Olhar Direto

Sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Notícias / Cidades

Empresa que fará Natal na Arena já foi contratada por Mauro Mendes outras duas vezes sem licitação

Da Redação - Wesley Santiago

27 Nov 2019 - 11:50

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Empresa que fará Natal na Arena já foi contratada por Mauro Mendes outras duas vezes sem licitação
A empresa J.C. Multieventos LTDA, contratada sem exigência de licitação pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) para realizar o evento ‘Arena Encantada’, que acontecerá no fim deste ano, já foi contratada outras duas vezes pelo governador Mauro Mendes (DEM), ainda durante a sua gestão como prefeito de Cuiabá, desta mesma forma. No total, os três contratos somam mais de R$ 3.270.000,00.

Leia mais:
Setasc contrata empresa por R$ 1,44 milhão sem licitação para evento ‘Arena Encantada’
 
Uma das contratações feitas sem licitação por Mauro Mendes foi para a implantação do cenário permanente da Orla do Rio Cuiabá, no bairro do Porto. Pelo serviço, a J.C. Multieventos LTDA recebeu R$ 1,540 milhão. Como contratante aparece o então secretário da prefeitura Alberto Machado (Beto Dois a Um), atual chefe de gabinete do governador.
 
A contratação foi feita para prestação de serviços artísticos e técnicos para o cenário permanente da Orla. A empresa teve de fornecer decoração, montagem, manutenção corretiva e instalação de todos os acessórios necessários.
 
Em outubro deste ano, a “Vila Cuiabana” (onde está instalado o cenário) teve de ser interditada devido a um desabamento e problemas estruturais com o cenário que replica os casarões cuiabanos.
 
Outro contrato firmado entre a gestão Mauro Mendes e a empresa, também sem licitação, foi para o ‘Natal Luz 2015’. O acordo, de R$ 370 mil, incluía a prestação de serviços artísticos e técnicos de cenografia para composição de cenários do evento, incluindo o projeto de decoração, montagem, desmontagem, manutenção corretiva no período de permanência da decoração e instalação de todos os acessórios necessários para a confecção do evento, no Parque Tia Nair.
 
O fato levou a um ‘puxão de orelhas’ do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A Secretaria de Controle Externo (Secex) destacou que pelos tipos de serviços contratados notou-se que se tratava da contratação de uma empresa produtora de eventos e não da contratação de um profissional do setor artístico.
 
“Vislumbra-se que a Administração visou contratar empresa para realização de eventos com profissionais técnicos de cenografia para composição de cenário, o que não se enquadra no art. 25, III, da Lei de Licitações. Dessa forma, a contratação deveria ter sido precedida de certame licitatório, a propiciar a realização de negócio mais vantajoso à Administração”, diz trecho do parecer do Ministério Público de Contas (MPC). Foi sugerida multa neste caso.

Arena Encantada
 
A Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), por meio da secretária Rosamaria Ferreira de Carvalho, assinou um extrato de inexigibilidade de licitação para a contratação de uma empresa, pelo valor de R$ 1.440.000,00, para o evento “Arena Encantada”, que será realizado na Arena Pantanal de dezembro de 2019 a janeiro de 2020. A Setasc afirmou que a contratação está de acordo com a Lei Federal 8.666/1993.
 
Foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) do último dia 21 de novembro o extrato de inexigibilidade de licitação assinado pela secretária Rosamaria de Carvalho e pela Empresa J. C. Multieventos LTDA (contratada), por meio de Morgania Souza dos Santos.
 
Na publicação é descrita a contratação de serviços artísticos sui generis, para composição do cenário do evento Arena Encantada, a ser realizado na Arena Pantanal. A empresa JC Multieventos LTDA foi contratada pelo valor de R$ 1.440.000,00.
 
A Setasc explicou que a contratação está de acordo com o que dispõe a Lei Federal 8.666/1993, que afirma ser dispensável a licitação quando houver inviabilidade de competição. A secretaria afirmou que as atividades são “de natureza manual e artística, não sendo possível ser avaliada por fatores objetivos”.

Olhar Direto esteve na região do Complexo da Arena Pantanal, onde conversou com algumas pessoas que confirmaram que a estrutura começou a ser montada há mais de dez dias, antes mesmo da publicação de assinatura do contrato.

Outro lado

A reportagem tentou contato com a empresa, através de dois telefones (finais 5741 e 9509), mas as ligações não foram atendidas. Além disto, Olhar Direto esteve na sede da J.C. Multieventos LTDA. Porém, nenhum dos proprietários foi localizado.



Leia a nota da Setasc na íntegra:

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) esclarece que a contratação na forma de Inexigibilidade de Licitação se deu em razão do projeto “Arena Encantada” - que será realizado do dia 5 de dezembro a 5 de janeiro de 2020 - ser um complexo de atividades de natureza manual e artística, não sendo possível ser avaliada por fatores objetivos.

O artista plástico contratado João César dos Santos, por meio de sua empresa, constrói cidades e ambientes que parecem reais. O cenógrafo cria uma ambientação total no evento, utilizando réplicas com material de madeira, isopor, ferro, fibra de vidro, papietagem e muita criatividade.

Desta forma, a contratação está de acordo com o que dispõe a Lei Federal 8.666/1993, que afirma ser dispensável a licitação quando houver inviabilidade de competição, a exemplo de “contratação de profissional de qualquer setor artístico diretamente ou através de empresário exclusivo, desde que consagrado pela crítica especializada ou pela opinião pública”.

A Arena Encantada contará com as mais diversas atrações e possuirá mais de 4.000 m² (quatro mil metros quadrados) de decoração natalina e 75 (setenta e cinco) horas de apresentações.

Os recursos que farão frente a estas despesas são oriundos da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, que entendeu a importância da realização do projeto.

 

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • ILDO DA SILVA
    28 Nov 2019 às 11:35

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Helena Vasconcelos
    28 Nov 2019 às 00:19

    Não basta essa aberração, ainda convocou os servidores da pasta dela para trabalhar voluntariamente e para quem não aceitou nada de recesso final de ano.

  • Luciano
    27 Nov 2019 às 23:06

    Acho graça dos comentários. Muita balela. O que as famílias cuiabanas tem aqui para fazerem? Se não fossem os governantes que estão atualmente no governo nem algum local para levarmos nossos filhos teríamos. Deixe eles trabalharem

  • Luciano
    27 Nov 2019 às 22:01

    Ministério público do estado de Mato Grosso vai fiscalizar daqui a 05 anos depois de prescrito. A lei abre brecha para essas situações já o governo fala que não tem dinheiro pra que torrar esse valor a toa. Ou faz um planejamento de farra e festas pro ano de 2020 e faz licitação para contratar por preço mais justo.

  • Lisandro Peixoto Filho
    27 Nov 2019 às 17:00

    Vsvdmod num país da hipocrisia onde honestidade e justiça sao seletivs por ideologia e condição social.

  • REIGI
    27 Nov 2019 às 15:06

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Gladston
    27 Nov 2019 às 14:19

    Esse aí não é o único a fazer "coisas" assim. Nós brasileiros, em todas as esferas de governo, temos visto palhaçadas como a citada na matéria, e esse nem de longe é o maior problema. O maior problema é que TODOS acham errado esse tipo de comportamento da gestão, SÓ QUE NINGUÉM FAZ NADA!! Nem população, Ministério Público ou qualquer outro órgão chamado "responsável"!

  • Zumbi
    27 Nov 2019 às 14:13

    Cade o MP que não se averiguá esse caso ? como que chegaram a esses valores ? baseado em que ? porque não converte esse valor em cestas básicas para as familias carentes da capital onde muitas não tem ideia de como vão fazer um ceia....não critico a ideia mas isso é mais relevante que converter em cestas básicas para quem precisa ??????

  • paulo
    27 Nov 2019 às 14:12

    mauro mentes danadinho, quer virar réu de novo

  • marcos lima do santos
    27 Nov 2019 às 13:54

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet