Olhar Direto

Sexta-feira, 03 de julho de 2020

Notícias / Cidades

Professores protestam e exigem apuração de violência contra professora presa ao defender ‘Lula Livre’

Da Redação - Vinicius Mendes

18 Out 2019 - 16:33

Foto: Olhar Direto

Professores protestam e exigem apuração de violência contra professora presa ao defender ‘Lula Livre’
A Associação dos Docentes da Unemat (ADUNEMAT) promoveu na tarde desta sexta-feira (18) um ato em protesto na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) para reivindicar que seja apurada a violência sofrida pela professora da Unemat Lisanil C. Patrocínio, no último domingo (13), quando participava de um evento social na igreja católica do município de Campos de Júlio (a 553 km de Cuiabá).
 
Leia mais:
Professora é detida após defender ‘Lula livre’ em bingo de Igreja; Adunemat aponta truculência
 
A professora Lisanil da Conceição Patrocínio Pereira foi detida, após se posicionar a favor da soltura do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e defender um posicionamento de esquerda durante um evento na cidade de Campos de Júlio. Um vídeo que circula na internet registrou o momento em que ela é carregada por vários homens, que a levantam pelas pernas, expondo a professora, que usava saia.
 


“Viemos pedir para averiguar este acontecido, com a professora, que foi brutalmente arrastada num evento religioso, e nós achamos isso um absurdo e não queremos que isso aconteça com mais ninguém, porque ninguém merece passar por essa humilhação, um desrespeito, uma afronta aos direitos humanos. Viemos aqui para proteger os interesses de todos os professores e de todas as pessoas, porque ninguém pode passar por isso”, disse a professora Leonice Rodrigues Pereira, membro da diretoria da Adunemat.
 
Vários professores estiveram presentes no ato desta sexta-feira (18). De acordo com a Adunemat o objetivo é exigir da Sesp que o caso seja apurado e os responsáveis sejam punidos. Os professores ainda devem protocloar uma solicitação exigindo apuração do caso de violência e abuso de autoridade.
 
“Uma colega nossa, a professora Edna, vice-presidente da Adunemat,  foi ao socorro dela e acompanhou de perto tudo que aconteceu lá. Foi extremamente chocante, os vídeos estão na mídia e é muito triste passar por isso”, relatou a professora Leonice.

27 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Isaias Ramos
    19 Out 2019 às 14:16

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Rosi
    19 Out 2019 às 13:01

    Somo a terra do agro com muito orgulho. Recebemos a todos com muita educação, desde que nos respeite tambem. Aqui em Campos de Júlio tem povo que veio de todas as regiões do Brasil . Nossas crianças frequentam o CTG, aprendem música e dança gaúcha. Frequentam a escola musical de música e dança e aprendem a música e a dança matogrossense, com muito orgulho ensinamos aos nossos filhos o respeito ao próximo, as diferenças, sejam quais forem, não fazem parte do nosso dia-a-dia. Somos município do agro negócio com muito orgulho.

  • Paolo
    19 Out 2019 às 11:44

    Pô defenda Marcola, beira mar , Sandro louco mas lula não sua babaca.

  • Cidadã
    19 Out 2019 às 11:08

    Meu Deus! Como libertar as escolas e as universidades dessas prEfessoras barraqueiras e sem noção? Fico imaginando a paciência que os policiais tem que ter nesse momento. Com tantas emergências, tem que perder tempo com as criaturas enfurecidas. É um tédio para a sociedade.

  • Jorge
    19 Out 2019 às 10:58

    Mais absurdo é ver o nível dos professores que chegamos. Vai ensinar oque ? Uma cidadã com essa mentalidade. Só por Deus.

  • Luiz
    19 Out 2019 às 10:47

    Bagunçou e resistiu e ainda quer posar de vítima. Petista alienada. Sempre agem assim. Vítimas????

  • Dos santos
    19 Out 2019 às 10:22

    edson, absurdo foi o que fizeram com a professora. Uma verdadeira falta de respeito e humilhação. Talvez, o momento fosse inapropriado para manifestação a favor de partido politico A ou B. Mas, nada justifica o ato desproporcional do uso de força física de 5 homens contra uma mulher, professora. Além da humilhação, ao expô-la ao ridículo em publico, colocando-a de penas para cima de saia.

  • edson buaski
    19 Out 2019 às 09:57

    triste meu oque ela fez...uma professora universitaria se portar desse jeito!!!!!coitado dos alunos com a aprendizagem.

  • Olavo
    19 Out 2019 às 09:23

    Professor agora tá de achando Deus? Se tá fazendo balbúrdia tem que ser conduzida sim, não quis sair por bem, foi conduzida com força moderada, parabéns aos nobres polícias de Campos de Júlio e a população, por não aceitar comunista defender bandido e ladrão do povo!

  • edson buaski
    19 Out 2019 às 09:15

    apuracao de que??????

Sitevip Internet