Olhar Direto

Segunda-feira, 09 de dezembro de 2019

Notícias / Cidades

Visitantes do Parque das Águas defendem habitat e permanência de jacarés após ataque a cão

Da Redação - Fabiana Mendes

15 Jul 2019 - 17:39

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Visitantes do Parque das Águas defendem habitat e permanência de jacarés após ataque a cão
Os frequentadores do Parque das Águas, no Centro Politico Administrativo, em Cuiabá, defenderam a permanência de jacarés no local após um cachorro ter sido atacado e morto no lago, no último sábado (13). O entendimento da maioria era de que o réptil estava em seu habitat. A Prefeitura de Cuiabá, por meio de nota, afirmou que mesmo que a cerca fosse instalada ao redor de todo o lago, a medida não evitaria esta ocorrência.

Leia mais:
Cachorro é retirado intacto do Parque das Águas após ataque de jacaré; quatro animais vivem no local

Na manhã desta segunda-feira (15), a reportagem do Olhar Direto esteve no local e todos entrevistados defenderam a permanecia dos jacarés e destacaram a existência de avisos sobre o uso obrigatório de coleira e guia para conduzir animais nas vias do parque. A presença de jacarés, entre outros animais, também é sinalizada. 

O jovem Gustavo Moreira costuma caminhar no parque todos os dias acompanhado de seu cachorro. Para evitar imprevistos, ele costuma ficar atento aos locais que o seu animal passeia.
 
“Eu fico atento para ver se não tem nenhum jacaré na beira do lado ou capivara. Ele não tem noção, acaba até indo para cima. Ando com ele sem coleira, mas quando vejo que tem algum animal próximo, na frente, eu coloco a coleira para que não aconteça o que aconteceu”, ponderou.
 
Segundo ele, a morte do cachorro no final de semana foi uma fatalidade com um pouco de negligência do dono. “É uma fatalidade e um pouco de negligência do dono de estar brincando com ele próximo [do jacaré]”, disse.
 
O aposentado José de Oliveira, de 74 anos, pontuou que o parque precisa de reforço na fiscalização e organização. Entretanto, também defendeu que tanto o jacaré quanto os cachorros devem continuar no local. “Quanto a organização para os usuários, falta muita coisa. Não há necessidade [de cerca], desde que haja uma fiscalização, que observa quando um animal desses se aproxima”.



O técnico em informática, Bruno Fernandes, pontua que os frequentadores devem prestar atenção em seus animais. Ele também considera desnecessário a implantação de uma cerca no entorno da lagoa. “Aqui é a natureza dos animais. Foi um pouco de negligência [do dono]. A pessoa tem que prestar mais atenção”.



Estima-se quatro jacarés de tamanhos diferentes vivam no local e esse é o primeiro episódio registrado envolvendo animais que habitam na área. Conforme apurado pela reportagem, o cão foi atacado depois de pular no lago para  buscar um graveto jogado pelo seu dono. Horas depois, o cão foi retirado, intacto. Em uma imagem que circula pela internet é possível ver o animal sendo carregado na água.



O Parque das Águas conta com monitores e guardas. A orientação repassada aos profissionais é para que os não permitam que frequentadores subam na cascata ou entrem no lago. A Prefeitura Municipal asseverou que a sinalização, contudo, será reforçada, assim como o número de educadores ambientais no local. As medidas visam à conscientização dos frequentadores e evitarão que outros incidentes do tipo aconteçam. 

O local, que é habitat de cobras, jacarés e capivaras, possui uma área de lazer de 270 mil m². Conta também com 1.500 metros de pista de corrida e caminhada, 1.600 metros de ciclovia, além de dois restaurantes e um Food Park. 
 
O caso
 
Um cachorro de médio porte foi morto por um jacaré enquanto tentava buscar um graveto jogado por seu dono no lago do Parque das Águas, região do Centro Político Administrativo, em Cuiabá, no último sábado (13).
 
De acordo com a administração do parque, o dono estava jogando o graveto no lago para seu cachorro ir buscá-lo e em uma das vezes, o pedaço de madeira caiu próximo a um jacaré, que o atacou.
 
O dono ficou desesperado e até pensou em entrar na água para tentar salvar o seu animal de estimação, mas acabou impedido. Famoso em redes sociais, o jacaré que vive no parque fez várias aparições em ruas e avenidas do Centro Político Administrativo no ano passado.
 
No fim do ano passado, a Prefeitura de Cuiabá alertou os visitantes do parque, após as pessoas atacarem o animal com pedradas. Em um de seus passeios pela cidade, o animal silvestre precisou ser capturado por uma equipe do Corpo de Bombeiros e devolvido ao lago.

Veja a íntegra do posicionamento da Prefeitura de Cuiabá sobre o ocorrido:

A respeito da segurança no Parque das Águas a Prefeitura de Cuiabá informa que:
- O incidente no qual um cachorro foi atacado por um jacaré é pontual, uma vez que nenhuma situação semelhante foi registrada desde a inauguração do Parque, em 2016. 
 - O jacaré estava em seu habitat natural, dentro do lago, quando o cachorro entrou na água para buscar um graveto, arremessado por seu dono. 
- Parte do espaço conta com uma cerca que separa o Parque da nascente do lago, que fica em uma região de mata fechada. Isso impede que outros animais silvestres invadam a área pública.
- Mesmo que a cerca fosse instalada ao redor de todo o lago, a medida não evitaria esta ocorrência, uma vez que o cão foi incentivado a entrar na água e sua movimentação na superfície motivou o ataque. 
- O Parque das Águas conta com monitores e guardas. A orientação repassada aos profissionais é para que não permitam que os frequentadores subam na cascata ou entrem no lago. 
- É importante destacar que o lago existe para contemplação, não para banho ou prática de esportes.
- Por toda a área, há placas que informam sobre a proibição de entrada na água. A sinalização, contudo, será reforçada, assim como o número de educadores ambientais no local. 
- Essas medidas visam à conscientização dos frequentadores e evitarão que outros incidentes do tipo aconteçam.  
- Há que se reforçar ainda que os jacarés e capivaras estão em seu habitat natural e que o espaço deve ser respeitado pelos seres humanos que aproveitam da beleza da região para práticas esportivas e de lazer.

 

18 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Pau de guarda chuva
    16 Jul 2019 às 14:40

    Estão esperando ele pegar uma criança para tomarem alguma providência Como se cachorro não tivesse dor Animal pode ser morto e fica por isso mesmo .

  • Keila
    16 Jul 2019 às 14:20

    Bando de hipócritas!

  • Chuvisco
    16 Jul 2019 às 12:40

    O ser humano não aprende mesmo! Enquanto esse bicho não matar uma criança ninguém vai tomar providências. A ignorância é tanta que muitos pensam e dizem: "foi só um cachorro", então tudo be, né!?.....isso foi um aviso, pra se evitar situações piores. O animal não tem noção de que está fazendo o mal é por isso que Deus deu a capacidade de pensar logicamente, ao animal que ele chamou de "Humano"......e ainda assim, escolhemos agir como os animais comuns. Triste ver isso!

  • igor ferreira
    16 Jul 2019 às 11:20

    O jacaré nem comeu o cachorro na hora, ele nem estava com fome. A questão é que ele agiu por extinto, qualquer coisa que bate na água próximo a ele será atacado. Ali é o habitat do JACARÉ, a culpa é do dono que jogou o graveto na água. Nessa história são 3 animais, o Jacaré, o cachorro e o BURRO(dono).

  • Stéffiny
    16 Jul 2019 às 10:21

    A verdade é que ali é o habitat deles e fomos nós que invadimos se tem placa, sinalização tem que ser respeitado. E outra não é a primeira e nem a segunda reportagem informando que no parque tem jacaré.

  • alysson oliveira
    16 Jul 2019 às 09:39

    ali é o local dele nós chegamos lá. ali sempre foi uma lagoa acabada que se tinha animais da mata vivendo ali. o homem chegou no habitat deles. o homem foi o culpado, todos os dias essa cara ficava fazendo isso com o animal dele isso iria ocorrer um dia. em outras capitais como campo grande tem capivara, jacarés, tuiuiu, tartarugas em um parque perto da UFMS e a população respeita o habitat deles sem intervenção de grades e outros. aqui em cuiabá querem tirar os jacarés eu sou contra e se for preciso defenderei a permanência deles ali na justiça.

  • naro
    16 Jul 2019 às 09:01

    so comentario babaca msm, onde ja se viu jacare viver no meu do povo? no dia que for filho de alguem quero ver se vao tratar da msm forma pq foi cachorro, o parque foi criado para as pessoas, o ambiente natural do jacare ali nao existe mais, certo e retirar e levar para outro lugar adequado. ou colocar uma proteçao em toda lateral ali.

  • gilvania de mello
    16 Jul 2019 às 08:56

    Se não tivesse jacarés la eu banharia naquele lugar. Ah, e completamente nua, pois sou adepta do naturismo. Bjs

  • Carlos
    16 Jul 2019 às 07:31

    Que tal os responsável pelo parque colocarem alguns milheiros de tilápias lá, vai ter comida em abundância.

  • Jefferson
    16 Jul 2019 às 06:07

    Ainda nao foi uma criança... quando for levaremos ele para o pantanal p/ viver no local dele...

Sitevip Internet