Olhar Direto

Domingo, 08 de dezembro de 2019

Notícias / Cidades

Família de traficantes é presa ostentado Hilux e moto de mil cilindradas

Da Redação - Fabiana Mendes

13 Nov 2019 - 17:55

Foto: Reprodução

Família de traficantes é presa ostentado Hilux e moto de mil cilindradas
Cinco pessoas da mesma família foram presas, na manhã desta quarta-feira (13), durante ações deflagradas na zona rural dos municípios de Diamantino (208 km de Cuiabá), Nortelândia (253 km de Cuiabá) e Arenápolis (258 km de Cuiabá), todas na região médio-norte do estado.

A família investigada ostentava patrimônio incompatível com a renda declarada. Na propriedade dos suspeitos, no Assentamento Barreirão, alvo da ordem judicial de busca e apreensão, foram apreendidas uma camionete Hilux, trailler rebocador de cavalos, cavalos de raça de alto valor, uma moto Suzuki modelo GSR 1000 CC, vários maquinários, entre outros materiais.

Leia mais:
Criminosos desligam câmeras de segurança e furtam agência dos Correios
 
Os suspeitos foram identificados como: Reginaldo Silva dos Santos, 36, conhecido como “Regis”, José Francisco Simões de Souza, 51, conhecido como “Mussarela” ou “Tiozinho”, João Silva Santos, conhecido como “Bahia” e Aldiaine da Silva Moraes dos Santos, 35 (esposa de Reginaldo).  Eles foram autuados em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico, posse ilegal de arma de fogo e munição de uso restrito ou proibido, receptação e corrupção de menores.

A quinta pessoa envolvida, adolescente R.S.M.S. de 17 anos, filha do casal Reginaldo e Aldiaine, responderá por ato infracional análogo aos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Os indícios colhidos pelos policiais civis apontam o suspeito Reginaldo como o líder da associação criminosa, bem como, considerado “Barão do Tráfico”.O trabalho para cumprimento de mandados de busca e apreensão decretados pela Comarca de Diamantino resultou na apreensão de armas de fogo, carregadores de pistolas, muitas munições, veículo, drogas, motocicleta, mais de R$ 4 mil em dinheiro, defensivos agrícolas, além de diversos outros produtos sem comprovação fiscal.



Também foram localizadas três armas de fogo (sendo duas calibre 380 e uma 9 milímetros), sete carregadores de pistola, 300 munições de diferentes calibres, duas balanças de precisão, cerca de três quilos de entorpecentes (maconha e pasta base de cocaína), a quantia de R$ 4,4 mil, além de quatro motosserras, sete furadeiras, três parafusadeiras, uma bicicleta profissional avaliada em torno de R$ 40 mil, duas caixas de inseticida, seis galões de agrotóxicos, joias, sendo todos produtos de roubos/furtados.

Diante dos fatos, os cinco envolvidos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia, onde foram interrogados e autuados em flagrante e ato infracional, respectivamente. Após a confecção dos autos, os conduzidos foram colocados à disposição da Justiça. 

Participaram da operação, equipes de policiais civis de Diamantino, Nortelândia, Arenápolis, com apoio de outras delegacias pertencentes à Regional de Nova Mutum, coordenadas pelo delegado Marcello Henrique Maidame. 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Jorge Amaro
    14 Nov 2019 às 09:02

    Parabéns a policia do das regiões envolvida grande trabalho prestado a ao povo de MT! assim que se faz .

  • Nonato
    14 Nov 2019 às 02:59

    Isso não e ostentação...È burrice..agora na gaiolinha vai tudo ver o sol quadrado

  • Telso Palma
    14 Nov 2019 às 00:11

    Em resumo, acusação frágil não sustenta a prisão uma vez que são acusados de tráfico de drogas mais nem uma grama foi encontrado então, já devem estar em menos de um mês na rua... Lembrando que prisão em flagrante só após transitar em julgado doa recursos em segunda instância..

  • Seu Pitombo
    13 Nov 2019 às 20:39

    Milagre que essas pessoas não foram tratadas na matéria como empresários. O que tem de gente mexendo com pó no MT, sendo tratado como empresário não está escrito.

Sitevip Internet