Olhar Direto

Quinta-feira, 05 de dezembro de 2019

Notícias / Cidades

Escrivães da polícia protestam em frente à Sesp contra Reforma da Previdência; veja vídeo

Da Redação - José Lucas Salvani

25 Jun 2019 - 17:32

Foto: Reprodução

Escrivães da polícia protestam em frente à Sesp contra Reforma da Previdência; veja vídeo
O Sindicato dos Escrivães da Polícia Civil Judiciária de Mato Grosso (Sindepojuc-MT) protestou em frente à Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp) contra a Reforma da Previdência, na tarde desta terça-feira (25). 

Leia mais:
Escrivães da Polícia Civil aderem à paralisação geral na próxima semana

Em vídeo, o presidente do Sindicato dos Escrivães, Davi Nogueira, conta que a manifestação acontece em todo o país e visa promover um alinhamento com o tratamento dado aos policiais militares. “Estamos aqui reivindicando novamente por uma aposentadoria justa para os policiais civis de todo o Brasil. Nós queremos isonomia de tratamento em comparação com a PM”, declara no vídeo.

A categoria do estado anunciou a adesão da paralisação nacional no dia 14 de junho, em conformidade a Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol), que convocou todos os sindicatos do país. Davi explica que o sindicato local deve estar aliado aos filiados, mantendo-os bem informados.
 

Em maio, o sindicato se reuniu em Brasília para um canto na Praça dos Três Poderes, protestando contra a Reforma. Somente o estado de Mato Grosso compareceu com cerca de 200 profissionais da Polícia Civil. No próximo dia 2 de julho, um novo ato com os representantes de cada estado está prevista para acontecer.

“Mobilizamos os escrivães a participarem do manifesto em Brasília, para que o governo sinta a pressão de que não concordamos com as alterações feitas em nossa aposentadoria e para que os deputados votem as emendas para as Polícias Civis (...) Nosso receio é que o governo pressione a base governista para que não acatem essas emendas. Mas, o texto original vai gerar grande prejuízo à nossa aposentadoria”, alertou Davi na última manifestação em Brasilia.

Reforma da previdência

Caso aprovada, a reforma define como idade mínima para aposentadoria 65 anos para homens e 62 anos para mulheres. O tempo de contribuição do trabalhador também pode aumentar, de 15 para 20 anos. Para receber 100%, será preciso ter contribuído 40 anos.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • João
    26 Jun 2019 às 09:11

    Querem só o bônus da PM, mas o ônus eles não querem...

  • paranaense
    26 Jun 2019 às 08:47

    Eu sabia que tinha sindicato envolvido no meio. Pô olhar direto, que definição mais chula essa da nova previdência. Porque não colocam ai que os politicos e autoridades NÃO ganharão mais 30 mil de aposentadoria, mas sim 5 mil, que é o limite do teto.

  • Juinense
    26 Jun 2019 às 08:16

    Esse povo estava em greve??? Nem percebi.

  • adriana
    26 Jun 2019 às 08:01

    Enquanto isso, STF decidi hoje sobre redução dos nossos salários. O do Judiciário é inatingível né..

  • Aroldo Nunes
    26 Jun 2019 às 06:15

    Acho engraçado os funcionários públicos que já ganham muito e não querem participar da reforma e nos podemos.

  • Rejane Aparecida Lins
    25 Jun 2019 às 23:42

    Eles tão certo oras. Eu La quero policial de bengala e caindo os dentes na rua pra me proteger? Fala sério. Fora bolsonaro, Lula livre!!!!!

  • Cidadão
    25 Jun 2019 às 21:46

    De acordo com o TCU, o rombo anual da previdência está em torno de R$ 290 bilhões. É só a elite do funcionalismo público que se aposenta muito cedo com salários acima de 20, 30, 40 e R$ 50 mil que é contra a reforma. Sem falar nos políticos que possuem um plano de aposentadoria especial que com 2 mandatos já estão aposentados pelo resto da vida ganhando um salário de marajá. É por isso que esses dois grupos sociais são contra a reforma. Querem manter seus privilégios.

  • Antônio
    25 Jun 2019 às 19:50

    Vamos deixar de fazer tricô nas portas das delegacias no interior e trabalhar gente..

  • Jurema de Almeida
    25 Jun 2019 às 19:48

    Não foi apenas escrivães. Haviam também delegados e investigadores mostrando que um retrocesso na previdência desses servidores, irá causar uma debandada dos profissionais de segurança, que no futuro irão pensar duas vezes antes de ingressar em uma carreira onde vão ter que atuar em situação de risco até seus 70/80 años de idade. Ou seja, quando já não estarão mais aptos a defender a sociedade.

  • Raimundo
    25 Jun 2019 às 17:53

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet