Olhar Direto

Quinta-feira, 04 de junho de 2020

Notícias / Cidades

Feminicídios correspondem a quase metade dos assassinatos de mulheres em MT

Da Redação - José Lucas Salvani

21 Jan 2020 - 14:05

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Feminicídios correspondem a quase metade dos assassinatos de mulheres em MT
Entre as 87 mulheres que foram assassinadas em 2019 em Mato Grosso, 39 delas foram vítimas de feminicídio. É o que aponta levantamento da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEAC) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). Se comparado a 2018, houve uma redução de 7% nos casos, quando foram registradas 42 mortes. Em Cuiabá, não houve nenhum registro.

Leia mais:
“Devemos todos incentivar sua reinserção sem preconceito”, diz presidente da OAB sobre goleiro Bruno

O município que mais registrou casos de feminicídio no estado foi Primavera do Leste, com quatro mortes. A cidade é seguida por Sinop (3), Várzea Grande (3), Chapada dos Guimarães (2), Peixoto de Azevedo (2), Rondonópolis (2) e Sorriso (2).

Os demais municípios registraram apenas um caso: Água Boa, Alto Taquari, Cáceres, Campo Verde, Comodoro, Confresa, Diamantino, Juína, Mirassol D’Oeste, Nobres, Nova Mutum, São Félix do Araguaia, São José dos Quatro Marcos, Tabaporã, Tangará da Serra, Torixoréu e União do Sul.

O número de feminicídios em 2019 foi contabilizado entre janeiro e dezembro, englobando todas as idades e pode sofrer alteração ao longo do tempo porque a investigação do crime é complexa e a consolidação da motivação pode exigir extensão de prazo e envio posterior pelas delegacias.

Apesar da redução dos feminicídios, o número geral de homicídios aumentou. Enquanto em 2018 foram 82 casos, no ano passado foram 87 mortes. De acordo com a série histórica, Mato Grosso registrou 85 homicídios de mulheres no período de janeiro a dezembro de 2015; 91 em 2016; e 84 em 2017.

Novembro: o mês com mais mortes

Os meses que mais apresentaram registros no ano passado foram novembro, com 11 casos, e janeiro, com 10 homicídios de vítimas femininas. O menor número ocorreu em outubro (3); seguido de agosto (5); fevereiro e dezembro (ambos com 6); abril, maio e junho (7 cada); março e setembro (ambos com 8); e julho (9). O estudo demonstra ainda que Cuiabá e Várzea Grande tiveram, respectivamente, quatro e seis mulheres assassinadas ao longo de 2019.

Por dias da semana, a sexta-feira foi a que mais apresentou mortes de mulheres em Mato Grosso, com 17 casos, seguida de quinta-feira (15), sábado (14), domingo e segunda-feira (ambos com 12), quarta-feira (10) e terça-feira (7).

Com relação à faixa etária, 21 mulheres tinham entre 36 e 45 anos; 15 entre 18 e 24 anos; 11 de 25 a 29 anos; 11 estavam com idade entre 30 e 35 anos; 9 mulheres de 46 a 59 anos; outras 9 de 12 a 17 anos; 6 acima de 60 anos; 3 com idade entre 0 e 11 anos; e 2 não tiveram idade informada.

O levantamento também descreve o meio empregado nos casos de assassinatos contra mulheres. No estado, dos 87 casos, 37% foram praticados com arma de fogo; 25% com arma cortante ou perfurante; 8% com arma contundente; 10% pelo uso da força muscular; 19% outros meios; e 1% com veneno. A maior motivação apontada continua sendo passional (38%), e em seguida a apurar (31%). Os demais casos são motivados por envolvimento com drogas (15%), rixa (6%), vingança (6%), fútil (1%), ambição (1%), pedofilia (1%) e álcool (1%).

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet