Olhar Direto

Sábado, 18 de janeiro de 2020

Notícias / Variedades

Entenda como funciona o treinamento e trabalho dos renomados cães farejadores

Da Assessoria

29 Nov 2019 - 14:40

Foto: Reprodução

Entenda como funciona o treinamento e trabalho dos renomados cães farejadores
O título de “melhor amigo do homem” que se dá aos cachorros não é por acaso. Companheiro de vida de milhões de pessoas no mundo, o animal é constantemente associado às qualidades de amizade e lealdade. Mas o que ele pode fazer por nós vai muito além disso.
 
Graças ao seu olfato aguçado, o cachorro transformou-se, nas últimas décadas, em um agente crucial nas operações de localização e resgate em cenários de acidentes e tragédias naturais. Seja em desabamentos, deslizamentos de terra ou após a passagem de um furacão, por exemplo, os cachorros exercem um papel fundamental na localização de sobreviventes.
 
Essa característica do cão também é utilizada de outras formas. Outros usos recorrentes do animal é no reconhecimento e localização de drogas e outras substâncias, comumente em operações que acontecem nos aeroportos e postos de fronteira e em investigações policiais.

Olfato poderoso

Os cachorros conseguem desempenhar essas funções tão bem por uma vantagem natural que lhes permite detectar uma variabilidade maior de cheiros. O nariz do ser humano conta com cerca de 5 milhões de células olfativas. Um número pequeno, se comparado as 200 milhões de células que há no focinho do cachorro.
 
Por terem uma capacidade bem mais poderosa de detectar odores, eles se aproveitam dessa qualidade para encontrar comida, parceiros sexuais e ameaças. Ao se treinar um cão farejador, visa-se seu adestramento para que ele detecte cheiros específicos, oferecendo uma recompensa quando há acertos.
 
Animais dos dois gêneros podem desempenhar a função, mas as fêmeas costumam se destacar mais no exercício da função. Isso porque elas sofrem menos com distrações comuns aos machos que marcam território com maior frequência e se atraem por cadelas no cio.

Treinamento de cães farejadores

Tanto no uso policial para detectar drogas ou farejar pistas e suspeitos, como no uso de bombeiros em situações de resgate, deve-se orientar o olfato do cão para a finalidade pretendida. Para que isso fique bem desenvolvido, o adestramento desses animais começa quando eles ainda são filhotes.
 
A princípio, os adestradores fazem com o que o filhote reconheça o cheiro de comida, que é jogada no chão e tem seu odor misturado com outros cheiros. À medida que ele vai crescendo, o treinamento passa a focar também no cumprimento de ordens para que o cão execute o comando imediatamente.
 
Com o desenvolvimento do treinamento, procura-se estabelecer no cachorro uma ligação entre o odor que ele deve detectar e uma recompensa — que pode ser um petisco ou um brinquedo. Dessa forma, cada vez que ele acerta a detecção de algo específico, ele é recompensado pelo adestrador.
 
Assim, é comum que o brinquedo, por exemplo, seja escondido dentro de uma caixa ao lado de outras substâncias ilícitas. Ao procurar pelo brinquedo, ele acaba sentindo o odor da droga e localizando-a. Então, sempre que identificar o cheiro dela em uma busca, ele terá em mente que será recompensado por isso.
 
A etapa final do treinamento deixa de lado as caixa e os prêmios, sendo de total concentração na busca pelo cheiro específico apresentado. Ao encontrar a origem do odor em outro lugar, ele pode sinalizar arranhando, latindo ou mordendo o local.

Raças mais indicadas

Muitas são as raças que se destacam por ter um olfato apurado capaz de detectar odores diversos. Alguns exemplos que podem ser citados são o Harrier, o Dachshund, o Terrier Escocês e o Beagle. 
 
Entretanto, não é apenas a capacidade do focinho do cão em detecção de cheiros que é considerada na hora de escolher a raça para exercer essas funções.
 
Resgates de vítimas em tragédias, por exemplo, é uma operação que exige bom condicionamento físico do animal. Além de trabalhar em um ambiente de terreno, geralmente, difícil, é uma atividade que o cão exercerá por horas seguidas, dependendo da situação.
 
Por isso, cães mais enérgicos e que tenham maior predileção pelas atividades físicas são mais recomendados para esse tipo de trabalho. Nesse sentido, o Pastor-Alemão, o Pastor-Belga e o Pastor-Holandês são algumas das raças que melhor combinam o aspecto físico com o olfato aguçado.
 
Outras raças que são consideradas como bons farejadores são os Rottweilers, o Labrador e o Golden Retriever. Com o adestramento adequado, eles podem se tornar um aliado fundamental na execução dessas atividades humanas.
Sitevip Internet