Olhar Direto

Segunda-feira, 25 de maio de 2020

Notícias / Cidades

Vídeo mostra momento em que mãe e dois filhos são atropelados na Avenida dos Trabalhadores

Da Redação - Wesley Santiago

02 Jan 2020 - 10:48

Foto: Reprodução

Vídeo mostra momento em que mãe e dois filhos são atropelados na Avenida dos Trabalhadores
Vídeo de uma câmera de segurança divulgado pela TV Cidade Verde na manhã desta quinta-feira (02) mostra o exato momento em que Cleide dos Santos, 48 anos, e seus dois filhos Bruno dos Santos, 10 anos, e Brenda dos Santos, de dois anos, foram atropelados na Avenida dos Trabalhadores, em Cuiabá, na terça-feira (31).



Nas imagens, é possível ver o momento em que a Dodge Ram, conduzida por Wesley Patrick Villas Boas de Souza, 23 anos, ultrapassa um veículo, subindo a avenida dos Trabalhadores e atinge a mulher e seus dois filhos. A mais nova estava no colo da mãe.

Também é possível notar que o condutor pisa no freio e 'joga' a caminhonete para o lado, na tentativa de evitar a colisão com a família. A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) irá determinar a velocidade empregada pela Dodge Ram no momento da batida.

O teste do bafômetro não apontou nenhuma ingestão de álcool por parte do condutor, que precisou ser retirado da cena do atropelamento, já que populares se revoltaram com a morte das crianças e atiraram pedras na caminhonete.

O juiz Wladymir Perri, da Terceira Câmara Criminal de Cuiabá, manteve preso Wesley Patrick Villas Boas de Souza. De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), a prisão em flagrante do suspeito foi convertida em prisão preventiva.

O atropelamento
 
Cleide dos Santos foi atropelada na Avenida dos Trabalhadores, em Cuiabá, no final da manhã desta (31), quando voltava com os filhos Bruno dos Santos e Brenda dos Santos, da igreja.  As crianças não resistiram e morreram. A mãe continua internada e fora de risco, segundo familiares.

Atualizada às 10h54 e às 11h08.

67 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ricardo
    09 Jan 2020 às 08:58

    O motorista não pisou no freio a contento, notem que a luz do freio pisca. Com ABS poderia pisar bruscamente que a camionete pararia nesta distância. Ele se preocupou mais em desviar do que parar efetivamente.

  • Salomão
    03 Jan 2020 às 16:41

    Muito bem Nãoly e Nãolerey seu comentário foi o mais preciso, e demonstra conhecimento do local, olhem o meu comentário e verão que eu disse do aclive, o motorista então tenta recuperar o tempo perdido na Avenida dos Trabalhadores mais exatamente no segmento do Centro e em frente a subestação da Energisa do Barro Duro, aliado a falta de visibilidade do pedestre pois o perfil longitudinal da via (dado técnico) desfavorece o pedestre na travessia, ou seja, é um Deus nos acuda pois ninguém respeita faixa de pedestre, lá seria melhor passarela e faixa elevada (ao menos esta nós motoristas respeitamos), e faixa elevada conjugada com a parada de ônibus, pois desta forma mesmo que o pedestre não queira ele irá passar pela faixa elevada ou passarela. Agora culpar exclusivamente a mãe é um disparate, o motorista ao meu ver deveria reduzir drasticamente sua velocidade (todos os veículos menores respeitam uma veículo maior que andar mais lento.

  • CUIABANO MT
    03 Jan 2020 às 15:44

    Independente se a mãe estivesse atravessando na faixa (se existisse realmente naquele local e sentido da via), o atropelamento ocorreria, a faixa não é garantia de travessia com total segurança, desde quando brasileiro respeita as leis de transito, as pessoas dirige de acordo com as suas conveniências (se for conveniente parar em local proibido, as pessoas vão parar, em fila dupla, andar acima da velocidade permitida) respeitam as leis somente para passar na prova do detran, depois disso é um Deus nos acuda... Isso vale tanto para os motorista quanto para os pedestre, pois todos deveriam ter responsabilidade no transito.

  • Caio Santos
    03 Jan 2020 às 11:09

    Da pra ver claramente que ele freiou, pois acendeu a luz do freio, e houve a curva ainda. Se ele virasse mais haveria um capotamento e talvez nem a mãe sobreviveria. Devemos parar de culpar só os motoristas, tem lugares que os pedestres até pagam o conserto dos veículos quando estão errados. O rapaz freiou, virou, não fugiu, prestou breve socorro, não estava bêbado.. o que mais querem do cara?

  • Nãoly e Nãolerey
    03 Jan 2020 às 10:49

    Estou vendo a quantidade de gente relativizado a imprudência do rapaz sem ao menos transitar pelas redondezas, seja a pé ou de carro, sem saber a geografia e o contexto em que se deu a duplicação desse trecho da avenida e atribuir culpa à mãe. O trecho em que houve o crime (sim, crime!) é após uma subida. Com isso, não se tem a visão com clareza dos carros que vêm seguindo no sentido centro/CPA, a partir do trevo com a Av das Torres. Ou seja, se os veículos demoram a passar pelo pedestre que está neste trecho pós o declive, subentende-se que há tempo hábil para atravessar a avenida. E deve ter sido isso que essa mãe pensou. Inclusive, há de se destacar que o trecho dessa subida em sentido CPA está em nível mais acima que o trecho em sentido centro. Quem mora na região, ou sempre passou por ali, sabe que ali existia um morro, pois isso a altitude maior. Junte isso com a velocidade do carro quando passa pela sinalização de traços, como bem disse o rapaz aí em baixo, e o resultado certamente vai ser uma tragédia. Até demorou para isso acontecer.

  • Meeg
    03 Jan 2020 às 09:50

    As pessoas julgam o motorista...a princípio tbm achei que ele era o culpado, fazendo Zig zag pela pista ( foi o que disse a reportagem) achei que ele provavelmente estava mexendo no celular...mas pela imagem na minha opinião, ele parecia estar em alta velocidade sim e pela idade dele, sem experiência em direção defensiva...mas vejo tbm a mãe atravessando a pista de forma irresponsável, achando que vai conseguir atravessar a pista a tempo mais rápido que o carro. Ele tentou desviar...mas ela que atravessou na frente dele... Eu sempre ensinei meus familiares filhos...nunca atravesse a rua correndo...atravesse com calma prestando atenção nos carros, porque nem sempre eles estão te vendo...mesmo na faixa de pedestre, pare e olhe antes de atravessar, porque não adianta morrer certo. Eu como motorista, infelizmente vejo muitos pedestres imprudentes tbm. Mas de qualquer forma...presto meus sentimentos a família...seja certo ou errado, foi muito trágico.

  • Juca
    03 Jan 2020 às 09:22

    Muito triste este fatídico acontecimento. Porém a mãe colocou sua vida e a dos seus filhos em risco por tentar cruzar uma avenida de alto tráfego de veículos, fora da faixa de pedestres ou semáforo.

  • José
    03 Jan 2020 às 08:42

    Cuiabá de avenidas largas e de velocidade, mesmo reduzida para 60 km por hora. Tem que ter passarela na avenida dos Trabalhadores, Moinho, Fernando Correa, saída para Chapada etc....

  • edson
    03 Jan 2020 às 08:42

    é loco...quanto é a via la?????se tivesse na velocidade correta nao tinha acontecido,daria para frear.cumpra se a lei...cadeia nele.

  • jose a silva
    03 Jan 2020 às 08:39

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet