Olhar Direto

Quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Notícias / Política MT

Deputado quer transformar escolas da rede estadual em Colégios Militares

Da Redação - Érika Oliveira

12 Mai 2019 - 14:30

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Deputado quer transformar escolas da rede estadual em Colégios Militares
Seguindo uma proposta defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), o deputado estadual Silvio Fávero (PSL) apresentou um projeto de lei que, se aprovado, permite transformar as escolas públicas de Mato Grosso em colégios militares. A matéria entrou em discussão na ultima quarta-feira (08) na Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, mas sofreu pedido de vistas por parte do deputado Valdir Barranco (PT). Segundo a propositura, a adesão das escolas ao modelo militar será feita de forma voluntária.

Leia mais:
​Reportagem do Fantástico denuncia situação precária em ‘escolas de lata’ em MT

“Fato é que diversos Estados e municípios da Federação que implementaram o programa de gestão compartilhada cívico-militar, ainda que com nomenclatura distinta, vêm experimentando melhoras gradativas e significativas no comportamento dos jovens no meio escolar, no seio familiar, no trabalho bem como no 3 desempenho escolar, inclusive com redução na evasão escolar. Nesses Estados, pais, professores e alunos, sem exceção, têm proferido elogios com manifesta gratidão por participar da nova forma de gestão e organização nas escolas, pois verificaram na prática que a disciplina leva a resultados satisfatórios notadamente do desempenho escolar”, disse o deputado pesselista, na justificativa do projeto.

Atualmente, Mato Grosso possui oito escolas militares, sendo sete da Polícia Militar, que estão localizadas nos municípios de Cuiabá, Confresa, Sorriso, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Juara e Rondonópolis (em fase de implantação), e uma do Corpo de Bombeiros, em Alta Floresta.

O projeto do deputado Silvio Fávero deixa em aberto a possibilidade para que todas as escolas da rede pública do Estado, nível fundamental e médio, possam aderir ao modelo, batizado de Programa de gestão compartilhada “Cívico-Militar”.

A matéria diz, ainda, que o fornecimento de material escolar e uniforme serão fornecidos gratuitamente aos estudantes que comprovarem baixa renda.

Se aprovado o texto, o ingresso dos estudantes nas escolas que aderirem ao programa será feito mediante processo seletivo anual, como já ocorre nas escolas militares em funcionamento.

Entre as principais características do modelo de ensino militar, conforme descreve o projeto de lei em tramitação na Assembleia de Mato Grosso, estão “execução diária e obrigatória do Hino Nacional em postura adequada; formação de fila marcial para acesso às salas de aula; estímulo de valores e princípios militares; e prática de atividades esportivas que estimulem disciplina, autocontrole e a cooperação”.

18 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Cpa
    13 Mai 2019 às 13:06

    mtos dizem que colégios militares e a saída para esses adolescentes e jovens, por causa da disciplina. tudo mentira . vai no terminal do CPA 1 depois 17.30. a bagunça que os estudantes do Colégio militares fazem. estudei sempre em escola pública. sempre respeitei meus professores .os inspetores e todos que ali trabalhavam. educação vem de casa.

  • James
    13 Mai 2019 às 09:07

    KKK, pra os cuiabanos quem achavam que conviver com Campo Grande no mesmo estado era um saco, agora tem que aguentar essa gauchada conservadora de Porecatu (gaúchos nascidos no Paraná) que aflora em Lucas do Rio Verde e vem morar como deputado em Cuiabá (longe dos eleitores em Lucas, que pedem favor demais como contrapartida ao voto e enchem a paciência desses deputados, KKK). Divisão de Mato Grosso, já, e que esses chatos fiquem morando lá em Sinop, a nova capital. Campanha: Sinop para capital do novo estado, e transferência já destes políticos do Nortão para lá. Mas quem diz que esses políticos querem morar em Sinop, com aquele povo lá pegando no pé deles? É tão conveniente morar em Cuiabá, longe do eleitorado. Não é? KKK. Esse deputado teve 12 mil votos apenas e acha que representa um estado com 3,5 milhões de habitantes. Aliás, os colégios militares são muito bons, mas são alternativa para os filhos dos militares e não uma obrigação para a população, e nem é obrigação dos militares cuidar da educação da população toda. Alô, polícia, atenção nesse deputado maluco. KKK.

  • paulo henrique
    13 Mai 2019 às 07:56

    Ainda bem, desde que pague os professores de acordo com os salários dos militares, serão todos equiparados a oficiais. Agora sim a valorização do profissional da educação, será se vai passar?

  • vitor
    13 Mai 2019 às 07:37

    Quanta ignorância.... Não é o sistema militar que vai mudar as escolas... é a visão que todos devem ter da escola que deve mudar... O seu filho que VOCÊ não pôs limites nele quer que a escola põe? Estamos cansado de sermos criticados por pais que não sabem o que fazer com o filho e os levam a escola para o prof resolver... esse é o verdadeiro problema da educação.... professores doentes por ter que suportar o sei FILHO mal educado e agora PM vai mudar tudo? o primeiro a ser chamado na escola militar vai ser você pai, que é o principal responsável por seu filho e aí vai fazer o que? há

  • estevão
    13 Mai 2019 às 07:07

    uma ideia brilhante concordo plenamente,tem que haver disciplina nos colégio no lugar de professores como diretor e coordenador coloquem os praças reformados para ocuparem esses cargos.

  • Vamdo
    13 Mai 2019 às 04:18

    Mas o que este favaro e na ordem do Dia? Kkk, funcionário público sem cargo nenhum. Tem q ter voto. Kkkk

  • Jango
    12 Mai 2019 às 22:01

    Não é o regime, é o carácter que faz a diferença...

  • Juracy Ady
    12 Mai 2019 às 20:28

    Excelente proposta. Militares tem disciplina rígida para a geração nem-nem. Nem estuda Nem trabalha. Bolsonaro é o nosso presidente!

  • BOLSOMITO
    12 Mai 2019 às 19:27

    COMO NA ESFERA FEDERAL, OS VERMES DA ESQUERDA SEMPRE DIFICULTANDO AS COISAS QUE SÃO PARA O BEM! QUEM CONHECE ESSE ESTILO DE ESCOLA NÃO QUER MAIS SABER DA ESCOLA BADERNA, ANARQUIA E DROGA À VONTADE!

  • José Maurival Cavalcante
    12 Mai 2019 às 18:42

    Projeto Excelente, uma inovação providencial as escolas do estado. Assim se formará cidadãos...

Sitevip Internet