha
    03 Jun 2018 às 09:57

    Governo embananado e governador banana

  • Felipe
    03 Jun 2018 às 08:13

    Gostaria de saber onde vocês viram que existe dinheiro garantido para as obras da Jurumirim e arena Pantanal? VLT pode colocar na conta do MPF.

  • Mikao
    03 Jun 2018 às 06:08

    Já disse, esse taxis é o maior engodo e frustacao, em 4 anos só andou de banda igual a caranguejo, ridiculo....

  • Damião
    03 Jun 2018 às 03:19

    Pedro Taques, minhas família votaram em vc. Mais já está na hora de não ter mais reeleição no país, entrando outro administrador pode ter fruidez nos processos que não foram possíveis nesta administração, como acontece nas empresas privadas.

  • ex eleitor
    02 Jun 2018 às 22:01

    Governo de incompetentes!!! Fora TAQUES!!!

  • Paulo Cbá
    02 Jun 2018 às 21:45

    Esqueceram da Estrada do Moinho e sua ciclovia? 4 anos se passaram e a pista nova Tijucal - Centro continua esfarelando e afundando, com remendos de quinta categoria sendo feitos as vezes, além da ciclovia estar toda esburacada.

  • AGUINALDO BARBOSA
    02 Jun 2018 às 21:32

    Até quando o parar de votar em porcaria

  • Rodrigo Boa Ventura
    02 Jun 2018 às 19:55

    Ridiculo esse governo. Não fez absolutamente nada pra avançar pra terminar o VLT.

  • Dona Jacira
    02 Jun 2018 às 17:55

    foi um governo de atraso, muito parado pro meu gosto. Minha freguesa do estado que sempre pagavam em dia o meu Avon, hoje tudo atrasa por causa desse homem bem aí ó! Eu fico tao triste quanto minhas freguesa. Ainda bem que é só mais esse ano, dai ano que vem ja melhora quando vier o outro governador!

Sitevip Internet