Olhar Direto

Segunda-feira, 19 de abril de 2021

Notícias / Política MT

POLÊMICA

Taques afirma que tentou mediar situação entre Selma e Leitão antes de rompimento

Da Redação - Vinicius Mendes

03 Set 2018 - 09:40

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Taques afirma que tentou mediar situação entre Selma e Leitão antes de rompimento
O governador Pedro Taques (PSDB), que disputa a reeleição ao Governo do Estado este ano, disse que tentou mediar a crise entre a candidata ao Senado Selma Arruda (PSL) e o também candidato a senador Nilson Leitão (PSDB), na questão da divisão do tempo de TV, na propaganda eleitoral obrigatória. Taques disse que a decisão de Selma em fazer a campanha sozinha faz parte da democracia e cabe a ele apenas respeitar.
 
Leia mais:
Selma cita delação contra Taques, “rasteira” de Leitão e rompe com PSDB
 
O governador foi o entrevistado desta segunda-feira (3) na rádio Capital FM, em Cuiabá. Ele foi questionado sobre a decisão de Selma em seguir sua campanha sozinha e sobre o fato da candidata ter citado as delações contra Pedro Taques como uma das justificativas para o rompimento.

Taques não tocou no assunto das delações, mas disse que tentou resolver a situação entre Selma e Leitão. Em entrevista coletiva concedida na semana passada, Selma Arruda acusou Leirão de atuar nos bastidores para prejudicá-la, tentando lhe dar “rasteiras”.

“Tentei mediar a situação entre a doutora Selma e o Nilson Leitão, no tocante ao tempo de TV, não consegui isso, mas ela entendeu por bem buscar um novo caminho e isto faz parte da democracia, cabe a mim apenas respeitar”, disse o governador.

No último dia 31 de agosto, em uma entrevista coletiva, a juíza Selma Arruda anunciou o seu rompimento com o PSDB e disse que irá tocar sua campanha longe do governador Pedro Taques e do deputado federal Nilson Leitão, dando apoio apenas à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à presidência.
 
Delações
 
As delações que Selma faz referência são as de Alan Malouf e Permínio Pinto. Os dois foram presos pela magistrada no passado, no âmbito da operação Rêmora. Questionada sobre o porquê só se afastou de Taques agora, sendo que já tinha conhecimento do esquema, ela alegou que até então só tinha declaração de réus, mas que agora pesam contra Taques delações homologadas no Supremo Tribunal Federal.
 
“Rasteira”
 
No texto em que leu, Selma acusou Leitão de atuar nos bastidores para prejudicá-la. “Bastou oficializarmos a coligação com o PSDB para a realidade mostrar que não há reciprocidade ética”, criticou. Ela se disse vítima de “todo tipo de boicote e rasteira”. “Esse senhor [Nilson Leitão] incentivou uma candidatura ao Senado com o perfil parecido ao meu para reduzir minhas chances”, acusou. A gira d’água, de acordo com ela, foi a divisão do tempo de televisão.
 
Bolsonaro como prioridade
 
Selma ainda declarou que desde que entrou na política, tomou como prioridade de atuação ajudar na eleição de Jair Bolsonaro e que com a divisão de tempo prejudica sua estratégia. “O PSDB me deu migalhas do tempo sob alegação esdrúxula de que não admitia espaço a Bolsonaro”, criticou.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet