Olhar Direto

Quinta-feira, 13 de maio de 2021

Notícias | Política MT

repasses

“MT está patrocinando o desenvolvimento de outros estados”, afirma Carlos Fávaro

Foto: Reprodução

“MT está patrocinando o desenvolvimento de outros estados”, afirma Carlos Fávaro
Durante reunião realizada na noite desta terça-feira (28), com lideranças políticas em Cuiabá, o candidato ao Senado Federal Carlos Fávaro (PSD) afirmou que Mato Grosso está sustentando a economia de outros estados brasileiros. Ele explica que o estado repassa, por meio de impostos, R$ 19 bilhões por ano ao Governo Federal, entretanto, o retorno é de apenas R$ 7,5 bilhões.

Leia mais:
Lucimar Campos apoia reeleição de Gilmar Fabris

“Estamos patrocinando o desenvolvimento de outros estados. Precisamos de tantos investimentos na infraestrutura logística, na saúde, na educação, no acesso à internet, e constatamos que somos a mola propulsora da economia brasileira, mas não temos a mesma força e representatividade política. Por isso quero trabalhar no Senado para trazer as nossas riquezas de volta e gerar oportunidades para todos os mato-grossenses”, enfatizou.

Segundo ele, Mato Grosso depende de investimentos federais em áreas fundamentais. “Nosso estado foi um dos que mais cresceu nos últimos anos, mas essa riqueza não chega na maioria das cidades mato-grossenses e isso porque a força política não corresponde à força econômica. Não posso me conformar quando vejo que as oportunidades não chegam para todos. Vou me dedicar e trabalhar muito para mudar essa realidade”.

Durante a reunião que foi liderada pelo candidato a deputado estadual, Ondonir Bortolini “Nininho” (PSD), o prefeito de Marcelândia, Arnóbio Vieira de Andrade (PSD), ressaltou que o estado depende de políticos empenhados e comprometidos como Carlos Fávaro. “Precisamos fazer com que esse estado se desenvolva mais, somos os operários dessa reconstrução. Dia 7 de outubro iremos julgar o que é melhor para Mato Grosso e temos que ser sábios e responsáveis com o nosso voto”.

Fávaro também pontuou sua trajetória política, que teve início no associativismo. “Sou novo na política e não é fácil se apresentar como candidato em um momento em que a população está tão indignada com o cenário, com muitos casos de corrupção. Mas as pessoas de bem precisam participar desse processo porque somente assim conseguiremos resolver os problemas sociais. É importante que a população critique e cobre dos políticos, precisamos dessa participação popular”, afirmou.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet