Olhar Direto

Quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Notícias / Política MT

Assessoria jurídica de Taques "monitora" pronunciamentos de Selma Arruda no Facebook

Da Redação - Érika Oliveira

04 Set 2018 - 11:21

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Assessoria jurídica de Taques
Agora oficialmente sem tempo para fazer propaganda na TV e no rádio, a juíza aposentada Selma Arruda (PSL) já avisou que vai investir cada vez mais nas chamadas “lives” através das redes sociais. A ferramenta já vem sendo utilizada pela candidata ao Senado desde quando estava aliada a Pedro Taques e Nilson Leitão, ambos do PSDB, e foram justamente esses vídeos que deram início a crise dentro da coligação, que resultou na saída de Selma. Com declarações cada vez mais polêmicas que incluem chamar seus ex-aliados de “corruptos”, Selma passou de “trunfo” da chapa a alvo da assessoria jurídica dos tucanos.

Leia mais:
Advogado de Taques afirma que coligação não tem obrigação de dar tempo de TV a Selma

O governador Pedro Taques declarou que não assistiu aos vídeos mais recentes de Selma, e sustentou que isso é assunto para seus advogados. “A bíblia diz que existem dois caminhos: um caminho mais largo e um caminho mais estreito. Eu estou percorrendo o caminho mais estreito, que é mais difícil. Mas eu tenho certeza que chegaremos a bom termo lá na frente. (...) Eu não vi o vídeo, não posso comentar de ouvir dizer. A minha assessoria jurídica vai ouvir e vai decidir”, declarou o governador Pedro Taques, ao ser questionado sobre as declarações de Selma Arruda.

Na noite da última segunda-feira (03), a candidata fez mais uma live em seu Facebook explicando aos seus eleitores porque saiu da coligação ‘Segue em Frente Mato Grosso’, encabeçada por Pedro Taques e que tem como candidatos ao Senado além dela o deputado federal Nilson Leitão.

Na semana passada, em coletiva de imprensa que também foi transmitida em suas redes sociais, Selma afirmou que além das questões envolvendo a distribuição de tempo de TV entre ela e Leitão, estaria declarando “independência” dos tucanos em razão das delações de Alan Malouf e Permínio Pinto, homologadas pelo Supremo Tribunal Federal.

Na último vídeo que gravou, a juíza aposentada pesou ainda mais o tom. “Eu vou mostrar aqui só uma pontinha do que eu descobri, que para mim são indícios muito fortes do envolvimento dessas pessoas [Taques e Leitão] com aquele esquema da Seduc, da operação Rêmora”, disse Selma, apresentando um ‘dossiê’ que mostra Permínio Pinto como ex-assessor de Nilson Leitão. A candidata assevera, ainda, que o ex-secretário foi nomeado na Seduc “com a missão de colher para si e para seu chefe dinheiro de propina para pagamento de Caixa 2”.

A assessoria jurídica de Taques é coordenada pelo advogado José Antônio Rosa, que classificou Selma como “adversária” da coligação, apesar de a juíza aposentada legalmente ainda fazer parte dela. Os advogados estão acompanhando todos os pronunciamentos da candidata e avaliam se cabe acioná-la judicialmente.

“A coligação só se forma com um objetivo comum, que é de levar a propaganda dos candidatos para a população. Então a partir do momento que ela declara que não vai fazer campanha nem com o governador e nem com o candidato a senador, e além disso fala mal dos dois, como no vídeo em que ela os chama de delatados, então esta posição dela, como ela está colocando, ela tinha que ter saído da coligação, como ela não saiu os partidos decidiram que não tem nenhuma participação dela em nada mais”.

Delações

Nos últimos dias, o jornal Folha de S. Paulo revelou que o ministro Marco Aurélio, do STF, homologou os acordos de colaboração premiada do empresário Alan Malouf e do ex-secretário de Educação Permínio Pinto, ambos envolvidos no esquema de fraude em contratos da Seduc para beneficiar empreiteiras em troca de propina para quitar dívidas da campanha eleitoral de 2014.

Tanto Malouf quanto Permínio Pinto afirmam em suas delações que Pedro Taques tinha total conhecimento do esquema. O ex-secretário de Educação teria, ainda, entregue mensagens de WhatsApp aos investigadores, em que o governador aparece pedindo para que ele facilitasse licitações, com o objetivo de beneficiar os seus credores.

Conforme as declarações de Permínio, Alan Malouf e o ex-chefe da Casa Civil e primo do governador, Paulo Taques, seriam responsáveis para que juntos com os demais secretários "encontrassem uma forma de captar recursos para quitar dívidas de campanha deixadas para trás". O governador nega todas as acusações.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Carlos Nunes
    04 Set 2018 às 15:15

    A Juíza SELMA, melhor candidata ao Senado, pois vai representar bem Mato Grosso e moralizar o Congresso Nacional...agora além de sofrer preconceito por ser Mulher...tá monitorada pelo Governo...censurada. Sinto informar que tio Taques não vai ser reeleito...depois que acabar a blindagem do cargo de Governador, vai aparecer tanta coisa pra ele explicar. Rêmora, Grampos, Pedaladas, Catarata, o que mais? Vai acontecer a mesma coisa com tio Temer...perdeu a blindagem, até delator fica mais audacioso e conta estórias. Aconteceu com tio Lula isso.Vem aí a delação do tio Palloci...Pra todos os delatores premiados, a gente só pode pedir uma coisa: CONTEM TUDO!

  • Tobias de Aguiar
    04 Set 2018 às 15:10

    Este senhor foi procurador do município durante a gestão Wilson Santos, em 2009, quando foi devidamente TRANCAFIADO pela polícia federal na OPERAÇÃO PACENAS. Nas épocas o procurador era o Doutor Mário Lúcio Avelar, pessoa de confiança do Dr. Pedro Taques. Sinto tristeza e melancolia ao ver que o nobre ex procurador e hoje governador se perdeu no mundo político. Perdeu a referência que do que é probo, do que é moral. Lastimável...fonte citada - OLHAR DIRETO- requeiro meu direito de livre manifestação de acordo com a constituição federal .http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?id=58673¬icia=operacao-pacenas-pf-indicia-22-pessoas-e-confirma-um-politico

  • Joanice Lara Larissa - Sinop
    04 Set 2018 às 14:49

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • JUSTO
    04 Set 2018 às 12:22

    Essa senhora então sabia de tudo e ficou calada, então agora como adversarios destila o odio, então esta claro que todas as suas ações tinha cunho meramente politicos.