Olhar Direto

Quarta-feira, 19 de junho de 2019

Notícias / Política MT

Gestão prioriza equilíbrio fiscal e folha de pagamento consome R$ 64 milhões em Cuiabá, diz secretário de Fazenda

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

05 Jul 2018 - 09:04

Foto: Luiz Antônio Alves / Secom Cuiabá

Roberto Possas de Carvalho diz que controla despesas com pessoal e custeio

Roberto Possas de Carvalho diz que controla despesas com pessoal e custeio

Num momento em que pulso firme e a criatividade andam lado a lado para evitar perda de freio administrativo, a gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), de Cuiabá, consegue manter a casa em ordem por causa do equilíbrio fiscal. O secretário municipal de Fazenda, Antônio Roberto Possas de Carvalho, tem uma explicação que qualquer dona de casa conhece: é proibido gastar mais do que arrecada, mantendo a folha de pagamento abaixo dos R$ 64 milhões – ou menos de 47% das receitas correntes líquidas.
  
O secretário de Fazenda de Cuiabá afiançou que o mérito maior é de Emanuel Pinheiro. “Para manter o equilíbrio fiscal, o prefeito deve ter pulso firme, para não permitir que as despesas com pessoal possam extrapolar nem os gastos com custeio e investimentos. E, também, é essencial investir no incremento da arrecadação própria, sem penalizar o contribuinte que já paga”, ponderou ele.
 
Leia Mais:
– Emanuel Pinheiro foca na Saúde após Cuiabá ser eleita 5ª cidade mais desenvolvida do país
 
– Emanuel Pinheiro muda secretários de Saúde e Comunicação; aliados são contemplados
 
Possas de Carvalho lembrou que a atual gestão conseguiu ampliar a receita própria cobrando daqueles que eram inadimplentes. “A filosofia nossa é de maneira justa procurar cobrar daqueles que não pagam tributos. Daqueles que estão fora da fase arrecadadora. Com isso conseguimos aumentar a receita própria consideravelmente de janeiro de 2017 até os dias de hoje”, ponderou o titular da Fazenda Municipal, para a reportagem do Olhar Direto.
 
Outra proecupação da municipalidade é a folha de pagamento de pessoal. A gestão Emanuel Pinheiro honra pagamento salarial no último dia do mês trabalhando, injetando R$ 64 milhões na economia municipal, o que corresponde a 47% da receitas correntes líquidas da municipalidade.
  
“Não é fácil. Hoje a folha de pagamento do funcionalismo consome 47% das receitas correntes líguidas, girando em torno de 64 milhões por mês. E a Câmara de Cuiabá R$ 50 milhões por ano, sendo que o repasse é executado entre o dia 18 e o dia 20 de cada mês”, sitnetizou Possas de Carvalho, em entrevista para o Olhar Direto.
 
Por determinação constitucional, o duodécimo da Câmara de Vereadores deve ser repassado até quinto dia útil do mês subseqüente. A Prefeitura de Cuiabá repassa no dia 20 do mês de competência, ou seja, com mais de 15 dias de antecedência.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Imposto pago retorno zero
    05 Jul 2018 às 10:44

    é muita gente uma escorando na outras, para cada um da iniciativa privada existem 3 nos órgãos públicos , isso mostra que no órgão púbico não há supervisão.

Sitevip Internet