Olhar Direto

Quarta-feira, 02 de dezembro de 2020

Notícias / Política MT

Homem que atacou deputado é condenado por tráfico de drogas

Da Redação

26 Set 2018 - 11:51

Foto: Reprodução

José Marcelo Flores Cardoso à esquerda, ao lado de Juliano Egues do Nascimento junto com Sachetti no dia da agressão verbal

José Marcelo Flores Cardoso à esquerda, ao lado de Juliano Egues do Nascimento junto com Sachetti no dia da agressão verbal

Foi identificado um dos autores do ataque ao deputado federal Ezequiel Fonseca (PP), ocorrido no último domingo (23), durante um evento político em Cáceres. Trata-se de Juliano Egues Cardoso, que responde a diversos processos na Justiça de Mato Grosso e já foi condenado pelo crime de tráfico de drogas. A identificação de Juliano foi possível graças às imagens feitas durante a confusão.

O ataque a Fonseca ocorreu durante uma roda de conversa, realizada na cidade de Cáceres e organizada pelo candidato ao Senado Adilton Sachetti (PRB). Também deputado federal, ele convidou Fonseca, que tem forte atuação na região Oeste, para participar do evento, quando Juliano e mais uma pessoa proferiram ofensas ao parlamentar.

Juliano foi condenado em 2010 a 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão pelo crime de tráfico de drogas. A sentença foi proferida pela Justiça do Espírito Santo, uma vez que o crime foi cometido na cidade de Cariacica. A pena foi cumprida, inicialmente, em regime semiaberto e apenas em março de 2016 obteve liberação para progredir ao regime aberto.

Esta não é a primeira vez que integrantes da família Cardoso se envolveram em ataques a políticos de Cáceres. O pai dele, José Marcelo Flores Cardoso, foi condenado recentemente a pagar, em conjunto com um agente prisional, R$ 9 mil a uma pessoa ofendida por eles em um grupo de troca de mensagens por smartphone.

Tramitam na Justiça de Cáceres diversas ações contra José Marcelo e o agente prisional, por supostamente atacarem e difamarem adversários políticos do governador Pedro Taques e do deputado estadual Leonardo Alburquerque.

Logo após o episódio do último domingo, Fonseca se manifestou por meio de nota. Ele classificou a ação como orquestrada e isolada. “E é por este motivo que não vou entrar no jogo sujo. Minha resposta é continuar a campanha com a cabeça erguida e a certeza de que trabalhei muito por Mato Grosso”, afirmou o político.

Atualizada às 18h02.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet