Olhar Direto

Quarta-feira, 14 de abril de 2021

Notícias / Política BR

DEVIDO A PANDEMIA

Proposta de adiamento das eleições municipais passará por colegiado formado por senadores e deputados

Da Redação - Max Aguiar

21 Mai 2020 - 16:34

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Proposta de adiamento das eleições municipais passará por colegiado formado por senadores e deputados
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), pretende montar uma comissão com senadores e deputados federais para discutir uma proposta de adiamento das eleições municipais, prevista para outubro deste ano. O motivo da troca de data do dia do voto é devido a pandemia da Covid-19. 

Leia mais:
Mendes cita contratação de TV pela Prefeitura de Cuiabá e volta a alfinetar Emanuel

Depois de montada a comissão, o grupo deve se reunir com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e só depois votar na Câmara e no Senado a proposta. 

"Vamos constituir um grupo de trabalho ou uma comissão especial formada por deputados e senadores. A participação do TSE, naturalmente, é fundamental, já que há esse sentimento de construir uma alternativa, uma saída diante da pandemia que nós estamos vivendo", explicou Davi.

Ele informou ter se reunido com o futuro presidente do TSE, Luís Roberto Barroso; com o presidente do Supremo Tribunal Federal, José Antonio Dias Toffoli; e com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia; para discutir uma solução. A ideia, segundo Davi, foi bem recebida. Ele disse esperar uma colaboração produtiva com o TSE, com um debate sobre todas as causas e consequências de um possível adiamento.

"Será um ambiente muito produtivo, de muito debate, de muita construção. Como eu disse, isso será feito por várias mãos, esse caminho, essa saída, para que a democracia saia fortalecida do processo, mas ao mesmo tempo tomando os cuidados necessários para que possamos preservar a vida dos brasileiros", afirmou Alcolumbre. 

Recesso

O presidente do Senado também comentou, durante a sessão vespertina de terça-feira (20), o cancelamento do recesso parlamentar em julho, anunciado na segunda-feira (18). A decisão, segundo Davi, foi tomada em conjunto com as lideranças partidárias do Senado e com a Câmara, com o objetivo de contribuir ainda mais para o enfrentamento da atual crise. Para ele, seria injusto um recesso parlamentar neste momento.

"O Parlamento está unido, tem consciência das suas responsabilidades, sabe o papel que nós estamos cumprindo neste momento", disse o presidente à Agência Senado.

Ainda não há certeza sobre quando serão retomadas as sessões presenciais no Senado, já que isso depende da evolução da pandemia.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet