Olhar Direto

Sexta-feira, 10 de julho de 2020

Notícias / Política MT

Assembleia propõe TAC ou criação de “voucher” para socorrer interinos da Educação

Da Redação - Érika Oliveira

07 Abr 2020 - 11:01

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Assembleia propõe TAC ou criação de “voucher” para socorrer interinos da Educação
Um grupo de deputados estaduais se reuniu com dirigentes do Sindicado dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep) nesta segunda-feira (06) para discutir medidas que amparem os profissionais da Educação cujos contratos foram encerrados pelo Governo do Estado em março. Entre as alternativas elencadas estão a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) ou a criação de um “voucher” para que os 6 mil trabalhadores impactados continuem recebendo seus salários, que neste caso seriam descontados posteriormente. 

Leia mais: 
Governador lembra greve e diz que Sintep é culpado por professores interinos não receberem 

"Essa questão dos professores contratados é complicada porque a secretária de Educação [Marioneide Kliemaschewsk] diz que não pode assinar para não incorrer em improbidade. Então, vamos fazer uma discussão junto com Ministério Público e o Tribunal de Contas para ver se conseguimos, por meio de TAC [Termo de Ajustamento e Conduta], para apresentar ao Governo e fazer os contratos. Essa proposta ao meu ver é a mais viável porque tem que cumprir o ano letivo. E, caso não consiga isso, outra sugestão seria a criação de um voucher-professor, uma ajuda também de muita valia", explicou o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM). 

A celeuma se deu porque o calendário letivo que deveria ter começado no último dia 23 de março foi adiado, inicialmente, para 5 de abril devido à expansão dos casos de coronavírus em Mato Grosso. No dia 31 de março, com o avanço da doença no Estado, o governador Mauro Mendes (DEM) editou um novo decreto que estendeu o retorno das atividades escolares para maio. 

A Secretaria de Educação sustenta que não possui amparo legal para realizar contratação temporária neste momento. Isso porque, a atribuição de aulas dos efetivos para o 2º calendário letivo de 2020 ainda não foi concluída e não se sabe quantos profissionais ainda seriam contratados temporariamente - uma parte já foi lotada. 

Para o presidente do Sintep, Valdeir Pereira, o auxílio temporário já daria fôlego à categoria. "Pode ser de seis a oito mil contratos temporários que não foram efetivados por parte do Estado. Muitos técnicos também são contratados dessa forma. Mas, qualquer recurso e organização nesse momento de pandemia é significativo porque essas pessoas estão desempregadas e não serão assistidas no auxílio de R$ 600 do Governo Federal. E, nesse momento, não ter nenhum rendimento tem um impacto na sobrevivência das pessoas. Por isso, estamos buscando o diálogo por meio da Assembleia para discutir com Ministério Público e Tribunal de Contas para procurar uma solução". 

 

16 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Lucas
    07 Abr 2020 às 16:09

    Meu aluguel tá atrasado, minhas contas acumuladas... Minha família depende de mim para comer, se o governador não nos contratar logo o que vou fazer?

  • Dona Maria
    07 Abr 2020 às 16:07

    O governo tem que dá um jeito logo, tem um professor que ta me devendo aluguel desde janeiro, vou acionar a justiça

  • Maria Zerlândia Calaça Ramos Eu
    07 Abr 2020 às 15:23

    Boa tarde!! A situação é bem séria e merece ser tratada da mesma forma... na nossa escola, eu fico preocupada com o pessoal de apoio, os demais tem outro vínculo ou tem cônjuge que tem outro serviço que , mesmo diante das dificuldades, consegue passar até as coisas se ajeitarem... mas às meninas da limpeza e uma das merendeiras não tem outro serviço uma delas tem 4 filhos que cria sozinha.. a servidora da nutrição cuida dos netos praticamente sozinha.. Poderia ser pensado em um auxílio para esses servidores que não tem outro meio...

  • RAFAEL CESAR
    07 Abr 2020 às 14:48

    é so manter os contratos simples assim, isso ai é uma forma de economizar o fumo vai entrar com força mais cedo ou mais tarde, dinheiro vai faltar logo logo....

  • VARZEAGRANDENSE
    07 Abr 2020 às 14:41

    TEM MUITA PROFESSORA QUE DEVE ALUGUEL A MAIS DE ANO E FICA SÓ ARRUMANDO DESCULPAS JÁ NEM ATENDE MAIS , LAMENTÁVEL VOU TER QUE COBRAR PELAS REDES SOCIAIS QUALQUER HORA , TEM QUE ARRUMAR A CASA MAS NÃO O RECEBO

  • sonia maria
    07 Abr 2020 às 14:35

    Já que não pode contratar os interinos, porquê então o governo não chama logo todos os professores que passaram nas 3 etapas do concurso, todos os outros profissionais classificados para todas as vagas livres no estado, assim o governo ainda ficaria 3 anos sem precisar dá nenhum tipo de progressão e os salários não iria levar o estado a falência. Sem contar que cobrirão muitas vagas.

  • Jedae
    07 Abr 2020 às 14:33

    Estão gostando do comunismo? Governadores, prefeitos, puxa-sacos, militantes de esquerdas nas mídias, esquerdopatas doadores de canecos, andróginos/artistas, mandando fechar sua loja. Toque de recolher. Proibido de ir em certos lugares. Liberdade limitada. Comida Limitada. Medo provocado pela mídia. Sua empresa não é exatamente sua abre e fecha quando eles querem. Não pode visitar familiares. Se tem opinião contrário poderá ir preso. Se for ao mar irá preso. Soltam criminosos e prendem inocentes. Aproveitem bem a amostra grátis e lutem para que não se torne dura realidade!

  • Pedro luis
    07 Abr 2020 às 14:30

    A situação é muito simples: tire o valor do duodécimo da assembleia e repasse ao sintep. Simples assim...

  • ILDO PEREIRA
    07 Abr 2020 às 14:21

    Deputado nao e hora de fazer media com ninguem, tem muita gente precisando nao so a turma da educaçao, tem toda a informalidade que esta precisando, os pequenos negocios que ate agora nao teve ajuda de nenhum orgao governamental.

  • CREUZA GUIA DE MORAES
    07 Abr 2020 às 13:35

    O governo disse se assinar o contrato dos professores seria rasgar dinheiro público e a verbas indenizatórias o quê séria? Não é rasgar dinheiropúblico também!!

Sitevip Internet