Olhar Direto

Segunda-feira, 24 de junho de 2019

Notícias / Cidades

Professores da Unemat aderem à greve geral contra bloqueio na Educação e Reforma da Previdência

Da Redação - Fabiana Mendes

14 Mai 2019 - 17:06

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Professores da Unemat aderem à greve geral contra bloqueio na Educação e Reforma da Previdência
Os professores de Universidade do Estado de Mato Grosso reagiram ao anúncio do Governo Federal do bloqueio orçamentário para educação e vão paralisar suas atividades na quarta-feira (15). A paralisação tem como pauta a adesão de duas agendas nacionais, a Greve Nacional da Educação e a luta Contra a Reforma da Previdência. Em Cuiabá, um ato está previsto para acontecer na Praça Alencastro, às 14 horas. Várias ações devem acontecer nos campus no interior do Estado. 
 
Leia mais:
Contra corte de R$ 34 mi e Reforma da Previdência, UFMT adere à greve geral

A paralisação dos professores da Unemat soma a uma agenda do campo educacional, definida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), integrando a data ao calendário de lutas aprovado no III Encontro Nacional de Educação (ENE).

Para o Sindicato dos Docentes da Unemat (ADUNEMAT), a paralisação é uma tentativa de impedir que um possível "desmonte do Estado promovido pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) avance definitivamente sobre o ensino público brasileiro". Além da agenda da educação, o dia 15 é parte de uma agenda nacional contra a Reforma da Previdência. 
 
“A Greve Nacional da Educação é uma resposta a todos esses ataques que a educação pública, professores e professoras, estudantes, técnicos administrativos vêm sofrendo, com toda essa perseguição ideológica e política. Será um dia em defesa da educação pública, da liberdade de ensinar e aprender”, diz o comunicado enviado à imprensa.

Conforme informações da assessoria de imprensa, além da paralisação das atividades, as subseções da Adunemat, por meio de seus sindicalizados, promoverão atos em várias cidades no interior do Estado onde há Campus da Unemat. Em Cáceres uma passeata com panfletagem está programada para ter início às 8h da manhã do dia 15, encerrando a programação na Unemat com debates e programação cultural. Em Sinop, a programação tem inicia às 9h com palestras, seguida de feira de ciências e passeata, encerrando-se com uma extensa programação cultural na Praça Plínio Gallegaro.

10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Junior
    15 Mai 2019 às 08:24

    Sério mesmo que existe um movimento contra a reforma da previdência?? Seus doentes, vc vivem em q mundo?!?!

  • CAL
    15 Mai 2019 às 08:02

    A grande maioria ( não todos ) desse pessoal adora uma greve ... Bônus é com eles , ja o ônus... bem esse , depois damos um jeito ... e viva o Brasil... todos com salários em dia , nada perderão em direitos ... mas ... assim acreditam que farão um Brasil melhor ...

  • paranaense
    15 Mai 2019 às 07:51

    Ato político organizado agora virou greve. Eu caso 10 pal com quem quiser ai que no meio dessa greve vai ter um "Lula Livre"

  • LEI
    15 Mai 2019 às 07:46

    Só isso que eles sabem fazer...

  • marques
    15 Mai 2019 às 07:34

    Esses professores malemá dão aula normal, viajam mais que qualquer outra pessoa, deixam alunos sem aula, essa Unemat não investe em nada, não tem laboratório descente, nem a parte de limpeza fazem direito, para onde vai esse dinheiro que essas faculdades e universidades recebem? que são milhões, que que cortar mesmo, acabar com essas mamatas

  • CHIRRÃO
    15 Mai 2019 às 07:31

    TODOS ALINHADOS DO PT...SÓ PRA FAZER LAMBANÇA E TUMULTO...ENSINAR QUE É BOM NADA!!! DA ATÉ VERGONHA DE VER O GRAU DE CONHECIMENTO DAS CRIANÇA~S QUE ESSES PROFESSORES ENSINAM.

  • Ronalda
    14 Mai 2019 às 22:40

    Por que essa turma não vai cassar um trabalho ao invés de reclamar?!

  • Zaqueu Toledo
    14 Mai 2019 às 20:39

    Trabalho dia inteiro e pago faculdade particular. Sou cem por cento Bolsonaro. Chega de sustentar essas universidades esquerdistas. Mauro Mendes poderia sobrepujar o presidente e extinguir essa universidade estadual.

  • Alan Pantaneiro
    14 Mai 2019 às 18:52

    A UNEMAT tem nada a ver com os cortes do MEC que é uma medida de corte provisória. O problema é ideologias políticas partidárias que esse docente são todos esquerdista. Cadê o governador pra cortar pontos desses disfarçados de professores

  • Zeca
    14 Mai 2019 às 17:18

    Nunca trabalharam, sempre fizeram greve, agora vem com essa conversa fiada de previdência e bloqueio na educação. O bloqueio que há na educação é exatamente a falta de vergonha na cara dos docentes e alguns discentes que não trabalham, não estudam, só vivem de malandragens.

Sitevip Internet