Olhar Direto

Quinta-feira, 02 de abril de 2020

Notícias / Política MT

Governador minimiza vaias em evento com Bolsonaro: não vim governar para abastados

Da Redação - Érika Oliveira

18 Fev 2020 - 16:52

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Governador minimiza vaias em evento com Bolsonaro: não vim governar para abastados
O governador Mauro Mendes (DEM) comentou nesta terça-feira (18) as vaias que recebeu no ultimo final de semana, durante a entrega da pavimentação da BR-163, evento que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Para o democrata, os críticos – que segundo ele são uma minoria de “privilegiados” - estão insatisfeitos com as medidas que sua administração vem adotando para resolver a crise de caixa do Governo.

Leia mais:
Mauro cobra de Bolsonaro Ferrogrão e solução para asfaltamento em reserva indígena

“Eu prefiro ser vaiado por uma minoria e aplaudido pela maioria. Sempre vão ter dez pessoas insatisfeitas com o Governo, porque vão ter que pagar impostos. O sonegador que vai ter que pagar imposto vai ta sempre dando desculpinha, ele não vai reconhecer publicamente que é sonegador, ele vai dizer que o Governo é mal, que a fiscalização é dura, que o secretário de Fazenda é isso, que o governador é aquilo outro... Eu vim para governar para a maioria, não para privilegiados, não para os abastados”, disse Mendes.

Em seu primeiro ano de gestão, Mauro Mendes encaminhou para a Assembleia Legislativa uma série de medidas que tinham como objetivo aumentar a arrecadação do Estado. Entre elas, cabe destacar o “pacotão” que alterou a Lei de Responsabilidade Fiscal, o MT Prev, a RGA e o Fethab, além da minirreforma tributária.

O pacote de medidas, que ficou conhecido como “pacote de maldades”, tratou da reformulação do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) especifica para o Estado e congelou o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) e outras progressões de carreira do funcionalismo. As medidas levaram centenas de pessoas às galerias do Legislativo e foram aprovadas sob protestos.

No caso do Fethab, ficou definido que os recursos oriundos das contribuições estabelecidas em lei serão destinados a investimentos pelo Governo do Estado, sendo 30% voltados a execução de obras públicas de infraestrutura de transporte, incluindo manutenção, conservação, melhoramento e segurança. Outros 10% para capitalizar a MT PAR e investir em projetos de interesse do Estado de Mato Grosso. E outros 60% serão destinados à aplicação pelo Tesouro Estadual, visando ações nas áreas de segurança pública, saúde, educação e assistência social.

Bastante polêmica, a minirreforma tributária acoplada ao texto do PLC 53/2019 estabeleceu novas alíquotas de contribuição do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para alguns setores. Até aqui, esta deverá ser a medida de maior impacto no orçamento do Estado.

Alguns setores ainda buscam junto à Assembleia Legislativa uma reformulação no texto da minirreforma. Na semana passada, por exemplo, empresários buscaram a AL e, pressionado, o parlamento montou uma comissão que irá mediar a questão junto à Secretaria de Fazenda (SEFAZ). 

22 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ivandro Ulmerindo Vargas
    19 Fev 2020 às 09:47

    Desde que esse porcaria entrou só aumentou os impostos e atrapalhou a vida de quem trabalha.

  • Davi
    19 Fev 2020 às 09:15

    Cara de peroba esse governador de um mandato. Só sabe defender renúncias fiscais para os barões do agronegócio e para a indústria, inclusive as suas.

  • D.O.A
    19 Fev 2020 às 08:46

    segundo reportagem suas empresas devem o total de 55 milhoes ao governo federal em impostos, vai jogar elas na divida ativa da uniao tambem??

  • pedalada
    19 Fev 2020 às 07:39

    Até parece que não governa para abastados, querendo ganhar mídia.

  • Dias
    19 Fev 2020 às 06:53

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Tiago
    19 Fev 2020 às 05:57

    Esse governador se complica cada vez mais!

  • Marsofo
    19 Fev 2020 às 04:15

    Tem fundamento que esse governador que se diz arauto da honestidade deve mais de 50 milhões aos cofres públicos?

  • joao marcos
    18 Fev 2020 às 23:31

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Muhammad Ali
    18 Fev 2020 às 22:56

    Não veio para governar para abastados, muito menos para os humildes e oprimidos.

  • Luiza Gomes
    18 Fev 2020 às 22:12

    Consciência limpa q não votei nesse mentiroso! Kkkkk quem mandaram votar

Sitevip Internet