Olhar Direto

Segunda-feira, 01 de junho de 2020

Notícias / Política MT

Após repercussão negativa, vereadores prometem doar salários e VI para combater coronavírus

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

23 Mar 2020 - 08:39

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Após repercussão negativa, vereadores prometem doar salários e VI para combater coronavírus
Após enorme repercussão negativa da antecipação do próprio salário, como medida de prevenção a pandemia do coronavírus, assunto divulgado pelo Olhar Direto na semana passada e que chegou a mídia nacional neste domingo (22), alguns vereadores de Cuiabá se mostraram constrangidos com a determinação da mesa diretora e anunciaram, mesmo que tardiamente, que vão contribuir financeiramente com os seus vencimentos e verbas indenizatórias para ajudar a população durante este período de crise.
 
Leia mais
Com atividades suspensas, vereadores antecipam pagamento de próprio salário

 
O vereador Diego Guimarães (Progressistas), por exemplo, declarou em suas redes sociais que a casa de leis mais uma vez está passando vergonha nacional e se comprometeu a doar todo seu salário de parlamentar, cerca de R$ 15 mil, enquanto durar a crise do coronavírus.
 
Ele também desafiou a classe política e integrantes do alto escalão do Poder Judiciário a tomarem a mesma iniciativa para ajudar a população.
 
"Desafio vereadores, prefeitos, deputados estaduais, deputados federais, senadores, governadores, presidente, juízes, promotores, desembargadores, ministros e outros servidores do alto escalão fazerem o mesmo", disse.
 
Já o vereador Felipe Wellaton (PV) afirmou que é contra a antecipação dos salários e garantiu que irá abrir mão de sua verba indenizatória, no valor de R$ 18 mil e que irá propor a redução salarial enquanto houver o combate ao coronavírus.

No início do mês, antes de o Estado anunciar a quarentena, o vereador Renivaldo nascimento (PSDB) já havia comunicado que iria doar parte de sua verba indenizatória para idosos, durante o período de pandemia. Acontece que gastar o recurso com assistencialismo ou em outros fins que não seja o trabalho parlamentar pode ser considerado crime.

Na semana passada, a Câmara Municipal, que paralisou as atividades por conta da pandemia do coronavírus, resolveu como 'medida preventiva', antecipar os salários dos 25 vereadores, assim como dos 88 servidores efetivos e dos quase 500 servidores comissionados.
 
A determinação acabou sendo bastante criticada pela população cuiabana que entendeu que em um momento de crise tanto na saúde, quanto financeira, os parlamentares deveriam ser os primeiros a darem o exemplo no gasto responsável do dinheiro público ao invés de pensarem apenas no próprio bolso.
 
Neste domingo (22), o economista Ricardo Amorim que apresenta o programa Manhattan Conection, no canal pago GloboNews, criticou duramente a decisão do legislativo cuiabano em suas redes sociais.
 
Na publicação ele repudiou a atitude e propôs ao eleitor que não reeleja nenhum político na eleição do mês de outubro.

34 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Jacira Cpa
    23 Mar 2020 às 16:30

    Pedro Mota, me desculpe. Vc deveria estudar mais. Foi enganado por um sistema viciado ,que manipulou justiça para tirar Lula das eleições. Com Lula ,os pobres ganhava mais. Estudavam em universidade. Compravam carro. ISSO, lógico, incomodou a elite latina brasileira *não existem brasileiros caucasianos). Parabéns Ana Clara. Ainda têm vida inteligente no Brasil.

  • Ludovico Areao
    23 Mar 2020 às 16:24

    Tenho nojo de todos esses vereadores.

  • patriota Brasil
    23 Mar 2020 às 16:00

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • VARZEAGRANDENSE
    23 Mar 2020 às 15:54

    PEDRO MOTA TIRANDO NÓS , PARECE QUE SÓ TEM PETISTA E FUNCIONÁRIO PÚBLICO AQUI VÃO TRABALHAR CAMBADA DE PARASITAS !

  • Pagadora de Impostos
    23 Mar 2020 às 15:35

    AGORA VEM COM ESSA DE DAR ESMOLAS AO TRABALHADOR , O POVO TRABALHA PAGA ALTÍSSIMOS IMPOSTOS AGUENTA TUDO CALADO ATÉ QUANDO ?

  • Pedro Mota
    23 Mar 2020 às 14:55

    Ana Clara, desculpe me por ser contra o seu raciocínio, quando afirma "que o Lula foi o único presidente que olhou para os pobres". Olha, sem política, o Lula foi o único presidente deste país, que as claras, furtou a nação e permitiu furtá-la descaradamente. Observe que seus aliados mais próximos, em sua maioria absoluta, foram processados e condenados por corrupção. Acredito que se esse grupo de políticos ficasse mais um período no poder não iria sobrar dinheiro, nem mesmo para os pobres, conforme você afirmara. Na oportunidade, gostaria de fazer uma observação, ou seja, quem repassa o duodécimo aos vereadores é o Legislativo Municipal, não o executivo como afirmara anteriormente.

  • Leo
    23 Mar 2020 às 14:51

    O que os Sr.s fizeram foi de uma covarida absurda! Nao ha como mensurar a falta de compromisso com a sociedade.

  • MR
    23 Mar 2020 às 14:17

    Doar todo salário durante todo mês de quarentena ?? Cê tá achando que o povo é trouxa, com qual $$$ vc vai arcar com seus custos familiares ????? Pura demagogia !!!! Vcs não deveriam definir essas regras de salário, do mesmo jeito que um réu não pode ser juiz de sua própria causa.

  • Daniel
    23 Mar 2020 às 12:42

    Na verdade, deveriam devolver 100% da verba indenizatória, pois ela só pode ser utilizada para reembolso durante o trabalho... Se não saem de casa, nem gastam com combustível, audiências etc., devem devolver integralmente. Para os reclamões do MPE, este ajuizou ações contra as Verbas Indenizatórias, contra nepotismo, contra o excesso de vereadores e de cargos comissionados, e contra o último aumento salarial. Só fazer pesquisa neste site mesmo que vão localizar. Infelizmente algumas previsões legais (mesmo imorais) existem e o Judiciário entende ora que é intromissão indevida, ora que é legal, e alguns poucos casos defere os pedidos. Único jeito de acabar com isso é população fazer projeto de lei de iniciativa popular, com mais de 10% do eleitorado, dando um recado que não aceita mais isso. Se não aprovar, trocar todo o legislativo nas eleições, ao invés de manter o voto em troca de favores (cargo, cesta, imóvel, isenção fiscal etc.)

  • José
    23 Mar 2020 às 12:37

    Política é a maior organização criminosa do país CV PCC passam batidos perto dos políticos?

Sitevip Internet