Olhar Direto

Domingo, 20 de junho de 2021

Notícias | Política MT

SEIS CASOS CONFIRMADOS

Ministro da Saúde contraria Bolsonaro: se esse vírus não gostasse de calor, Cuiabá estaria bem

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Ministro da Saúde contraria Bolsonaro: se esse vírus não gostasse de calor, Cuiabá estaria bem
Cuiabá segue no topo da lista de cidades com casos confirmados de coronavírus em Mato Grosso, com 6 pacientes infectados até o momento. A Capital do Estado foi citada pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, nesta quarta-feira (25) ao se despedir de jornalistas, após coletiva de imprensa. A fala do ministro acabou rebatendo um dos argumentos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), de que a Covid-19 não avança em locais de clima tropical. 

Leia mais: 
Crescimento de casos confirmados do Covid-19 no Brasil entra em queda; MT registra aumento 

“Sempre nas minhas orações, esperando uma vacina, esperando um medicamento, esperando o sol tropical. Eu fico cuidando muito dos casos lá em Cuiabá, porque se esse vírus não gostar de sol, lá em Cuiabá não vai ter casos”, brincou o ministro. 

“Mato Grosso demorou um tempão, eu fiquei achando que era o calor de Cuiabá. A minha eterna capital, quase fui para lá ficar com meus amigos cuiabanos. Mas, infelizmente, o calor de Cuiabá ainda está ali e o vírus também, já teve casos confirmados”, continuou Mandetta. 

Nesta quarta-feira (25), o secretário de Saúde do Estado, Gilberto Figueiredo atualizou os dados da Covid-19 em Mato Grosso. Dos nove casos confirmados até o momento, seis estão na Capital. Cuiabá monitora, ainda, 47 casos suspeitos da doença.  

Comentário de Bolsonaro 

Nesta terça-feira, um pronunciamento de Jair Bolsonaro (sem partido) em rede nacional de televisão provocou reações negativas entre as principais lideranças políticas do País. Em seu discurso, o presidente criticou medidas de isolamento e quarentena tomadas por governos estaduais no combate ao coronavírus. 

Bolsonaro culpou os meios de comunicação por espalharem, segundo ele, uma sensação de "pavor". E disse que, se contrair o vírus, não pegará mais do que uma "gripezinha". Além disso, justificou que o número de mortes na Itália tem relação com o clima do país. “Grande parte dos meios de comunicação foram na contramão. Espalharam exatamente a sensação de pavor, tendo como carro-chefe o anúncio do grande número de vítimas na Itália, um país com grande número de idosos e com o clima totalmente diferente do nosso”. 

 

 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet