Olhar Direto

Sábado, 18 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

​vai a federal

Ex-ministro de Dilma diz que possibilidade de ser vice de Taques é mera especulação

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Ex-ministro de Dilma diz que possibilidade de ser vice de Taques é mera especulação
O ex-deputado federal Neri Geller (PP) negou que haja, nesse momento, articulação para compor chapa de reeleição do governador Pedro Taques (PSDB) como vice. O ruralista, que exerceu o cargo de ministro da Agricultura na gestão Dilma Rousseff (PT) entre 2014 e 2015, revela que sua intenção é disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados.

Leia também:
Neri Geller vê momento propício para mudança no pacto federativo e planeja candidatura a federal
 
A possibilidade de ser vice de Taques foi ventilada recentemente na imprensa de Mato Grosso. Neri, por meio de nota encaminhada aos veículos de comunicação, afirma que seguirá o rumo definido pelo PP. “Qualquer projeto político que for construído com seu nome será decidido majoritariamente pelo seu partido”, diz o texto.
 
O Partido Progressista compôs chapa com Pedro Taques na coligação Coragem e Atitude Para Mudar, em 2014, indicando Carlos Fávaro ao posto de vice. Após a posse, Fávaro migrou para o PSD. O PP, presidido por Ezequiel Fonseca, se afastou de Taques nos últimos anos. O governador tenta uma reaproximação com a legenda, inclusive indicando o presidente municipal da agremiação, Demílson Nogueira, para o comando do Intermat recentemente. Eventual aliança Taques-Geller além de manter a aliança com o PP, reeditaria o conceito vitorioso em 2014, que tinha o atual governador com um vice representante do agronegócio.
 
“O ex-ministro destaca o bom relacionamento que possui com o governador Pedro Taques, mas ressalta que as afirmações ventiladas na imprensa não passam de especulações. Geller reforça que apoiará o candidato a governador respaldado pela convenção partidária e sua candidatura continua sendo a deputado federal”, completa.
 
Neri Geller foi ministro do governo Dilma entre o final do primeiro mandato e a posse do segundo, quando foi substituído por Kátia Abreu. Já Pedro Taques foi um dos primeiros governadores a defenderem publicamente o impeachment da petista. Após a troca de governo, Geller ainda assumiu o cargo de secretário de política agrícola do ministério.
 
Municipalista
 
Em dezembro passado, Geller concedeu entrevista ao Olhar Direto na qual relatou interesse em voltar à Câmara Federal para atuar na defesa dos municípios. Para ele,  é preciso mudar o formato de distribuição dos recursos públicos, que atualmente ficam em sua grande maioria concentrados na União e a menor parte nos municípios.
 
“O presidente Michel Temer tem feito um grande trabalho nesse sentido e conscientizando inclusive o governo federal. Muitas reformas estão acontecendo e esse é o momento, a sociedade está exigindo mudança e nós que estamos entrando na política agora precisamos efetivamente estar sintonizados e uma das questões é o recurso ter que ficar mais lá na ponta”, afirmou na ocasião.
 
Confira abaixo a íntegra da nota de Neri Geller:
 
NOTA À IMPRENSA
 
Sobre as especulações acerca de uma possível composição do ex-ministro Neri Geller ao cargo de vice na reeleição de Pedro Taques ao Governo, ele vem a público esclarecer que:
1.            Qualquer projeto político que for construído com seu nome, será decidido, majoritariamente pelo seu partido, o Partido Progressista;
2.            Até que as coligações sejam feitas e o Partido defina, no coletivo, em qual palanque irá subir nas próximas eleições, Neri Geller seguirá as orientações da sigla;
3.            Conforme deliberações internas do Partido Progressista, inclusive, junto ao seu presidente, Ezequiel Fonseca, Neri Geller está à disposição do PP para construir uma candidatura a deputado federal;
4.            Por fim, o ex-ministro destaca o bom relacionamento que possui com o governador Pedro Taques, mas, ressalta que as afirmações ventiladas na imprensa não passam de especulações. Geller reforça que apoiará o candidato a governador respaldado pela convenção partidária, e sua candidatura, continua sendo a deputado federal.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet