Olhar Direto

Domingo, 14 de agosto de 2022

Notícias | Política MT

PAZ E AMOR

Wellington Fagundes diz que Taques vai perder no 2º turno e já está desesperado

19 Jun 2018 - 16:12

Da Redação - Ronaldo Pacheco / Da Reportagem - Érika Oliveira

Wellington Fagundes diz que Taques vai perder no 2º turno e já está desesperado
Contrariando a expectativa geral, o senador Wellington Fagundes (PR), pré-candadito ao governo de Mato Grosso, decidiu tratar com ironia e não partir para o confronto em campo aberto contra o governador José Pedro Taques (PSDB). Ele adotou o estilo “paz e amor”, sob o argumento de que sempre foi bom de luta, porém nunca foi de briga.
 
As pesquisas de opinião pública sobre tendência do eleitorado teriam provado a reação de ataque do atual chefe do Poder Executivo de Mato Grosso. “Recebo os ataques [do governador Pedro Taques] com entusiasmo. Porque ele já viu as pesquisas. E as pesquisas mostram que Wellington ganha no segundo turno de Pedro Taques, de Mauro Mendes ou do Procurador Mauro. Então está tendo um reconhecimento de que nós provavelmente venceremos as eleições”, observou ele.
 
Leia mais:
- Taques diz que Mauro Mendes “quebrou”, não pagou funcionários e continua milionário

- Pedro Taques afirma que edital do VLT será lançado ainda este semestre e critica burocracia em obras

Em entrevista a uma emissora de rádio,  nesta terça-feria (18), o governador Pedro Taques insinuou que o Wellington, se eleito, vai nomear José Riva como secretário de Fazenda e o ex-secretário Cinésio de Oliveira, para dirigir a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra).
 
O pré-candidato do PR está disposto a sofrer o açoite sem reagir. “Não vou bater. Eu quero levar! Não quero bater! Eu sou um homem de luta. Não sou um homem de briga. E é no embate com novas idéias, pensando no coletivo é que será a marca da nossa campanha”, disparou Wellington.
 
Complementando a resposta a Taques, sobre receber ou não apoio do ex-deputado José Geraldo Riva ou do ex-secretário Cinésio de Oliveira, ele avisou que perdoa e aceita o apoio de qualquer um que deseja ajudar Mato Grosso. “Desejo deixar bem claro: eu não sou sectário! Não tenho veto a ninguém! Qualquer pessoa que tiver experiência, nós vamos buscar para nos ajudar”, observou ele, para a reportagem do Olhar Direto.
 
Fagundes observou que, se eleito, vai perdoar os vencidos e acolhê-los, no governo. “Eu sempre tenho dito que governar, além de ser a arte de saber perdoar; é aquele que ganha quem deve  ter humildade. Muito mais do que quem perde. E eu terei humildade suficiente para convidar a todos”, afirmou o senador do PR.
 
Caso seja eleito, Fagundes deseja abrir diálogo com os diferentes segmentos da sociedade e com os vencidos. “Mas eu penso isso não é de hoje! sempre fui um homem do diálogo. Terminadas as eleições, nós vamos trabalhar com todos”, prometeu Fagundes, após participar de evento sobre concessão de aeroportos de Mato Grosso, no auditório do Hits Hotel, em Várzea Grande.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet
x