Olhar Direto

Domingo, 26 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

tudo (quase) certo

Fracasso em negociação nacional entre PR e PSL fortalece possível aliança de Selma e Taques

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Fracasso em negociação nacional entre PR e PSL fortalece possível aliança de Selma e Taques
O Diretório Estadual do PSL, comandado pelo deputado federal Victório Galli, deve seguir o mesmo caminho da Executiva Nacional e não entrar no arco de aliança que está sendo construído PR, que em Mato Grosso tem como pré-candidato ao Governo do Estado o senador Wellington Fagundes. A composição nacional deve colaborar para aproximar a pré-candidata ao Senado Selma Arruda (PSL) ao governador Pedro Taques (PSDB).

Leia mais
Galli afirma que Selma está sendo rifada e faz exigências em troca de coligação


O pré-candidato à presidência da República pelo PSL, deputado federal Jair Bolsonaro, desde o início do ano articula para ter o senador Magno Malta (PR-ES) como vice, porém os partidos não chegaram a um acordo e dificilmente vão estar no mesmo palanque na eleição de outubro, conforme o presidente Gustavo Bebiano disse em entrevista à edição eletrônica do jornal carioca O Globo.

Em Mato Grosso, os dois partidos conversaram muito desde o início do ano, mas travaram as negociações nas exigências da juíza aposentada Selma Arruda, pré-candidata ao Senado, que desde sua filiação segue com o discurso de não coligar com partidos como o MDB e subir em palanque com políticos investigados por corrupção.

O MDB, que estava com Fagundes desde o início de suas articulações já migrou para o grupo do ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (DEM), porém, existe uma orientação da nacional do PSL proibindo que a sigla coligue com partidos de esquerda como o PCdoB, o que acaba sendo outro empecilho para uma aliança.

Em entrevista à imprensa, o deputado federal Victório Galli já havia manifestado que Wellington Fagundes teria que decidir entre o PSL e o PCdoB, partido que o PR já conta com o apoio e também tem a ex-reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Maria Lúcia Cavalli Neder como pré-candidata ao Senado.

Desta forma, o único caminho para Galli encaixar Selma Arruda em uma chapa forte e ter um palanque com musculatura para sua própria reeleição na Câmara Federal seria com o governador Pedro Taques (PSD), com quem já está com negociação de aliança adiantada e que deve ser oficializada nas próximas horas.

O PSDB ainda trabalha para contar com o apoio do deputado federal e pré-candidato ao Senado Adilton Sachetti, do PRB, e estuda encaixá-lo no projeto como vice-governador do Estado, fechando a chapa majoritária com a candidatura de Nilson Leitão como candidato a senador.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet