Olhar Direto

Sábado, 18 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

Sem entendimento

Pivetta retira veto a Fávaro, mas transfere responsabilidade a Zeca Viana

Foto: Rogerio Florentino/Olhar Direto

Pivetta retira veto a Fávaro, mas transfere responsabilidade a Zeca Viana
Cotado para ocupar a vice-governadoria na chapa de Mauro Mendes (DEM), o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), garantiu que não possui vetos quanto à aliança do grupo com o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD). Em março deste ano, Pivetta foi taxativo ao dizer que o social democrata não era bem vindo no bloco. Agora, chegado o período decisivo de formação de chapa, o ex-prefeito deixou nas mãos de Zeca Viana (PDT) a missão de decidir sobre a questão.

Leia mais:
Mauro sinaliza possível chapa com Fávaro ao Senado; Pivetta e Sachetti resistem
- Mirando Senado, Fávaro busca diálogo com Pivetta para tentar superar "veto"

A possibilidade de Fávaro coligar com o grupo tem provocado opiniões divergentes. De um lado, alguns aliados defendem que o deputado federal Adilton Sachetti (PRB) seja escolhido para ocupar a segunda vaga ao Senado pela coligação. A primeira é de Jayme Campos (DEM). De outro, Mauro Mendes admite que as conversas já estão avançadas para que a aliança seja firmada com o PSD.

“Não tem veto”, limitou-se a responder Pivetta, para a reportagem do Olhar Direto, ao ser questionado sobre o antigo conflito. O ex-prefeito fez questão de destacar, ainda, que as conversas seguem sem que haja pressão para que os nomes de Fávaro ou Sachetti sejam logo definidos.

A tendência é de que Pivetta seja candidato a vice-governador, repetindo a chapa de 2010, quando Mauro disputou o Governo de Mato Grosso. Conforme o próprio político, quem está conduzindo tais negociações é o presidente de seu partido, o deputado estadual Zeca Viana (PDT).

Zeca, por sua vez, não poupou palavras para defender que Sachetti venha para o grupo, ao invés de Fávaro. Zeca chegou a sugerir que a aproximação do ex-vice-governador com o bloco teria cunho exclusivamente eleitoreiro e garantiu que não iria permitir tal aliança.

“Até ontem eu estava quieto, mas quando falei hoje de manhã com o Adilton e vi ele muito chateado, fiquei revoltado. Não vou carregar esse povo, são oportunistas, ficaram no Governo até abril. Os deputados são governistas até agora”, criticou.

O imbróglio

Em março, logo após Carlos Fávaro romper com Pedro Taques e anunciar candidatura ao Senado, Pivetta afirmou publicamente que não participaria de um grupo em que o ex-vice-governador estivesse.

“No nosso time não tem lugar para o Carlos Fávaro, nós nem consideramos essa hipótese”, afirmou Pivetta, que em 2016 saiu derrotado de sua campanha à reeleição em Lucas do Rio Verde. O pleito foi acirrado e acabou vencido por Luiz Binotti (PSD), candidato apoiado pelo vice-governador.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet