Olhar Direto

Sexta-feira, 19 de julho de 2019

Notícias / Política MT

Medeiros defende possível desvio de conduta de Moro: ‘barulho político, não vai dar em nada’

Da Redação - Érika Oliveira

17 Jun 2019 - 17:25

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Medeiros defende possível desvio de conduta de Moro: ‘barulho político, não vai dar em nada’
As mensagens vazadas pelo site The Intercept Brasil, atribuídas ao ministro da Justiça Sergio Moro e procuradores da força-tarefa da Lava Jato seguem repercutindo no meio político. Vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara, o deputado José Medeiros (Pode) disse que o relacionamento entre juízes, advogados e promotores durante o curso processual é “a coisa mais normal do mundo”.

Na semana passada, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) abriu processo administrativo disciplinar contra Dallagnol e os demais procuradores da República citados na série de reportagens do The Intercept.

Leia mais:
Deputada pede investigação sobre vazamento de conversas e diz que máscara de Moro caiu

“Aquilo é mais espuma do que chopp. No Brasil, vira escandâlo quando publica. Os juízes, vou contar um segredinho, conversam com advogado da parte, com promotoria, é a coisa mais normal do mundo. Acontece todos os dias. É ilegal do ponto de vista assim: se eu estiver na parte do réu vou reclamar, se eu estiver do outro lado vou achar bom. E ali é o seguinte, uma coisa é eu dizer ‘vamos plantar provas’, outra coisa é discutir processo. A discussão saiu da esfera política porque ali tem dois viés: politico, que a população quer sim que juiz e promotor conversem para prender bandido; e o lado técnico, que os advogados dizem que não pode nem cumprimentar. É barulho político, não vai dar em nada”, avaliou José Medeiros.

No despacho do CNMP, o corregedor nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel, deu 10 dias para que os procuradores se manifestem. O prazo se encerra esta semana. No documento, o corregedor afirma que a imagem social do MP deve ser resguardada e a sociedade deve ter a plena convicção de que seus membros se pautam pela plena legalidade, mantendo a imparcialidade e relações impessoais com os demais Poderes constituídos.

No caso de Moro, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) entendeu que não caberia abertura de investigação, uma vez que o atual ministro da Justiça não possui mais vínculos com o Poder Judiciário, pois pediu exoneração do cargo de juiz ao aceitar o convite de Jair Bolsonaro (PSL) para compor seu staff.

A decisão foi do ministro Humberto Martins, que reconheceu que a exoneração solicitada por Moro tem disciplina diversa da aposentadoria, seja ela voluntária ou compulsória. "A adoção da tese de que seria possível se aplicar penalidade a juiz exonerado criaria uma situação no mínimo inusitada: o juiz pediria exoneração, cortando seu vínculo com a administração, e a instância administrativa instauraria um procedimento que, se ao final concluísse pela aplicação da penalidade, anularia a exoneração e aplicaria ao juiz a aposentadoria compulsória com proventos proporcionais", afirmou Martins.

Vaza Jato

O site The Intercept divulgou dia 09 de maio trechos de mensagens atribuídas a procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba e ao então juiz Sérgio Moro extraídas do aplicativo Telegram.

Segundo o site, as informações foram obtidas de uma fonte anônima. O site diz que procuradores, entre eles Deltan Dallagnol, trocaram mensagens com Moro sobre alguns assuntos investigados.

Segundo o Intercept, o então juiz Sérgio Moro orientou ações e cobrou novas operações dos procuradores. Em um dos diálogos, Moro pergunta a Dallagnol, segundo o site: "Não é muito tempo sem operação?". O chefe da força-tarefa concorda: "É, sim".

Em nota, Moro lamentou que a reportagem não indicasse a fonte das informações e o fato de não ter sido ouvido. Segundo ele, no conteúdo das mensagens que citam seu nome, "não se vislumbra qualquer anormalidade ou direcionamento da atuação enquanto magistrado, apesar de terem sido retiradas de contexto e do sensacionalismo das matérias, que ignoram o gigantesco esquema de corrupção revelado pela Operação Lava Jato".

Dallagnol, por sua vez, defendeu a imparcialidade da Lava Jato e disse que a operação acusou políticos e pessoas ligadas a diversos partidos. Em um vídeo, o procurador disse ser natural a comunicação entre juízes e procuradores sem a presença da outra parte. Afirmou ainda que o Ministério Público Federal teve processos recusados e que 54 pessoas denunciadas pelo MPF foram absolvidas por Moro. "A Lava Jato é contra a corrupção, seja de quem ela for".
 

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gladston
    18 Jun 2019 às 07:28

    O país fica paralisado enquanto essa quadrilha faz arruaça! Acredito que realmente só há barulho mais uma vez, mas enquanto isso nosso Brasil não anda, beneficiando esses bandidos da oposição e ferrando NOVAMENTE a população!

  • Osvaldo
    18 Jun 2019 às 00:01

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Ares
    17 Jun 2019 às 23:45

    Parabéns MORO por você ter sido grampeado dizendo que ia prender corruptos criminosos que destruíram e arrasaram o Brasil esse povo do pt é muita cara de pau primeiro queriam soltar um presidiário para elege lo como presidente do Brasil depois lançaram outro candidato com a ficha mais suja que pau de galinheiro com mais de 30 processos na justiça a reforma da previdência vai ter que ser feita quer queira quer não mais de 55 cinco países já foram obrigados a fazer nas décadas de 80 e 90 só pesquisarem no Google com certeza o pt se não fizer o Brasil quebra de vez se esse pt continuasse no governo do Brasil estaríamos enrolados eles iam rapar o sol com a peneira pra permanecer no poder ganhar popularidade e não iriam realizar a reforma da previdência quando o Brasil assustasse estaria num caminho sem volta pior do que o pt já nos deixou hj única herança de pt foi violência inflação crise corrupção desemprego vocês reflitam se querem que seus descendentes passem por situações piores que passamos hj a bandeira do Brasil é azul verde amarelo e branco não vermelha já começa por aí CORRUPÇÃO MATA

  • E.
    17 Jun 2019 às 21:58

    Se você age propositalmente errado, não tem condições de cobrar o que é certo, pronto acabou! Próximo assunto.

  • Bea
    17 Jun 2019 às 18:33

    Qdo vc diz q não vai dar em nada quer dizer q tem certeza da impunidade, por isso q o judiciário e os políticos estão desacreditados no Brasil, por ter juízes iguais ao moro e políticos iguais a vc.

  • ROBSON JOSÉ
    17 Jun 2019 às 18:24

    Provavelmente não deve dar em nada mesmo, a maioria do STF é composta por gente do tipinho desse cara, ou seja, gente que defende todo tipo de atos criminosos. No judiciário brasileiro existem ótimos magistrados, mas infelizmente um parcela bastante significativa contamina a justiça brasileira, que está na lama, e é apoiada por certos políticos, ou seja, péssimos políticos como esse "deputado", que deviria honrar a Constituição brasileira. Nem sei se algum dia ele leu a Constituição, tenho dúvidas.

  • Josiane Malinowski
    17 Jun 2019 às 18:16

    Cuidado Medeiros. Vc pode ser vítima de um judiciário corrompido no futuro.

Sitevip Internet