Olhar Direto

Quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Notícias / Política MT

Em conversa com produtores, Leitão defende reformas para alavancar economia

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

09 Set 2018 - 16:43

Foto: Assessoria

Em conversa com produtores, Leitão defende reformas para alavancar economia
Em seus 20 minutos entre discurso e respostas de perguntas elaboradas por representantes setor do agronegócio, o candidato a senador Nilson Leitão (PSDB) aproveitou a oportunidade para tratar da necessidade de implementação de quatro reformas importantes para o país, durante evento com produtores rurais na última semana. São elas: redução da máquina pública, reforma da previdência, reforma tributária com revisão do pacto federativo e reforma política.  

Leia também
Mendes propõe reforma da Previdência, Fagundes destaca aliança com produtores e Taques justifica gastos


Leitão iniciou seu discurso falando sobre a importância do brasileiro participar mais da política. "A política é um problema de todos nós; é o problema de cada um. Não adianta apontar o dedo pra frente se não participar dela. Quem não está contente, busque um programa parecido com o seu. Se não achar ninguém, se candidate. Mas não deixe o Brasil na mão", incitou.

Sobre as reformas estruturantes pela redução da máquina pública, Nilson Leitão lembrou a platéia, entre produtores, líderes de sindicatos rurais, representantes de associações e entidades, que apresentou recentemente, na Câmara Federal, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê uma redução de mais de 400 cargos nos legislativos federais, estaduais e municipais. A medida deve gerar mais de R$ 5 bilhões nos próximos quatro anos. 

Seguindo na mesma esteira, o tucano também defendeu o fim das políticas de privilégios e a reforma da previdência, acabando com a discrepância de aposentadorias e pensões de servidores e celetistas. O intuito é buscar mais igualdade nos recebimentos e justiça social. Contudo, outra importante reforma defendida pelo candidato a senador é a tributária, que deverá ser implementada paralelamente a da previdência.

"Hoje temos 36 impostos sobre a mesa do empresário. Participo lá na Câmara Federal de uma Comissão para discutir a reforma tributária. Sou titular dela. Nossa proposta é reduzir para oito impostos. Queremos fazer uma repactuação dos entes federativos; rever o pacto federativo. E fazer com que o dinheiro chegue aos estados e municípios de maneira igualitária. Lá na ponta. No cidadão em forma de serviços e com qualidade", defendeu.

Mais que a redução da quantidade de impostos, o parlamentar acredita que somente após as reformas é que o país poderá falar em diminuição de alíquotas de impostos. Ex-líder da Frente Parlamentar do Agronegócio (FPA) na Câmara Federal, Leitão acredita que a redução servirá de estimulo à geração de emprego e renda para a população, ampliando a oferta de oportunidades e o alcance da sensação de mais dignidade para o trabalhador.

Contudo, existe uma reforma ainda mais importante para ele, que a considera mãe de todas as outras, que é a reforma política. "A mudança já está aí. Campanha mais curta, pouco dinheiro e mais propostas. É isso o que o eleitor quer. O dinheiro não pode ser o fator preponderante para decidir uma eleição. Deve vencer quem tem as melhores propostas e projetos para a sociedade. Eleição não precisa de cabo eleitoral, precisa de militância. Eu acredito que o fim da corrupção começa por aí. A política precisa de pessoas com ideologia", concluiu.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • João Simão
    10 Set 2018 às 08:51

    Coitado. Vai perder para Procurador MAURO

  • Antonio da Silva
    09 Set 2018 às 21:36

    Este candidato é uma farsa, vem mentido ha muitos anos, e o pior que tem otário que confia nele ainda!

  • Isaac
    09 Set 2018 às 19:09

    Diferente de quem trabalha muito e recebe quase nada, hoje o político com apenas quatro meses de mandato já está aposentado pelo resto da vida com um salário de marajá. Que tal incluir todos os políticos no regime geral de previdência? (65 anos de idade e 35 anos de contribuição). Será que ele tem coragem de propor o fim deste privilégio? Certeza que não.

  • Manter a floresta em pé é custo
    09 Set 2018 às 18:59

    https://www.google.com/url?q=https://www.cartacapital.com.br/politica/manter-a-floresta-em-pe-e-custo-diz-chefe-da-bancada-ruralista&sa=U&ved=0ahUKEwjVuLbCga_dAhVDvJAKHTH1CoU4ChAWCBwwBg&usg=AOvVaw2QH4JOhA71uHA4r5mbnCXA Investigado. http://www.olhardireto.com.br/juridico/noticias/exibir.asp?id=34990¬icia=delator-afirma-que-radio-de-leitao-foi-usada-em-esquema-de-fraudes-na-secretaria-de-educacao

  • Bea
    09 Set 2018 às 18:31

    Tudo para o agro negócio, nada ao trabalhador é por isso q vai perder e ser varrido da política para sempre. Os trabalhadores conscientes te deram a resposta, vc traiu a todos os trabalhadores, peça o voto somente para quem vc trabalha e veja se será eleito.

  • Zeca
    09 Set 2018 às 17:07

    Agora tem solução pra tudo, agora já era.