Olhar Direto

Quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Notícias / Política MT

Pinheiro chama Mendes de rei das obras inacabadas e diz que herdou “esqueletos”

Da Redação - Lucas Bólico

21 Set 2018 - 18:01

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Pinheiro chama Mendes de rei das obras inacabadas e diz que herdou “esqueletos”
A disputa eleitoral deflagrada entre Mauro Mendes (DEM) e Wellington Fagundes (PR) atingiu em cheio o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB). O emedebista declarou apoio a Wellington Fagundes apesar de ter seu partido coligado com o de Mendes e viu seu nome ser arrastado para a disputa. Na noite de ontem, em entrevista concedida na chegada do debate da OAB-MT, Mendes o provocou dizendo que o prefeito abraçou Wellington com “paletó e tudo”. Hoje, em resposta, Emanuel chamou Mauro de “sócio” de Silval Barbosa e o acusou de não concluir obras.

Leia também:
Mendes comemora crescimento no Ibope com cautela: “é cedo para falar em 1º turno”
 
Emanuel ainda classificou Mauro Mendes como “rei das obras inacabadas”. “Wellington abraçou a nossa gestão. Wellington está arrumando recursos para terminar as obras inacabadas do ‘rei das obras inacabadas’, que foi o ex-prefeito de Cuiabá”, criticou o emedebista. O atual prefeito d Cuiabá sustenta que seu antecessor deixou esqueletos de obras inacabadas, que estavam abandonadas e traziam problemas de segurança pública.
 
 “O CMEI do CPA 4, que recebi puro esqueleto, com matagal lá dentro, ponto de drogas, marginalidade, já está lá pronto para entregar mês que vem. Temos o centro social da juventude no Jardim Passaredo que também recebi abandonado, com R$ 1,5 milhão que já tinha sido investido [e estava] lá abandonado, com matagal, roubo, sendo local de roubo e prostituição. Retomamos a obra e está lá a pleno vapor. É um custo salvar essa obra. Retomamos agora e estamos conseguindo salvar com o apoio do senador Wellington”, garantiu Pinheiro.
 
Emanuel afirma que precisou de seis meses de mandato só para conseguir “salvar” os recursos de obras paradas que estavam comprometidos. “Wellington abraçou Cuiabá e abraçou a nossa gestão e nós abraçamos Wellington porque ele realmente tem nos apoiado muito. Imagina ele como governador o que ele não vai fazer por Cuiabá”, argumenta.
 
Ainda na noite de ontem, Wellington saiu na defesa de Pinheiro e alegou que o sucessor de Mauro Mendes na Prefeitura de Cuiabá é muito melhor e mais bem avaliado que o antecessor. Emanuel corroborou o argumento e disse que Mauro Mendes “deveria ser mais seguro” e não criticá-lo. “Eu quero ser avaliado ao final da minha gestão. Eu estou muito feliz porque todas as pesquisas de opinião feitas, inclusive as internas, estão me dando uma boa avaliação. Tenho trabalhado demais. Amo de paixão Cuiabá. E estou em lua de mel e vou continuar até o final do mandato e ele [Mauro Mendes] deveria aplaudir como eu quero aplaudir meu sucessor se ele fizer em um ano e meio mais do que eu fiz em quatro anos. Isso é uma postura de quem ama Cuiabá”, finalizou.

17 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Indignado.
    22 Set 2018 às 10:59

    O Emanuel Pinheiro está fazendo igual ao governador Pedro taques e governando olhando o retrovisor em vez de fazer o seu serviço e mostrar que fez eu o aconselho a mudar de postura e tomar atitudes em relação a saúde e educação pra poder quem sabe ser reeleito só ficar criticando o gestor passado não vai adiantar e seja honesto mostre oque foi feito assim como está mostrando oque não foi e não tome para si oque outros fizerem. Fica dica

  • falcão Garcia
    22 Set 2018 às 10:54

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • RAFAEL CESAR
    22 Set 2018 às 10:32

    para a disputa da prefeitura eram amiguissimos agora já são inimigos mortais, dois sujos, o Mauro Mendes colheu oque plantou, era amiguissimos do Taques e agira só fala mal e agora O Emanuel o detona e vice e versa, 2018 sem opção infelizmente.

  • Gregory House
    22 Set 2018 às 08:32

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • And
    22 Set 2018 às 08:29

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Regina
    22 Set 2018 às 06:49

    Quem é o Emanuel para falar da Mauro Mendes? Só foi eleito porque não tinha candidato melhor. Aliás todos os candidatos eram ruins e péssimos. Todos viram no que ele é bom em fazer.

  • Cuibano
    22 Set 2018 às 03:05

    O engraçado que senhor assumiu a prefeitura com verba na verde sem divida e até agora 1 ano depois não fez nada pela capital, fale menos e faça mais pela a sociedade e honre sem cargo.

  • Ronan alves
    22 Set 2018 às 01:36

    23/03/2016 10:53 em Saúde A médica-cirurgiã Eloisa Curvo publicou, na manhã desta sexta-feira (21), uma carta aberta destinada às autoridades de Cuiabá e a população em geral. O texto faz ácidas críticas a situação do Pronto-Socorro de Cuiabá, local onde a profissional atua. Na publicação, que foi postada na rede social Facebook, a médica descreve como “estarrecedor o descaso e a falta de compromisso que existe em relação às necessidades primordiais do ser humano que porventura necessite dos serviços de saúde no Pronto-Socorro de Cuiabá”. Eloisa informa que tomou a iniciativa por ser membro do corpo clínico que atua no setor de cirurgia geral do Pronto-Socorro de Cuiabá e não se conforma com a situação degradante da unidade hospitalar. “Não vou me conformar nunca (nunca serei acomodada ou conivente) em trabalhar num ambiente tão hostil no que se refere às condições para o bom desempenho do meu trabalho”, desabafou. A médica disse que em 23 de fevereiro, dia em que estava de plantão, faltavam dezenas de materiais e medicamentos e que “a falta desses materiais compromete em demasia o atendimento aos pacientes, principalmente quando se trata de urgência e/ou emergência, o que é a maioria dos casos que chega àquele local”. “Falta praticamente tudo, desde uma lâmpada de laringoscó

  • Carlos
    22 Set 2018 às 01:08

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Carlos
    22 Set 2018 às 01:06

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.