Olhar Direto

Sábado, 18 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

Coligação ampla

Fagundes crê em permanência de MDB e tenta conquistar Sachetti

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Fagundes crê em permanência de MDB e tenta conquistar Sachetti
Com o desejo de construir um arco de aliança com o maior número de partidos possível, o senador Wellington Fagundes (PR) acredita na permanência do MDB em sua coligação e está trabalhando para trazer mais nomes, como o do deputado federal Adilton Sachetti (PRB) ao seu projeto de coligação.

Leia também
Vereadores de Cuiabá cassados por fraude pedem retorno e aguardam decisão do TRE


De acordo com o senador, que esteve na noite de ontem no evento de oficialização da pré-candidatura da ex-reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Maria Lucia Cavalli Neder (PCdoB), o projeto de composição, que já conta com partidos de esquerda, direita e de centro, tem como objetivo unir todos os seguimentos políticos eleitorais e ideológicos, para construir um estado que atenda todas as necessidades.

“A nossa matriz ideológica é o trabalho, o desenvolvimento, é a justiça social. É buscar exatamente um governo que pode fazer o melhor para todos. Você não consegue fazer isso só com uma visão, com apenas um seguimento político eleitoral ou ideológico. Principalmente no caso do Brasil em que vivemos um pluripartidarismo. São mais de 30 partidos. Então não dá para pensar em vetar ninguém, quem exclui não está buscando o bem comum. Estamos trabalhando para fazer uma coligação mais ampla possível”, disse o parlamentar.

Com este pensamento, o senador que já tem conversas avançadas com partidos como o PP, PTB, PCdoB, e MDB, afirmou estar conversando com o presidente estadual do PRB, deputado federal e pré-candidato ao Senado Adilton Sachetti, ainda com rumo indefinido, para incluí-lo em seu arco de aliança.

“Tudo é possível, como sempre digo, nós não temos vetos a nenhum segmento político-social do estado. Nesta eleição as indefinições ainda são muito grandes, inclusive no plano nacional. O Adilton é meu amigo pessoal, meu filho foi vice do Adilton. Eu entreguei o meu filho nas mãos dele, você quer mais confiança do que isso? Eu terei o maio prazer, satisfação de poder conviver em uma campanha eleitoral com ele. Estamos conversando”, declarou.

O senador ainda disse que acredita na coerência do deputado federal Carlos Bezerra, presidente regional do MDB, e que seu partido permanecerá em sua chapa, mesmo após ele ter aberto diálogo com líderes do Democratas, do pré-candidato ao governo, Mauro Mendes, na semana passada.

“Eu acredito que sim, sou um homem que tem fé. Acredito nas pessoas. O MDB foi o partido que gestou a nossa candidatura. O Bezerra é um professor na política e o MDB é um partido forte no Brasil todo principalmente graças a esta persistência do Bezerra. É um político que qualquer um pode criticar, mas ele tem coerência partidária’, finalizou.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet