Olhar Direto

Notícias / Cidades

Empresário se nega a fechar loja e funcionária é encaminhada para Delegacia

Da Redação – Fabiana Mendes

27 Mar 2020 - 14:03

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Empresário se nega a fechar loja e funcionária é encaminhada para Delegacia
A funcionária de uma loja de roupas localizada no bairro CPA I foi encaminhada para a Central de Flagrantes no bairro Verdão, em Cuiabá, na tarde da última quinta-feira (26), por estar com o estabelecimento aberto. 

Leia mais:
Vigilância Sanitária notifica 31 hospitais e proíbe divulgação de casos não oficiais de coronavírus

O episódio ocorreu quando servidores da Secretaria de Ordem Pública fiscalizavam os comércios na região. Eles teriam informado a funcionária que a loja deveria estar fechada por conta do decreto da Prefeitura de Cuiabá de prevenção a proliferação ao novo coronavírus.

Na ocasião, a funcionária teria entrado em contato com o empregador, que teria se negado fechar a loja e alegou que iria permanecer aberto por conta do decreto estadual. Com isso, a trabalhadora acabou encaminhada para a Central de Flagrantes. O proprietário esteve Delegacia e um boletim de ocorrência foi registrado.

29 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Dudu
    28 Mar 2020 às 14:13

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Luiz
    28 Mar 2020 às 13:36

    Como sempre sobra pro pobre coitado, não foi o patrão, ele no bem bom na segurança conforte, quem foi desobediente íntima ele, cabe uma ação junto mpt, por danos morais cara cidadã

  • Exorcista
    28 Mar 2020 às 12:06

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Sandra Pedra 90
    28 Mar 2020 às 11:53

    Borracha nos empresários egoístas.

  • Neto
    28 Mar 2020 às 11:52

    Absurdo é parar um País de 210 milhões de habitantes por um vírus que matou 92 pessoas . Divide Ae 210 milhões por 92 Ae você vai ver o tamanho da hipocrisia que acontece no Brasil. Hipocritas!

  • Regi
    28 Mar 2020 às 10:14

    A corda sempre sobra para os mais fracos. Se a funcionaria for contáminada , no outro dia tem outra no lugar. Quero ver quem vai a conta ( vida) no final. Que deus nos proteja.

  • Juliao Petruquio
    28 Mar 2020 às 10:00

    Os médicos já conseguiram convencer metade da população a ficar em casa se resguardando. Só falta is veterinários convencer outra parte da população a não sair de casa.

  • Joaldo Braga
    28 Mar 2020 às 09:46

    Empregadores acionem a prefeitura na justiça para q paguem os seus funcionários referente este período fechado , artigo 486 da CLT, quando chover processos quem sabe a prefeitura acorda , quando não ter dinheiro para pagar o funcionalismo público ae quero ver o q o prefeito vai fazer

  • .
    28 Mar 2020 às 09:17

    Essa coitada cumpria ordens, enquanto o patrão fazia quarentena em casa. Essa crise só mostra a dimensão da hipocrisia. "A vida alheia vale menos do que a minha", perfeito jargão dessas zelites de países de terceiro mundo.

  • Erick
    28 Mar 2020 às 06:39

    O engraçado é ver que o dono da empresa não tava lá né , devia tá em casa se resguardando e colocando em 1 lugar a.vida do funcionário dele, pessoal quer voltar a trabalha voltem mas.voltem com uma condição.que seus patrões estejam junto ao abrir e fechar as lojas e que estejam juntos lado lado com vocês trabalhadores.