Olhar Direto

Sábado, 23 de outubro de 2021

Notícias | Política MT

Aproximação com o PSL

'Qualquer cidadão que for candidato gostaria de ter pessoas de bem, como a Selma', elogia Taques

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

'Qualquer cidadão que for candidato gostaria de ter pessoas de bem, como a Selma', elogia Taques
O governador Pedro Taques (PSDB) elogiou novamente a juíza aposentada Selma Arruda e defendeu que ela fique na política, mesmo garantindo não ter firmado compromisso nenhum com seu partido, o PSL. Nas últimas semanas, o tucano e a pré-candidata ao Senado se aproximaram e têm conversado bastante.

Leia também
Pedro Taques diz não ter "preconceito" com Bolsonaro em eventual aliança com PSL


“Eu converso muito com a Selma, ela é uma pessoa que precisa estar na política. É uma pessoa que tem muito o que contribuir, mas não existe nenhum compromisso [entre PSL e PSDB]. Qualquer cidadão que for candidato gostaria de ter pessoas de bem, como a Selma do lado”, disse o chefe do Executivo, ao ser questionado sobre uma possível composição de chapa com a magistrada aposentada.

O deputado federal Victório Galli, líder do PSL no estado, não esconde o desejo de coligar com o PSDB e colocar Selma Arruda na disputa ao senado em chapa encabeçada por Pedro Taques, tendo Nilson Leitão também para o Senado.

A princípio, o parlamentar havia indicado que iria entrar na composição com o grupo que está lançando o senador Wellington Fagundes (PR) ao governo, porém, para atender algumas exigências da juíza aposentada, de não subir no palanque com políticos investigados por corrupção e com partidos de esquerda, o caminho deve ser se aliar a Taques. O tucano, inclusive, já declarou na semana passada que não tem preconceito em ter o apoio do polêmico deputado federal Jair Bolsonaro (PSL).

O Diretório Nacional do PSL recentemente proibiu os representantes da legenda nos estados de de coligarem com vários partidos, dentre eles o PSDB. Quanto a isso, Victório Galli afirmou que entregará à direção nacional um relatório com tudo o que foi debatido até o momento da conveção para que a Presidência do PSL decida qual caminho o diretório de MT deve seguir.  

Sachetti

Ainda sem rumo definido, o deputado federal Adilton Sachetti (PRB) também é uma alternativa para o grupo de Taques na segunda vaga para o Senado. Nesta semana, o presidente nacional do PSDB e pré-candidato a presidência da República, Geraldo Alckmin, se aproximou do PRB, após a desistência do empresário Flávio Rocha de disputar as eleições presidenciais.

Para Pedro Taques, uma coligação nacional pode refletir em Mato Grosso, porém, o assunto precisa ser discutido com os membros do PSDB local. “A maioria dos partidos que estão do lado de lá, como o DEM, estará com o PSDB. O PSD já fechou com o PSDB, o PTB já fechou com o PSDB. Eu entendo que a candidatura nacional pode repercutir aqui sim, mas eu ainda não tenho esta decisão correta”.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet