Olhar Direto

Sábado, 18 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

quebra-cabeça

Com três pré-candidatos ao Senado e duas vagas, Fagundes tenta atrair José Medeiros

Foto: Reprodução

Com três pré-candidatos ao Senado e duas vagas, Fagundes tenta atrair José Medeiros
O senador Wellington Fagundes (PR), pré-candidato ao Governo de Mato Grosso, reuniu-se na manhã desta segunda-feira (21) com representantes do Podemos, PMN, PROS, Avante e Democracia Cristã, partidos que compõem a Frentinha, para tentar atraí-los para a aliança que sustenta seu projeto eleitoral.  Mesmo com três pré-candidatos ao Senado na coligação, Fagundes tenta atrair José Medeiros (PODE), que busca a reeleição.

Leia também:
Ezequiel acusa Taques de tentar rachar Progressistas e diz que oposição é irreversível
 
Fagundes defende que com diálogo, internamente, é possível compor uma chapa que forte que agrade a todos. “Na nossa aliança já temos alguns pré-candidatos, que é o nome do PP da Margareth Buzetti, o nome do PSD do companheiro Carlos Fávaro e também no nome da Maria Lucia Cavalli, que é do PC do B. Esse próprio grupo aqui tem alguns nomes e o senador Medeiros poderá colocar [o seu], claro que isso vai afunilar, um candidato a senador, um vice, dois senadores e mais quatro suplentes, então é possível dentro de um entendimento, claro, essas candidaturas serem acomodadas. Claro, ainda tem a chapa de federal e estadual também”, argumentou.
 
José Medeiros reforça sua intenção em disputar a reeleição, mas garante que não irá impor nada ao partido e que se seu projeto for vencido na discussão internamente, irá focar nas candidaturas proporcionais. “Quando você fala em imposição na política é porque está errado. Mas temos um projeto de pré-candidatura. Se conseguirmos emplacar, vamos colocar a candidatura. Se não deu, paciência, ai vou para casa e tudo bem. Mas para outra candidaturas, nós não vamos recuar”.
 
Fagundes defende que os grupos caminhem juntos, mas que caso isso não seja possível, que componham futuramente em uma eventual eleição do republicano, em nome da governabilidade. “Política é a arte de dialogar para buscar tanto agora na campanha uma boa convivência, inclusive com a possibilidade de estarmos juntos numa mesma coligação, mesmo disputando, a gente tenha uma boa relação pensando no governo, na governabilidade”.
 
Se conseguir atrair a Frentinha, Fagundes totalizará 11 partidos o apoiando. Atualmente, sua aliança é composta por PR, MDB, PP, PTB, PSD e PC do B. Uma das alternativas ventiladas até o momento para fechar o quebra-cabeça da chapa de Fagundes seria deslocar a empresária Margareth Buzetti da condição de pré-candidata ao senado para ser vice do republicano. O senador, no entanto, afirma que não há nenhuma sinalização nesse sentido.
 
“Até agora o PP apresentou o nome dela como pré-candidata a senadora . A questão da vice não foi discutida até este momento, vamos criar critérios dentro do grupo mas acredito que esta questão será mais a frente, porque nós temos que primeiro definir uma chapa, principalmente definir as vagas de senador, de suplente isso será mais à frente”. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet