Olhar Direto

Sábado, 22 de fevereiro de 2020

Notícias / Política MT

Secretário nega aumento de impostos e critica concorrência desleal em governo anterior

Da Redação - Bruna Bom

20 Jan 2020 - 09:50

Foto: Mayke Toscano/Secom-MT

Mauro Carvalho, secretário-chefe da Casa Civil

Mauro Carvalho, secretário-chefe da Casa Civil

Em artigo publicado na manhã desta segunda-feira (20), o secretário-chefe da Casa Civil do Estado de Mato Grosso, Mauro Carvalho, afirmou que privilégios fiscais criavam concorrência desleal entre empresas do mesmo setor durante a gestão do ex-governador tucano Pedro Taques (2011-2014). “É dizer que uma empresa pagava 100% de imposto, enquanto a outra pagava só 5%”, afirmou o secretário.

Leia mais:
Após acordo com empresas, Cuiabá descarta aumento de tarifa para 2020

“Uma determinada loja que vendia sapatos, por exemplo, recebia do governo o incentivo fiscal e outra loja do mesmo segmento, que também vendia sapatos, não tinha”, disse Mauro. “Esse fato trazia uma competitividade desleal. Fazia com que uma empresa pudesse ter certa vantagem em detrimento da outra.”

O secretário ainda ressaltou que não houve aumento de impostos, apenas corte de incentivos fiscais indevidos.

Além disso, Mauro também citou as mudanças na cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) como um método de combate a sonegação de impostos, e disse que o próprio empresariado deverá reconhecer, a médio prazo, a necessidade dessas medidas.

“Antes, o empresário pagava o imposto quando ele comprava a mercadoria para revender, sobre uma previsão do valor que ele iria vender. Vou citar um exemplo, para ilustrar. Uma determinada loja comprava um produto no valor de R$ 1,00 da distribuidora, mas comercializava a R$ 10,00. Contudo, ela informava ao Estado que iria vender a R$ 3,00. O restante, ou seja, R$ 7,00, era sonegado” explicou o secretário.

“Isso foi alterado, agora o empresário tem que efetuar o pagamento após a venda da mercadoria, eliminando a sonegação. São mais recursos para investir em infraestrutura, segurança, educação, saúde e projetos sociais.”

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Teka Alneida
    20 Jan 2020 às 15:24

    Marcos vc falou tudo. Quem tem Mauro MENTE governo FAKE NEWS como governante realmente não precisa se preocupar com o externo, o INFERNO é aqui mesmo. Governo de um mandato só faltam 2 anos, 11 meses e 11 dias passa rápido.

  • Empresario
    20 Jan 2020 às 14:29

    Mentira desse governo. Nunca que empresa compra por R$ 1,00 e vende por R$ 10,00 . Que exemplo infeliz ele deu. E os ICMS subiu sim. É só olhar o MVA. Tem NCM que dobrou praticamente. Esta matando as empresas, para alimentar a maquina que é o funcionário publico e não tem conhecimento do que é manter uma ampresa

  • Nenê Bocaiuva
    20 Jan 2020 às 12:05

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • marcos
    20 Jan 2020 às 11:18

    Vi o Governador dizendo em outra Matéria que a Guerra EUAxIRÃ não iria afetar o valor do Combustível, ai eu penso, para que se preocupar com guerra para aumento de Combustível se temos o MAURO MENDES para nos arrebentar

  • marcos
    20 Jan 2020 às 11:18

    Vi o Governador dizendo em outra Matéria que a Guerra EUAxIRÃ não iria afetar o valor do Combustível, ai eu penso, para que se preocupar com guerra para aumento de Combustível se temos o MAURO MENDES para nos arrebentar

  • Kleber Venâncio
    20 Jan 2020 às 11:10

    Mi-mi-mi de empresários. Parabéns governador.