Olhar Direto

Terça-feira, 12 de novembro de 2019

Notícias / Cidades

"O esporte equestre viabiliza a existência do cavalo", diz criador em protesto em frente à AL; Veja fotos e vídeo

Da Reportagem Local - Fabiana Mendes / Da Redação - Isabela Mercuri

18 Jun 2019 - 11:53

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Cerca de 300 cavaleiros, além de mais 800 pessoas em carros, participam na manhã desta terça-feira (18) de uma manifestação pelos esportes equestres. O protesto é uma reação a uma decisão do Ministério Público do dia 1º de junho, que proibiu a realização das provas de laço em dupla e técnico na 7ª Semana do Cavalo, em Cuiabá.

Leia também:
Manifestação em prol dos esportes equestres fecha ruas em Cuiabá nesta terça

“Tivemos um prejuízo de 400 mil reais no evento devido ao Ministério Público embargar a prova na sexta às nove da noite. Já tinha gente que tinha andado dois mil quilômetros para ir ao evento. Nosso evento estava sendo anunciado há 30 dias, e eles deixaram para a última hora, não nos dando chance de se defender ou tentar reverter”, lamentou Cae Póvoas, organizador da manifestação.



Segundo Cae, estão presentes nesta manhã criadores e empresários do segmento. “Estamos aqui hoje no intuito de, com os deputados, regulamentar os esportes equestres. Nosso segmento vem sofrendo varias ações do Ministério Público junto às ONGs que causam prejuízos imensuráveis, tanto financeiros quanto emocionais. Nós não somos bandidos, queremos trabalhar, queremos lutar pelo nosso direito de trabalhar”.

Cae Póvoas, organizador da manifestação (Foto: Olhar Direto)

Os manifestantes saíram às 8h da manhã do Haras Twin Brothers e percorreram cerca de 10 quilômetros até a Assembleia Legislativa, passando em frente ao Ministério Público Estadual. O organizador cita que eles já têm o apoio de diversos parlamentares estaduais, e que a intenção é de levar a discussão também ao Congresso Nacional, onde já têm o apoio do deputado federal Eduardo Bolsonaro.  

André Turone, criador de cavalo pantaneiro, também está presente na manifestação, e afirma que, atualmente, os cavalos só sobrevivem porque ainda são úteis para os esportes equestres. “O evento esportivo equestre é o que vai manter, viabilizar, a existência do cavalo. A ausência dos esportes vai fazer os cavalos desaparecerem, porque eles não tem mais utilidade. É preciso que a sociedade entenda que os cavalos tiveram várias etapas de importância na vida da organização mundial. Eles já foram meios de transporte, implemento agrícola puxando arado, equipamento de guerra, mas tudo isso já foi substituído por equipamentos modernos. E o que sobra? Participar de uma cavalgada, de um evento esportivo. E essa união homem-cavalo, ao longo da história da humanidade, sempre foi muito importante. Ela é um elo de contato entre os humanoides e o mundo que a gente chama de animal, mas que no cavalo e no cão encontra sua maior expressão de relacionamento em todo o planeta”, disse.


André Turone, empresário do turismo e criador de cavalo pantaneiro (Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto)


O empresário cria em torno de 130 cavalos na cidade de Poconé. Segundo ele, outra consequência desta proibição é o impacto nos empregos. “Só no meu caso, tenho três pessoas diretamente ligadas na fazenda só para cuidado de cavalo. E tem mais um veterinário e todo o mundo das rações, da medicina. Somos pioneiros na transferência de embrião, então temos a equipe que cuida disso. Preparamos animais para prova, e precisamos de uma equipe de treinadores... então olha, só no meu caso, quantas pessoas envolvidas. É um sem número de empregos, de pessoas que amam os cavalos antes de mais nada”.

Para Turone, o ideal seria que fossem estabelecidas regras para os esportes, e não sua proibição. “Falam tanto de maus tratos ao gado... É simples: estabeleçam regras baseados em observações medicinais, peguem num cenário de um rodeio com X animais, vejam as consequências, e criem regras que a gente aceita. O que não pode é suspender provas por critérios não fundamentados na ciência, e apenas por emoções de quem está querendo aparecer em cima de uma atividade que é muito séria”, disse.

8 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ana
    19 Jun 2019 às 09:03

    PARABENS AO MP E QUE APLIQUE MULTAS SEVERAS A UEM DESRESPEITAR.

  • Danielle
    19 Jun 2019 às 09:00

    Eu apoio as provas equestres!! não tem cavalos mais cuidados do que os que praticam o esporte e hoje utilizo o cavalo para terapia de crianças autistas , para adultos com depressão e ate mesmo para Bullying escolar!! sim as provas equestres !!!!

  • Cindy Loper
    19 Jun 2019 às 07:52

    Eu particularmente não acho legal não..

  • EDSON
    18 Jun 2019 às 23:47

    É perda de tempo. O que vcs acham de colocar os cavalos no lombo desse povo .

  • Alguém
    18 Jun 2019 às 18:46

    Primeiramente FABI: vc deveria saber que o CASCO do cavalo n deixa queimar a pele, ainda mais ainda com ferradura! ESTUDE! TYRONE: vc NÃO SABE O QUE FALA, primeiro vc participa de algum rodeio ou festa de cavalo pra falar alguma coisa, pq os cavalos e demias animais são MUITO BEM CUIDADOS, mais do que os cavaleiros! Um cavalo custa caro e mais ainda o trato e cuidados... Ninguém perde um cavalo de 50 mil de graça, mané! Além de gerar muitos empregos cada festa de laço... N fala o que não sabe, sai da frente do Cel ou computador e vai pesquisar!

  • Tyrone
    18 Jun 2019 às 13:19

    Parabéns aos responsáveis pela proibição. Não dá para colocar lucros e divertimento em primeiro lugar, em detrimento do bem estar animal!

  • Rodrigo
    18 Jun 2019 às 12:51

    Belas palavras do André Turone, criador do cavalo pantaneiro. A sociedade mudou, não precisa mais de cavalos, torna-se necessário mudanças. Em alguns lugares, não é permitido animais em circos. Uma transição racional deverá acontecer. Abraço!

  • fabi
    18 Jun 2019 às 12:27

    coitado dos cavalos andando nesse sol escaldante com esse asfalto quente tadinho. poderia ter feito mais cedo pra não judiar dos animais

Sitevip Internet