Olhar Direto

Domingo, 20 de setembro de 2020

Notícias / Política MT

Pivetta diz que não fará pressão por apoio, mas crê em mudança de opinião de Mauro Mendes

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

21 Jan 2020 - 18:02

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Pivetta diz que não fará pressão por apoio, mas crê em mudança de opinião de Mauro Mendes
Pré-candidato ao Senado já anunciado pelo PDT, o vice-governador Otavino Pivetta garantiu que não irá pressionar o governador Mauro Mendes (DEM) para ganhar apoio, mas acredita que o colega de gestão estará em seu palanque durante a campanha, que deve iniciar no mês de fevereiro, mesmo com possíveis candidaturas de outros de aliados como o ex-vice-governador Carlos Favaro (PSD) e o democrata Júlio Campos.

Leia também
Para evitar fechamento, Emanuel pede que Estado ceda escola Nilo Póvoas à Prefeitura de Cuiabá


No início do ano, ao ser questionado sobre a eleição suplementar para o Senado, em decorrência da cassação da senadora Selma Arruda (PODE), confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em dezembro do ano passado, o governador disse que manteria a coerência e que iria apoiar a candidatura de Carlos Favaro, que estava na sua chapa durante a eleição de 2018 e foi o terceiro na disputa, que elegeu a própria Selma, além de Jayme Campos (DEM).

O próprio Júlio Campos, em encontros políticos com apoiadores, já manifestou que Mauro Mendes foi liberado pelo DEM para apoiar quem quiser na disputa pela vaga, levando em conta compromissos tanto com Favaro quanto com Pivetta, que foi o maior doador da campanha democrata de 2018.

Questionado sobre o assunto, Pivetta declarou que não fará pressão para que o governador o apoie e que a decisão deve ser tomada pelo próprio, caso entenda que a candidatura do PDT seja o melhor para Mato Grosso.

“O Mauro ao longo da trajetória dele tem demonstrado muita coerência. O fato dele falar aquilo naquele momento não quer dizer que ele não possa mudar de ideia. Assim como eu também me curvo, quando vejo que dou uma declaração, que eu estou pensando uma coisa e alguém me mostra que pode ter algo melhor, eu presto atenção e mudo de ideia. Isso é no cotidiano, no dia a dia, no trabalho. Tudo tem isso. Então, eu entendo perfeitamente e não vou botar pressão. Ele vai saber na hora certa se pode ou não apoiar, se acredita que eu seja uma proposta melhor para MT que a outra. Ele vai saber avaliar isso e estou muito tranquilo em relação a isso|”, disse o vice-governador em entrevista ao programa A Notícia de Frente, da TV Vila Real.

Em entrevistas recentes, o governador elogiou o trabalho de Pivetta e disse que gostaria de tê-lo ao seu lado na vice-governadoria durante todo seu mandato, assim como desconversou sobre o ‘coerente’ apoio à Favaro.

Correndo por fora, o MDB, outro partido aliado da gestão, já manifestou o desejo de ter um candidato e também  deve entrar na briga pelo apoio do chfe do Executivo.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet