Olhar Direto

Sexta-feira, 24 de maio de 2019

Notícias / Cidades

Sobrevivente de atropelamento em frente à Valley pode ser responsabilizada por acidente, diz delegado

Da Redação – Fabiana Mendes / Da Reportagem Local - Carlos Gustavo Dorileo

16 Jan 2019 - 11:00

Foto: Reprodução

Sobrevivente de atropelamento em frente à Valley pode ser responsabilizada por acidente, diz delegado
A estudante de direito, Hya Girotto, única sobrevivente do atropelamento que aconteceu em frente à boate Valley no último dia 23 de dezembro, poderá ser responsabilizada pelo acidente que causou a morte de Myllena de Lacerda Inocêncio, de 22 anos, e Ramon Alcides, de 25.  Ela deverá ser ouvida nos próximos dias pelo titular da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), delegado Christian Cabral.

Leia mais:
Novo vídeo mostra atropelamento de jovens em frente à Valley; vítimas conversavam e dançavam no meio da rua

Segundo o delegado, imagens das câmeras de segurança e os laudos da Perícia Técnica (Politec) irão apresentar provas técnicas que podem revelar as verdadeiras circunstâncias do acidente na Avenida Isaac Póvoas. A oitiva de Hya também é aguardada para a conclusão do inquérito.

“No estado que está a investigação, estamos apenas aguardando a oitiva da Hya, já teve alta médica e a conclusão dos laudos periciais. Não apenas o laudo do local que vai nos trazer as circunstâncias de que ocorreu o acidente, mas também a análise das imagens coletadas pelas câmeras de monitoramento do local”, afirmou.

Conforme Christian, as provas técnicas podem causar responsabilização de Hya, como também mudar o indiciamento da professora Rafaela Screnci da Costa Ribeiro, de 33 anos, de homicídio culposo (sem intenção de matar) para doloso (quando existe intenção). 

“Pelo que for revelado por essas provas técnicas, nós podemos tanto ter a manutenção do indiciamento da Rafaela no crime de homicídio culposo, como originalmente imputado na prisão em flagrante dela, como a alteração do indiciamento para o crime de homicídio doloso, em razão do dolo eventual, ou eventualmente a responsabilização criminal da Hya por causar o acidente, sem excluir a responsabilização da Rafaela”, pontuou.

Conforme adiantado pelo Olhar Direto, Hya recebeu alta médica do Hospital Geral, onde estava internada, na noite da última segunda-feira (14). Ela já foi informada da morte dos amigos e ainda se recupera. No entanto, a jovem vem sofrendo ataques nas redes sociais, por pessoas que reprovam sua postura no momento do acidente.
 
Atropelamento de jovens

Rafaela Screnci da Costa Ribeiro, 33 anos, atropelou três pessoas às 5h50 da manhã do dia 23 de dezembro, na avenida Isaac Póvoas, a poucos metros da faixa de pedestre, em frente à Valley Pub. Ela passou por audiência de custódia, pagou R$ 9,5 mil de fiança e foi liberada. Depois, a Justiça majorou o valor para R$ 28,5 mil.
 
Professora substituta da Universidade Federal de Mato Grosso, Rafaela dirigia uma caminhonete Renault Oroch. O atropelamento aconteceu no momento em que o público deixava a casa noturna. De acordo com testemunhas do acidente, o veículo estava em alta velocidade quando colidiu com o trio. Além de bater nas três vítimas, o carro conduzido por Rafaela ainda se chocou com um Gol.
 
O carro só foi parar após o semáforo. Imagens registradas por testemunhas e pela Polícia Civil revelam o estado em que ficou o carro após a colisão. A estudante Myllena de Lacerda Inocêncio, de 22 anos morreu no local, Ramon Alcides Viveiros, de 25 anos, foi resgatado com vida, mas não resistiu e faleceu cinco dias depois.

43 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • cuiabano
    17 Jan 2019 às 16:58

    Todos tem parcela de culpa, mas quem cometeu crime foi a motorista, pois ela estava embriagada, atropelou e não prestou socorro. Pelas imagens do vídeo, podia ser qualquer pessoa inclusive na faixa que ela atropelava!

  • Eita
    17 Jan 2019 às 11:16

    kkkkkkkkkkkk mas que isso ia acontecer era óbvio. Tipo o verdureiro que morreu e falaram que ele tinha bebido demais pra pedestres. Agora vão falar que ela se jogou e arrastou os amigos pra frente de um carro que veio em tão alta velocidade que eles nem chegaram a ver. É meu Cuiabá injusto como sempre

  • rafael
    17 Jan 2019 às 11:04

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Lorota
    17 Jan 2019 às 10:52

    Culpa do estado que fez a rua ali.

  • ANA VIRGINIA
    17 Jan 2019 às 08:18

    Engraçado que todo mundo culpa um ou outro.... Então quer dizer que está correto um perdeste atravessar no meio da rua , dançando e atrapalhando o trânsito, sendo que um pouco pra frente existia a faixa de pedreste. A FAIXA serve pra que? Então quer dizer que todos que forem atropelados atravessando uma rua e não usando a faixa está certo ? Todos os condutores que atropelar alguém fora da faixa é criminoso? Existe lei para pedestre como para condutores. Ta fácil jogar tudo isso na bebida, como se todos que saem de uma boate não consuma algum álcool. Se todos tivessem consciência usariam a faixa de pedestre. E concordo que a sobrevivente tenha culpa sim, pois se não fosse o show dela os outros 2 não teria voltado para buscar ela na rua e estariam vivos. Sobre a condutora do veículo, pode ter culpa em estar em alta velocidade, mais nessa rua nao tem redutor de velocidades, ainda mais quando vc enxerga o sinal aberto para vc. Então todos que estiver dirigindo e passando no sinal verde tem que ser culpado por um pedreste está atravessando errado? A lei de trânsito ta aonde? SO serve a lei para condutores? Pedestre não tem lei? Porque se não tiver, do que serve essas faixas de pedestre?

  • Andre
    17 Jan 2019 às 06:58

    Bom no meu ponto de vista tem 3 parcelas de culpa 1 a boate valley, ela n tem responabilidade pelos clientes que dali sai embriagados em momento algum durante 5 minutos do video algum segurança que estava na frente da mesma pediu para os clientes sair da rua . 2 as pessoas que sem noção ficam no meio da rua nao somente a Hya como vemos no video. 3 dirigir sobre efeito de alcool e crime querendo ou nao fica sem alguns reflexos e acaba vindo fazer tragedia. Então vamos parar de focar culpado e sim dividir a culpa e ser julgados pois os outros 2 ja veio a sentença sem poder se defender.... obrigado

  • ADVOGADA CRIMINAL
    17 Jan 2019 às 01:22

    EM RESPOSTA AO LUIS: Vc é tão desentendido que não sabe que não é o Direito Penal que cabe no presente caso e sim o Código de transito e ambas tem responsabilidade sim. SEMPRE FOI JULGADO DESTA MANEIRA, vc que é desentendido de Direito rsrs

  • maria
    16 Jan 2019 às 22:56

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • NATY
    16 Jan 2019 às 18:28

    É simples.. se todo mundo beber e dançar na rua, não existe risco.. Se todo mundo beber e for dirigir... Existe um grande risco.. Dançar bêbado não mata ninguém.. Dirigir bêbado MATA.

  • Rodolfo
    16 Jan 2019 às 16:59

    Rua é lugar de carros, motos e bicicletas, exceto na faixa aonde as pessoas deste acidente não estavam.

Sitevip Internet