Olhar Direto

Segunda-feira, 30 de março de 2020

Notícias / Política MT

Estado vai doar cestas básicas e criar programa para atender profissionais que ficarem sem salário durante pandemia

Da Redação - Érika Oliveira

26 Mar 2020 - 08:29

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Estado vai doar cestas básicas e criar programa para atender profissionais que ficarem sem salário durante pandemia
Confirmada a vinda de recursos federais para ajudar o Estado durante a crise do coronavírus, o governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que nos próximas dias irá anunciar mais medidas para o enfrentamento da doença em Mato Grosso. Entre as ações, o Governo prepara um programa para atender profissionais que tiverem seus salários comprometidos durante o período de quarentena. Além disso, mais de 50 mil cesas básicas já estão sendo preparadas e serão distribuídas pela assistência social. 

Leia mais: 
Bolsonaro promete investimentos de R$ 85,5 bilhões para socorrer estados e municípios 

“É uma situação extremamente difícil. Eu determinei a compra de 50 mil cestas básicas para serem distribuídas na nossa rede de assistência social. Estamos aguardando a ajuda do Governo Federal para ampliar essa capacidade de dar essa assistência. Essa semana ainda devemos anunciar novos programas que contemplem não só as famílias carentes, mas as categorias de pessoas que viviam trabalhando por diária, por exemplo. Por que como é que essas pessoas vão comer? E é por isso que recomendamos aos prefeitos um pouco de cautela, para não criar uma grande paralisia econômica e acabar morrendo mais gente de fome do que pelo coronavírus”, disse o governador, nesta terça-feira (23). 

Por força de decretos do Estado a das prefeituras, várias cidades de Mato Grosso estão com parte do comércio paralisado. Bares e lojas de conveniência estão proibidos de abrirem as portas e restaurante operam apenas pelo sistema de delivery ou retirada no local.  

A equipe econômica do Governo Federal deverá encaminhar para estados e municípios um socorro, na ordem de R$ 85 bilhões. Para a área de assistência social, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) citou investimentos de R$ 2 bilhões. 

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • FABIANA
    26 Mar 2020 às 20:16

    SÓ ESPERO QUE ISSO SEJA SERIO. ESPERO QUE NÃO HAJA CAIXA DOIS, ESPERO QUE NÃO TENHA DINHEIRO NO PALETO, ESPERO QUE TUDO SEJA REALMENTE EMPREGADO PRA AJUDAR QUEM REALMENTE PRECIS

  • Revoltado
    26 Mar 2020 às 14:32

    Beleza, vou levar minha cesta básica, na energisa e pagar a minha conta.

  • lucilene Alves de souza
    26 Mar 2020 às 14:12

    moro de aluguel .trabalho vendendo espetinho no canaa 2 estou parada devido a ipedemia como posso me cadastrar pra ganha ajuda do governo meu telefone 984677483

  • lucilene Alves de souza
    26 Mar 2020 às 14:12

    moro de aluguel .trabalho vendendo espetinho no canaa 2 estou parada devido a ipedemia como posso me cadastrar pra ganha ajuda do governo meu telefone 984677483

  • Juca
    26 Mar 2020 às 09:54

    E ai servidor publico que pede pra todos ficarem em casa, serão solidários agora, ou vão continuar a pensar no próprio umbigo?*********A redução de 30% no salário de servidores federais, estaduais e municipais seria suficiente para bancar um programa de renda mínima para 55 milhões de brasileiros. É o que conclui estudo do economista Matheus Garcia, associado do Movimento Livres, que tem entre os integrantes economistas de viés liberal como a ex-diretora do BNDES Elena Landau e o ex-presidente do Banco Central Pérsio Arida. A ideia é sugerir um programa que ampare a população que vai ficar sem renda com a pandemia do coronavírus, mas que tenha o menor impacto fiscal possível. "Nossa ideia é mostrar que dá para fazer um programa de renda básica, mas alguém tem que pagar. Viemos de uma situação fiscal difícil, a ideia é mostrar alternativas para o país não sair tão fragilizado dessa crise", afirmou.

  • Juca
    26 Mar 2020 às 09:50

    Governador, sempre do meu trabalho, não de cestas. Respeite os trabalhadores desse estado, que produzem e pagam altos impostos!

  • Rocha
    26 Mar 2020 às 09:28

    Cesta básica vc pode doar para senhora sua mãe !!!

  • Mulher ma
    26 Mar 2020 às 09:24

    Hipocrita. Xinga o presidente e pede dinheiro Se fosse comigo batia a porta na cara de vcs governadores. E eu mesmo mandava o exercito auxiliar. Pois nao confio em judas eleitoreiros

  • Chico Bento
    26 Mar 2020 às 08:49

    50 mil cestas não dá nem para atender a metade de Cuiabá! Como atender o estado?

Sitevip Internet