Olhar Direto

Segunda-feira, 10 de maio de 2021

Notícias | Cidades

País fechado

Isolados no Peru por coronavírus, cuiabanos relatam desespero para voltar para casa

Foto: Arquivo Pessoal

Isolados no Peru por coronavírus, cuiabanos relatam desespero para voltar para casa
Um grupo formado por 70 brasileiros, entre eles três mato-grossenses, está impedido de sair do Peru devido a pandemia do coronavírus. Eles estão a passeio na cidade de Cusco e, devido ao total fechamento do país vizinho, os turistas estão apavorados sem saber como e quando vão voltar para casa.

Leia mais:
Resultado de contraprova de paciente confirmado com COVID-19 em Cuiabá só deverá sair em 7 dias

Juliana Petinelli Coutinho, Juliano Petinelli Coutinho e Fabrício Petinelli Coutinho são cuiabanos, mas apenas Juliana reside na capital. Junto deles, o restante do grupo está isolado no país vizinho sem ter notícia de quando vão poder voltar para casa.

O presidente peruano, Martín Vizcarra, decretou na noite de domingo (15) estado de emergência nacional, o que inclui o fechamento total da fronteira e o isolamento obrigatório por duas semanas.

Aeroportos estão fechados e rodoviárias também. Escolas e instituições foram outras a 'trancar' as portas. Apenas mercados, farmácias e hospitais estão funcionando. As ruas estão vazias e shoppings estão contando com força do exército Nacional para evitar a circulação de pedestres.

A gerente comercial Juliana Countinho, conversou com a reportagem do Olhar Direto e relatou o caos que o grupo de brasileiros passa no país vizinho. 

"Nos estamos em Cusco. Aqui funcionam apenas hospitais, supermercados e farmacias. E as pessoas só podem sair de suas casas para esse motivo.  Os aeroportos estão fechados e os voos cancelados. Infelizmente não conseguimos antecipar nosso voo para Lima e tentar embarcar para o Brasil", disse. 

As autoridades sanitárias do país sul-americano notificaram o primeiro caso de coronavírus positivo em 6 de março. Nove dias depois foram relatados 71, sendo 58 em Lima. 

O Peru registra uma das maiores cifras de contágio entre os países sul-americanos e asiáticos, informou o médico e pesquisador Paul Pachas ao Jornal El Mundo.

O Governo peruano determinou que podem circular livremente apenas as pessoas ligadas a atendimentos e acesso a bens essenciais, e disse que as cadeias de produção e abastecimento de mantimentos e energia estão garantidos. 

Vizcarra esclareceu que, embora o transporte internacional aéreo, marítimo e terrestre de passageiros esteja suspenso, mantém-se o de mercadorias e cargas.

A cuiabano Juliana Coutinho ainda relatou que o grupo está sem saber o que fazer para a voltar ao Brasil. Eles queriam apenas pegar um voo para Lima, capital do país,  e de lá vir para Cuiabá, nem que fosse de ônibus. 

"Hoje fomos ao shopping procurar um restaurante estava tudo fechado com caminhão do exército na porta. Bem assustador", relatou a gerente. 

Os cuiabanos que estão no país vizinho ainda relataram que aguardam algum tipo de posicionamento da Embaixada do Brasil no Peru. Por enquanto, eles garantiram apenas alimentos e esperam retornar ao Brasil até o dia 19 deste mês. 

"Locamos um Airbnb e fizemos compras. Na esperança que a embaixada consiga nos ajudar. Até agora nada concreto! No final da tarde tivemos um retorno deles informando que o cônsul estava pessoalmente empenhado no nosso caso", contou. 

Segundo o Palácio Itamaraty, na última atualização da tarde desta segunda, atualmente há 3.770 turistas do Brasil em território peruano.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet