Olhar Direto

Quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Notícias / Política MT

Cada vez mais distante de FEX de 2018, Mauro diz que já não 'dorme ou acorda' pensando no recurso

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo / Do Local - Erika Oliveira

16 Set 2019 - 18:02

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Cada vez mais distante de FEX de 2018, Mauro diz que já não 'dorme ou acorda' pensando no recurso
Trabalhando em medidas para trazer o equilíbrio econômico para as contas do Estado desde que tomou posse em janeiro, o governador Mauro Mendes (DEM) mudou o tom do discurso e declarou que não está mais ‘acordando, ou dormindo’ pensando em recursos como o do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX) referente ao ano de 2018, que não foi pago pelo Governo Federal.

Leia também
Gallo confirma “calote” do FEX de 2018 e expectativa por recursos da cessão onerosa


Após pouco mais de oito meses no Palácio Paiaguas, Mendes garante que daqui para frente irá tocar o governo dentro de sua realidade e que se, por ventura, um novo recurso chegar aos cofres do Estado, será muito bem gasto.

“O FEX é uma possibilidade que existe, está sendo trabalhada desde o início do ano, mas não temos nada de concreto. O Senado aprovou, os recursos tem prazo para entrar, então não dá para fazer uma especulação. Estou tocando o governo, olhando para nosso caixa, para nossa realidade, para nossas despesas, nossas receitas e óbvio, que se um dia chegar um dinheiro extra, ele será bem gasto, porque tem muita coisa para fazer aqui no Estado”, disse o governador, explicando que sua prioridade é  a cada dia, melhorar a receita e cortar as despesas.

“Não fico aqui acordando e dormindo, pensando em FEX e recessão onerosa. Eu acordo e durmo pensando em cortar despesa, melhorar receita e melhorar qualidade da gestão”, afirmou.

A falta do pagamento do FEX de 2018 fez com que o início da gestão de Mauro Mendes passasse por graves problemas financeiros, que ainda estão sendo resolvidos com escalonamentos de salários de servidores, assim como o parcelamento do pagamento do 13° salários, de parte do funcionalismo público. 

Na semana passada o secretário de Fazenda Rogério Gallo disse que existe uma possibilidade muito pequena de o Governo Federal pagar o FEX do ano passado. A expectativa agora, segundo o comandante da Sefaz, é pela vinda do FEX deste ano e dos recursos do leilão do pré-sal, a chamada cessão onerosa, aprovada pelo Senado no início deste mês.

“O que eu ouvi do governador e da bancada foi a promessa de pagar o FEX de 2019. Aí 2018 ficaria para trás, o que infelizmente seria um calote na visão dos estados. A perspectiva da bancada é na cessão onerosa. Estamos falando de R$ 70 bilhões, R$ 30 bilhões serviriam para os estados e R$ 40 bilhões para a União”, disse.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet