Olhar Direto

Quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Notícias / Política MT

“Escoltado”, Taques encara calor e ruas lotadas para reverter rejeição no corpo a corpo; veja fotos

Da Redação - Érika Oliveira

24 Set 2018 - 16:45

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Governador era orientado e direcionado por corredor humano que o deixava quase

Governador era orientado e direcionado por corredor humano que o deixava quase

Final da manhã de segunda-feira (24), trânsito intenso na região central de Cuiabá, e uma movimentação atípica: membros do alto escalão do Governo do Estado, pouco mais de 100 militantes, uma “tropa” de seguranças e, no meio disso, o governador Pedro Taques (PSDB), candidato à reeleição. A opinião das pessoas nas ruas divergia entre apoiadores, gritos em prol de candidatos adversários e motoristas irritados com o congestionamento.   

Leia mais:
Atrás nas pesquisas, Pedro Taques aposta em indecisos e comemora diminuição em rejeição

Todos os passos de Pedro Taques foram previamente calculados. À sua frente, membros do staff se certificavam de que o chefe do Executivo seria bem recebido pelos proprietários de cada estabelecimento que ele entrasse. O “bate papo”, no entanto, ficou entre quatro paredes, porque ninguém além do governador e de seus assessores era liberado para entrar no local enquanto ele estivesse lá.



Escoltado por alguns pares de seguranças e de algumas dúzias de cabos eleitorais, Taques percorreu o Centro Histórico da Capital. Cada aperto de mão e cada abraço, ainda que pouco empático, era sabidamente registrado pelas câmeras de sua campanha.


Quando Taques adentrava a um estabelecimento, seguranças impediam acesso de transeuntes.

A duas semanas do primeiro turno das eleições, Taques se viu no terceiro lugar das pesquisas de intenção de votos e com uma rejeição*, que mesmo em queda, continua sendo a maior entre os cinco candidatos que disputam o Palácio Paiaguás. O tucano garante que suas pesquisas de consumo interno evidenciam outro cenário, mas decidiu partir para o corpo a corpo.

Sob um calor de quase 40 graus, acompanhado de seu vice, Rui Prado, e do deputado estadual Wilson Santos, ambos do PSDB, Taques disse que foi cobrado pela crise na saúde, mas que foi encorajado a continuar. “Está excelente [a recepção], graças a Deus”, garantiu, com um sorriso largo no rosto. “É importante dizer para o cidadão o que fizemos, pedir voto, estar na rua e mostrar o que ainda podemos fazer para melhorar Mato Grosso”.

“[Cobraram] a melhora na saúde. Mas me deram incentivo para seguir em frente”, pontuou, destacando a frase que dá titulo a sua coligação, ‘Segue em Frente Mato Grosso’.


Taques afirma que a recepção nas ruas está sendo excelente.

A reportagem do Olhar Direto conversou com algumas pessoas que trabalham nas lojas e lanchonetes pelas quais o governador passou. Nenhuma quis se identificar, mas revelaram que o encontro com o titular da cadeira mais cobiçada do Estado não durou muito tempo. “Foi coisa rápida, não conversei, só me cumprimentou”, sintetizou uma vendedora.

Mais adiante, um comerciante avaliou que, se depender do eleitorado cuiabano, Taques seguirá com dificuldades. Nos bastidores, fontes próximas ao governador afirmaram que a estratégia de tomar as ruas foi realmente causada pelo “efeito Ibope*” – última pesquisa que mostrou o tucano empatado com Wellington Fagundes (PR) na briga por um insólito 2º turno.

“Cuiabá tem muito servidor do Estado, a maioria das pessoas que moram aqui são [funcionários do Governo]. E o povo está muito desgostoso com ele, não querem nem conversa. O Mauro [Mendes, ex-prefeito de Cuiabá, do DEM] vai levar muito voto. Acho que aqui em Cuiabá ta difícil pra ele”, analisou.

*A pesquisa citada na matéria é a segunda rodada do instituto Ibope, registrada na Justiça Eleitoral sob número MT‐05998/2018. Foram ouvidos 812 eleitores, em 36 municípios do Estado, dos dias 17 a 19 de setembro. Pedro Taques aparece com 37% de rejeição, seguido por Arthur Nogueira (Rede) com 16%; Moisés Franz (PSOL), com 14%; Wellington Fagundes (PR) com 13% e Mauro Mendes (DEM) com 10%. Em intenção de votos na categoria estimulada, Mauro Mendes tem 39%; Pedro Taques (PSDB) 20%; Wellington Fagundes 20%; Arthur Nogueira (Rede) 2%; Moisés Franz (Psol) 1%; Brancos e nulos 8% e não souberam ou não opinaram 10%.

32 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Fabio Silva
    25 Set 2018 às 08:35

    Que Falta faz um jornalismo imparcial!!! A função de governador sempre teve escolta!!! É da Função e não dá pessoa.. Ele tem!! Todos que antes estiveram na função tiveram!! E os próximos vão ter!! E vcs fazem uma machete dessa??

  • Sambolino
    25 Set 2018 às 07:46

    Tanto as imagens quanto a matéria tendenciosa e partidária. Fotos colocadas propositalmente para denegrir e rebaixar o governador. Que ele não ganha todos sabemos, porém a matéria foi extremamente tendenciosa.

  • ANA
    25 Set 2018 às 07:44

    PEDRO TAQUES NAS RUAS, VAI TROMBAR COM OS SERVIDORES NAS RUAS ...KKKK GOVERNADOR GASTANDO TANTO DINHEIRO NA CAMPANHA PRA PERDER. QUE DESPERDÍCIO..

  • silvio lopes de moraes
    25 Set 2018 às 07:30

    Já perdeu ,o povo de Cuiabá esta acordando com as falsas promessas.ZEROREELEIÇÃO EM TODOS OS CARGOS.

  • Ex- Aliado de Pedro Taques
    25 Set 2018 às 07:12

    Estes Servidores Públicos que se sujeitaram a este papel ridículo e ilegal de fazer campanha politica e por cima no horário do expediente para este ditador Pedro Taques, serão marcados..E, no ano que vem com uma nova gestão um novo Governador serão vistos como os viúvos e viúvas do Pedro Taques...

  • Sociedade
    25 Set 2018 às 04:18

    Pedro MENTIRA constrangedo o funcionário privados apegar na mão deve...isso e uma vergonha...pega na mão porque e cliente ou pode ser demitido...

  • Indignado.
    25 Set 2018 às 02:00

    Em três anos e nove meses nunca saiu do gabinete pra um corpo a corpo agora na reta final da campanha viu que está em terceiro quer agradar?O povo te rejeita governador tenha bril chega ser humilhante ainda mais com o Pinóquio a tira colo aí sim é derrota na certa.

  • Cleo Araujo - calçadão
    24 Set 2018 às 22:40

    Na verdade, pelo que vejo nos noticiários ele deu um jeito de fugir la do ambiente de trabalho dele , por vergonha dos servidores dele que estavam la na sad cobrando os compromissos atrasados. Como proprietario de um comercio aqui no centro, no momento que ele passou por aqui na rua, eu fui para os fundos para nao me deparar com ele, pq dependo do salario dos servidores dele que nesse mesmo momento estavam pedindo pelos seus direitos la onde ele trabalha. Os servidores de MT tem o apoio dos comerciantes em geral. Obrigado

  • Povo cuiabano
    24 Set 2018 às 22:14

    O povo não é bobo xera xera dia sete está chegando. ...

  • orlando osmar vilela neto
    24 Set 2018 às 22:10

    O grande escritor italiano Carlo Collodi, presenteou a humanidade com um clássico personagem ficcional , conhecido mundialmente como Pinóquio - o menino de madeira que a cada mentira que contava seu nariz crescia, e a cada verdade ele diminuía . Em certo momento do livro o autor escreve: "Era uma vez … - Um rei! diriam de pronto os meus pequenos leitores. Não, meninos, vocês se enganaram. Era uma vez um pedaço de madeira". As mentiras foram tantas , os acordos com os populachos políticos que usurpam o poder deu ares de governabilidade e estabilidade institucional. Tudo era idílico , a efervescência dos plutocratas estava em alta que obliteram a visão do personagem central do nosso paço Paiaguás . Assim o nariz foi crescendo, crescendo e aí o Sr. Pedro Taques descobriu tardiamente que nos povo mato-grossense com os nossos diminutos narizes não "somos bobo cheira-cheira". Quando sair , não esqueça de apagar as luzes, o show acabou Pinóquio.