Olhar Direto

Sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

​dupla revanche

Adoraria enfrentar Pedro Taques e Mauro Mendes juntos, declara Lúdio Cabral

28 Jul 2018 - 15:37

Da Reportagem Local - Carlos Gustavo Dorileo e Lucas Bólico

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Lúdio e Taques foram adversários em 2014

Lúdio e Taques foram adversários em 2014

Dois mandatos consecutivos como vereador por Cuiabá garantiram a Lúdio Cabral (PT) a estatura política para disputar a Prefeitura da Capital e o Governo do Estado, respectivamente em 2012 e 2014. Nas duas ocasiões, acabou derrotado pelo mesmo grupo político. Mauro levou a melhor em 2012, em uma campanha levada ao segundo turno, e Taques se sagrou governador dois anos depois, ainda em primeiro turno. Com seus antigos adversários agora em campos opostos, Lúdio teria a oportunidade para uma dupla revanche, mas garantiu que irá tentar uma cadeira na Assembleia Legislativa nas eleições deste ano.

Leia também:
Pré-candidato a deputado estadual, Lúdio recusa convite para ser vice de Fagundes
 
“Eu adoraria fazer uma disputa contra o Taques e o Mauro juntos. Seria uma revanche dupla, numa mesma eleição, mas não vai ser dessa vez ainda”, lamentou Lúdio Cabral. Ele afirma que amadureceu bastante sua decisão e inclusive já comunicou ao PT que não há qualquer possibilidade de sair para uma majoritária. Lúdio descarta inclusive qualquer chance de ser vice ou brigar pelo Senado, o que frustra planos de Welligton Fagundes (PR), que ofereceu espaço ao ex-vereador na tentativa de atrair o Partido dos Trabalhadores.
 
Mas o posicionamento de Lúdio não fecha portas para uma possível aliança com o PR. O PT se reúne neste sábado para definir a estratégia eleitoral deste ano. Cabral se posiciona a favor de uma candidatura própria da agremiação ao Governo do Estado, encabeçada pela professora Edna Sampaio. Outra ala petista defende uma composição com Wellington Fagundes sob o pretexto de que a aliança com PR garanta palanque forte para Lula em Mato Grosso.
 
“PT é um partido democrático, os delegados é que vão decidir o nosso destino”, garante Lúdio. O motivo para a recusa com veemência à possibilidade de disputar uma vaga majoritária se dá, segundo o pré-candidato, ao afastamento da estrutura partidária adotado nos últimos anos.

Lúdio e Mauro: adversários em 2012. (Foto: arquivo Olhar Direto)
 
“Depois de 2014 eu voltei para minha rotina como médico, pela saúde pública, e trabalhando 60 horas por semana. Me afastei do cotidiano da luta partidária e em uma candidatura majoritária você tem que construir ela com o tempo. Você tem que mobilizar a militância com muito mais tempo e eu não tive nem tempo e fiz uma leitura com o meu coletivo no PT de qual seria a melhor contribuição para dar para o partido neste momento e avaliamos que seria essa”.
 
O projeto de Lúdio é repetir na Assembleia Legislativa o modelo de mandato que adotou quando vereador por Cuiabá. “Se eu tivesse que disputar uma eleição majoritária, eu me apresentaria para disputar o governo porque seria maravilhoso enfrentar Taques e Mauro Mendes juntos”.
 
 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet