Olhar Direto

Sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Notícias / Política MT

Etanol deveria estar custando R$ 2,97 com revisão de ICMS, aponta governo

Da Redação - Lucas Bólico

25 Jan 2020 - 09:27

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Etanol deveria estar custando R$ 2,97 com revisão de ICMS, aponta governo
A Secretaria de Fazenda de Mato Grosso (Sefaz) voltou a negar que o aumento no preço do etanol nas bombas dos postos de combustível seja fruto da revisão nos incentivos fiscais feita no ano passado pelo Governo do Estado e Assembleia Legislativa, em minirreforma tributária.

Leia também:
Variação de preço dos combustíveis tem sido monitorada pelo Procon; órgão orienta denúncias
 
De acordo com dados da Secretaria de Fazenda, com a LC 631/19, a alíquota do ICMS passou de 10,50 para 12,50%, ou seja, um acréscimo de 2,5%. Dessa forma, se o etanol era vendido a R$ 2,91 no mês passado, com a nova porcentagem, deveria ter um acréscimo máximo em torno de, R$ 0,06, custando em torno de R$ 2,97. 
 
O preço encontrado pelo consumidor, no entanto, é maior. Atualmente, o combustível está sendo comercializado em alguns postos por até R$ 3,20. A secretaria destaca que alíquota do ICMS para o etanol é de 25%. Porém, para garantir que o produto de Mato Grosso possa concorrer com outros mercados, o governo fornece um incentivo de 50%, fixando a alíquota em 12,5%.
 
Sobre essa questão, o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, reforçou que o reajuste nos preços do etanol não possui relação com a entrada em vigor da Lei complementar 631/19.
 
"No dia 31 de dezembro com as mudanças nas regras do ICMS, até hoje, 23 de janeiro, o impacto seria de R$ 0,06 na bomba. Contudo, os postos estão aplicando 20 centavos, acima efetivamente do que está proposto na nova alíquota. Ou seja, temos visto aí na bomba, o etanol sendo cobrado a R$ 3,17. Mas é preciso entender que esta elevação, de R$ 2,91 para R$ 3,17, aplicadas aos preços, são regras de mercado e não tem como o governo discutir, pois isto é livre concorrência. Neste caso, é o consumidor que deve buscar outra alternativa, como forma de pressão", explicou Rogério Gallo, em entrevista ao programa Chamada Geral, na Rádio Mega FM. As informações são da assessoria de imprensa do Paiaguás. 

 

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Valdecir Bairros
    27 Jan 2020 às 07:00

    Sim claro, o consumidor vai procurar outra alternativa, só se for andar de bicicleta, só existem essas opções de combustíveis, se não houver um controle mais rígido nisso tamo lascado kkkk.

  • San
    26 Jan 2020 às 01:14

    Oque a gente mais vê inaugurando em Cuiabá e Região? Posto de combustível e farmácia...um do lado do outro...pq sera? ... Tá dando lucro demais Alguém já viu esses dois setores em crise?

  • Povo de Matogrosso
    25 Jan 2020 às 23:26

    2,5 % de aumento? Nós queremos diminuição dos impostos que são os maiores do mundo governador. Os materiais de construção, remédios e vários outros produtos tiveram aumentos muito acima disso. Quer enganar quem governador? O aumento e visível para qualquer um. Chega de mentiras.

  • Antonio dert
    25 Jan 2020 às 18:54

    Essa matéria diz muito sobre pq se demonizar os empresario S brasileiros.. ficam ai se fazendo de vítima, mas aproveitaram a oportunidade e enfiaram a faça no consumidor

  • Mário Márcio da Costa e silva
    25 Jan 2020 às 17:10

    Não queremos 1 centavo de aumento,onde está o Procon?Gisela Simona cadê você?É fácil falar que deveria ser 2,97 e não 3,2 e ai? Tome uma atitude,chega de justificar esta situação, o cidadão quer ação .Estamos pagando,os donos de postos faturando, o governo faturando e o povão bancando.Galo,desça do puleiro, tome uma atitude.

  • Douglas
    25 Jan 2020 às 16:55

    Engraçado que tem postos de combustíveis em Tangará da Serra cobrando a média de R$ 2,98 enquanto em Cuiabá não se encontra etanol por menos de R$ 3,17. Claramente é um cartel. E o trouxa somos nós consumidores.

  • JORGE LUIZ
    25 Jan 2020 às 14:14

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Alan
    25 Jan 2020 às 13:02

    Sou empresario, esse Mauro é uma figura, subiu os impostos la em cima desde o papel higienico que vc usar ate a cerveja. Cara os medicamentos subiram 17% e ele canta de galo que nao subiu nada. Politico quem acredita é cego ou ladrao.

  • joaoderondonopolis
    25 Jan 2020 às 12:42

    Governo fala que após o aumento de icms o etanol deveria custar R$ 2,97 e este mesmo governo não faz nada? Não voto num homem deste mais nunca e nem quem ele indicar. Governo de um mandato só.

  • alexandre
    25 Jan 2020 às 12:40

    O governo ativando o gatilho inflacionário e redução do poder de compra da população, aumento de impostos..

Sitevip Internet