Olhar Direto

Quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Notícias / Política MT

Barbudo se esquiva de polêmica no PSL, mas diz que estará com Bolsonaro em qualquer situação

Da Redação - Érika Oliveira

09 Out 2019 - 16:35

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Barbudo se esquiva de polêmica no PSL, mas diz que estará com Bolsonaro em qualquer situação
Aliado de primeira ordem do presidente Jair Bolsonaro e amigo pessoal do presidente do PSL, Luciano Bivar, o deputado federal Nelson Barbudo pregou que seja dado tempo ao tempo para que, segundo ele, as coisas voltem ao normal dentro do partido. Na avaliação do parlamentar, a crise na relação de Bolsonaro e Bivar, embora venha ganhando corpo, terminará em “pizza”. O mato-grossense não descartou, no entanto, a possibilidade de acompanhar o presidente da República, caso sua saída do PSL se confirme.

Leia mais:
Selma promete esforço para retirar mais dois senadores do partido de Bolsonaro: “chega de clãs”

“Eu estou numa área de conforto e não vou entrar em atrito com ninguém. Eu só tenho que esperar os acontecimentos. É uma tempestade política de um ou dois dias e não vou emitir opinião sobre um eventual problema entre o Bolsonaro e o Bivar. Eu acho que vai terminar em pizza”, disse Barbudo, em entrevista ao Olhar Direto.

Os rumores da desfiliação de Bolsonaro tiverem início ainda no mês passado, quando uma série de políticos ligados ao PSL anunciaram que iriam deixar a sigla por conta da pressão que Luciano Bivar e o próprio filho do presidente, senador Flávio Bolsonaro, vinham exercendo sobre os parlamentares do partido para que recuassem da abertura da CPI da Lava Toga.

A crise foi ampliada depois que a investigação sobre supostas candidaturas-laranja no partido ganhou força. Bivar é um dos citados pela Justiça Eleitoral e teria, segundo o Ministério Público, usado uma candidata laranja para desviar dinheiro do fundo especial de campanha. Além de Bivar, o ministro do Turismo de Bolsonaro, Marcelo Álvaro Antônio, que é deputado pelo PSL, também é investigado. Ambos negam as irregularidades.

Como se não bastassem rusgas, o presidente da República orientou, na última terça-feira (08), um apoiador que se apresentou como pré-candidato pelo PSL em Recife (PE) a esquecer o partido. O presidente pediu ainda que o apoiador não divulgasse um vídeo no qual citava Bivar, dizendo que o deputado está "queimado". "Esquece o PSL, tá ok? Esquece", disse Bolsonaro.

Questionado sobre as declarações do presidente, Barbudo ponderou que Bolsonaro pode ter sido mal interpretado. “Ele falou aquilo porque o rapaz estava querendo ser candidato a vereador, se não me engano. Ele disse ‘esquece o PSL’ sabe por quê? Se cada um perguntar pra ele e ele falar ‘vai lá que eu te apoio’ isso é um problema. O cara já queria, no meu entendimento, apoio do presidente para as próximas eleições. E tipo assim, ele não vai ser padrinho de candidato a vereador, ele é presidente da República. Me parece que foi essa a intenção”, defendeu.

Barbudo disse, ainda, ser comum este tipo de assédio. “Se ele for fomentar agora vai encher a porta do Planalto. Todo mundo me pede ‘deputado, me leva no Bolsonaro para fazer um vídeo, eu quero ser candidato’. E eu respondo ‘querido, é muito cedo, nós não podemos ocupar o presidente com esse tipo de coisa’”, acrescentou.

Nesta quarta-feira (09), Bivar disse que "a fala dele [Bolsonaro] foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido". O presidente do PSL disse também que não sabe o que se passa pela cabeça de Bolsonaro, mas que quer “paz”.

Barbudo, que foi filiado ao Democratas por mais de 20 anos e entrou para o PSL no ano passado, disse que irá aguardar o desenrolar dos fatos. E, ainda que, em suas palavras, “não mude de partido como se muda de roupa”, o parlamentar não descartou deixar o PSL, em caso de confirmação da saída de Bolsonaro.

“Nós temos que esperar as coisas acontecerem, porque pode ser que não vire em nada, o Bolsonaro não é menino. Eu estarei com o presidente em qualquer situação. Eu pactuo com o tripé da campanha: pátria, família e cristo. Enquanto ele se mantiver nessa filosofia, mesmo estando em outro partido, jamais darei um golpe em Bolsonaro. Temos que esperar as águas abaixarem. Porque eu acredito que ele não vai sair. E se sair, vamos ver para qual partido ele foi, quem serão seus companheiros. Eu não digo que nunca sairei do PSL, mas a priori não vou dizer que onde ele for eu vou. Eu só tive um partido na vida, foram 25 anos de DEM, agora que fui para o PSL. E eu não vou mudando de partido como se muda de roupa”, pontuou.
 
 

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Claudio
    10 Out 2019 às 08:00

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Giupna
    10 Out 2019 às 06:01

    Daqui alguns anos ninguém se lembrará por qual partido Bozo se elegeu, tal qual Fernando Collor.

  • Direita volver!
    09 Out 2019 às 23:12

    Coloque suas barba de Molho meu capitão e afunde com o Bozo kkkkk!

  • Revoltado
    09 Out 2019 às 21:21

    Cara, votei nesse PUXA-SACO, nao faz nada so PUXAR o SACO que arrependimento.

  • Ggm
    09 Out 2019 às 18:31

    Vai acabar como surgiu, puchasacos vão juntos.

  • Angelo
    09 Out 2019 às 18:16

    A continuar nessa toada Nelson Barbudo vai redefinir o conceito de "puxa-saquismo" ...

  • Herold
    09 Out 2019 às 17:50

    Esse partido e seus filiados não precisam de opositores, eles promovem o racha