Olhar Direto

Quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Notícias / Educação

Profissionais da educação cobram 'lei da dobra', condições de trabalho e cogitam greve geral

Da Redação - Thaís Fávaro

20 Mai 2019 - 10:11

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Profissionais da educação cobram 'lei da dobra', condições de trabalho e cogitam greve geral
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) debate na tarde desta segunda-feira (20), em assembleia geral da categoria, na Escola Estadual Presidente Médici, em Cuiabá, possibilidade de greve geral por tempo indeterminado a partir de 27 de maio. 

Leia mais
Secretário cita déficit de R$ 3,5 bilhões e salários até dia 10 para evitar greve na Educação
 
O encaminhamento do Conselho de Representantes, realizado nos dias 18 e 19 de maio, foi pelo enfrentamento à gestão Mauro Mendes (DEM). Segundo o Sindicato, as respostas oficiais às demandas apresentadas foram consideradas evasivas tendo como foco a falta de respeito com os profissionais da educação.
 
O presidente do Sintep/MT, Valdeir Pereira, esclareceu que foram inúmeras as tentativas de negociações. "O governo se mantém irredutível e faz o debate apenas sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal, e o orçamento do estado”, argumenta.

“Enquanto a Educação não for prioridade faremos à resistência”, destaca o presidente. Para além da exigência do cumprimento da Lei da Dobra do Poder Compra (510/2013), que equipara o salário dos profissionais da Educação às demais carreiras do executivo estadual, de mesmo nível, cobram condições de trabalho, infraestrutura das escolas e equipamentos pedagógicos.

Segundo a Secretaria de Gestão, quanto as pautas apresentadas existem impeditivos legais como a Emenda Constitucional 81/2017 (PEC dos Gastos), que instituiu o Regime de Recuperação Fiscal, a Lei 614/2019 que estabeleceu normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e a Lei Federal 101/2000 (LRF), que define em 49% da Receita Corrente Líquida o limite com gastos de pessoal.

O último relatório emitido pela Secretaria de Fazenda, do 3º quadrimestre de 2018, aponta que o Estado gastou 57,89% da RCL com despesa de pessoal. Além disso, o Estado passa por uma de suas piores crises financeiras com um déficit acumulado na ordem de R$ 3,5 bilhões.

Em recente entrevista, o governador Mauro Mendes (DEM), declarou que o valor pago aos profissionais de educação no Estado é o terceiro melhor no país, mas no ranking nacional que avalia o desempenho entre as demais unidades federativas, o Estado está na 21ª colocação. Segundo o governador, os dados são incompatíveis.

“Eu já disse algumas vezes que se greve resolver o problema de Mato Grosso vamos todos fazer greve. O governador faz greve, o jornalista faz greve, o empresário faz greve, o servidor faz greve. Greve não resolve. Mato Grosso hoje tem dificuldade em pagar seus salários, porque os salários aumentaram muito no Estado. O Sintep tem todo o direito de fazer porque é livre o direito de greve, mas os profissionais da educação de Mato Grosso já têm o terceiro melhor salário do Brasil e nós temos a 21ª pior educação do Brasil, então é o momento de refletir um pouco sobre isso. Nós precisamos melhorar a educação sim, mas não é só melhorando salário que nós vamos melhorar a educação”, rebateu o governador.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Wilson
    20 Mai 2019 às 23:08

    Nunca votei no PT, isso e um desrespeito.com os profissionais da educação, salário atrasado, má condição de trabalho. Que Deus tenha piedade da alma egoísta de vocês, só queremos nossos direitos. Podem ficar tranquilos que essas aulas serão repostas, nenhum aluno será prejudicado. Único prejudicado e o professor que tem o segundo menor salário do executivo, e maltratado pela sociedade. Eu tenho família, preciso colocar comida em casa. Quero ver atrasar o salário de vocês. Egoístas.

  • DESEMPREGADO
    20 Mai 2019 às 12:19

    QUEM APOIOU ESSES POLÍTICAS DO PT PMDB E PSDB AGORA RECLAMA QUE O PAÍS ESTÁ AFUNDANDO, A CONTA CHEGOU PARA TODOS

  • Professor do Liceu
    20 Mai 2019 às 11:56

    OS PROFESSORES SÃO BRILHANTES ESTARÃO LÁ, TODOS DE VERMELHO, VIVA LULA VIVA MADURU

  • Nome
    20 Mai 2019 às 11:53

    Escola e mais escolas com estrutura precária. Em Cáceres escola Onze de Março está a quase 40 dias interditada, Escola União e força e Caic sem prédio. Repasses p escolas atrasados.

  • Fil
    20 Mai 2019 às 11:50

    Professor de Liceu nem pelego é, está abaixo, é baixeiro.

  • O PT ROUBOU, PROF É PT, LOGO....
    20 Mai 2019 às 10:47

    O MIOLO DO PÃO: LULA LIVRE, ROSA NEIDE, GREVE CONTRA BOLSONARO E FASCISMO.

  • Professor do Liceu
    20 Mai 2019 às 10:44

    ENQUANTO OS PELEGOS DISCUTEM ESTAREI RELAXANDO EM CASA....

Sitevip Internet