Olhar Direto

Segunda-feira, 06 de abril de 2020

Notícias / Cidades

Empresário é preso em Cuiabá acusado de envolvimento com megatraficante

Da Redação - Wesley Santiago

22 Nov 2018 - 11:00

Foto: Reprodução

Empresário é preso em Cuiabá acusado de envolvimento com megatraficante
O empresário Mauro Laurindo da Silva, sócio de uma empresa (Fama Serviços Administrativos) em Mato Grosso investigada pelo suposto pagamento de propina a políticos e que recebeu repasses de doleiros ligados ao megatraficante Luiz Carlos da Rocha, conhecido como “Cabeça Branca”, é um dos presos da ‘Operação Sem Saída’, deflagrada nesta quinta-feira (22), pela Polícia Federal.

Leia mais:
Empresa de MT investigada por corrupção no Detran auxiliava megatraficante em lavagem de dinheiro
 
Conforme a reportagem, a informação foi confirmada por uma fonte da Polícia Federal ligada à investigação. Mauro foi preso em Cuiabá (anteriormente, a informação era a de que ele havia sido pego em Londrina (PR), o que foi corridigo posteriormente) e é sócio da empresa, que seria investigada, entre outras coisas, pelo envolvimento no esquema de corrupção no Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MT).
 
Durante investigações da Polícia Federal, os agentes descobriram que a empresa recebeu R$ 238 mil em depósitos feitos pelo doleiro Carlos Alexandre da Rocha, o Ceará, a pedido de Cabeça Branca. Desde então, o órgão passou a investigar as relações entre o traficante e empresa, identificada como Fama Serviços Administrativos.
 
A partir de então, a empresa, que já vinha sendo investigada por autoridades locais pela suposta distribuição de propina a políticos de Mato Grosso, passou a ser também alvo de investigações para apurar suas ligações com o narcotráfico.
 
“Tem uma empresa que é investigada por corrupção, envolvendo o Detran, em Mato Grosso, que também auxiliava o ‘Cabeça Branca’ na lavagem de dinheiro. Isso foram o que os indícios nos apontaram”, disse o delegado da Polícia Federal, Roberto Biasoli, responsável pelo caso, durante entrevista coletiva.
 
Além disto, o delegado também revelou que dois caminhões apreendidos anteriormente com 1,5 toneladas de cocaína estavam registrados no nome desta mesma empresa.
 
A denominada Operação Spectrum está em sua 4ª fase ostensiva, tendo até o momento arrecadado aproximadamente 500 milhões de reais em patrimônio da organização criminosa comandada por Luiz Carlos da Rocha, o “Cabeça Branca”, somente em solo brasileiro. Dentre os bens sequestrados estão 16 fazendas que somadas representam uma área de aproximadamente 40 mil hectares no Estado do Mato Grosso.
 
Aproximadamente 100 policiais federais cumprem 18 ordens judiciais em Curitiba no Paraná e em Brasnorte, Tapurah, Juara, Nova Maringá e Cuiabá no Mato Grosso, dos quais 2 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária e 14 mandados de busca e apreensão, cujo objetivo é reunir elementos probatórios da prática dos crimes de Lavagem de Dinheiro, contra o Sistema Financeiro Nacional, Organização Criminosa, Associação para o tráfico internacional de drogas, dentre outros delitos.
 
Somente nesta ‘Operação Sem Saída’ o patrimônio arrecadado será de mais de 100 milhões de reais, considerando que somente em fazenda são mais de 11 mil hectares.
 
Esta é a maior operação da história da Polícia Federal na desarticulação patrimonial de organização criminosa com atuação no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

Atualizada e corrigida às 15h38.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Miose
    23 Nov 2018 às 01:00

    Rapaz tabai a origem tudo agiota falavam quer era grana do arcanjo kkkkkk Família toda agiota

  • Aindon Barra
    22 Nov 2018 às 17:08

    Esse aí não tinha sido preso na Operação Crédito Podre, ano passado? Agora já tá sendo preso por envolvimento com tráfico também? E tá solto porque?

  • Só observo
    22 Nov 2018 às 16:21

    Vaixhegsr nos deputados que lavavam dinheiro com o narcotráfico vai vendo

  • Rocha
    22 Nov 2018 às 15:37

    Até tu, Maurão? Voti, não salva um.

  • alessandro
    22 Nov 2018 às 14:23

    Ai fica fácil jogar no campeonato hein. pagar de bacana nos corredores da SEMA/INCRA etc.... só de Mercedes.... eh enxada ninguém quer mais.. atravessar serviços de terceiros também é do jogo né....e agora xôs manos...?? oq eu fazer?

  • Cuiabano
    22 Nov 2018 às 12:15

    Esse empresário é conhecido nas baladas cuiabanas. Por isso que eu digo pra desconfiar desse povo que vive aparecendo de carrão e nas coluninhas sociais pagas pra aparecer como gente rica. DESCONFIEM!

Sitevip Internet