Olhar Direto

Notícias / Política MT

Quinze mil cápsulas de hidroxicloroquina são enviadas do Ministério da Saúde para MT

Da Redação - Max Aguiar

27 Mai 2020 - 11:00

Foto: Reprodução

Quinze mil cápsulas de hidroxicloroquina são enviadas do Ministério da Saúde para MT
A hidroxicloroquina está sendo receitado em Mato Grosso, conforme informação do secretário Gilberto Figueiredo, aos deputados estaduais nesta quarta-feira (27). O medicamento se tornou centro de uma polêmica no país nas últimas semanas, por ser amplamente incentivado pelo presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) no tratamento ao novo coronavírus mesmo sem ter eficiência comprovada por estudos científicos. 

Leia também:
Secretário estadual é contra retorno das aulas e avisa: "teremos dias mais difíceis"

A hidroxicloroquina teve um montante de 15 mil cápsulas entregues em Mato Grosso e menos de 1 mil foram receitadas pelos médicos responsáveis por tratar pacientes com sintomas do novo coronavírus. 

Segundo Gilberto, não é uma decisão política que irá fazer o médico receitar o medicamento, mas sim a situação de cada paciente. Ao total, na distribuição das cápsulas recebidas pelo Ministério da Saude, 6 mil foram destinadas aos hospitais regionais, 600 para hospitais municipais e 600 para hospitais particulares. 

No estoque da Secretaria de Saúde ainda têm 7 mil, que são usadas para suprir as necessidades dos hospitais que forem receitando o medicamento. A forma que é feita a distiribuição por paciente, Gilberto disse aos deputados que é segredo de trabalho. 

"O prontuário do paciente é algo sigiloso, que só o médico e o paciente tem acesso. Nós não interferimos em nada. O procedimento é um segredo. Sabemos que o medicamento está sendo usado, mas não podemos afirmar como e em quais", disse. 

O secretário ainda confirmou o número de pacientes que já usaram em Mato Grosso a cloroquina. "Em Mato Grosso os médicos estão receitando sim. Até então foram medicados 678 no Hospital Santa Casa, 135 no Hospital Regional de Rondonópolis, 42 em Sorriso, 34 em Alta Floresta, 34 em Cáceres e 4 no Hospital Metropolitano de Várzea Grande", concluiu o secretário. 

O medicamento Cloroquina é duramente defendido pelo presidente Jair Bolsonaro. Inclusive a saída do ex-ministro Henrique Mandetta do cargo se deu por conta que ele não indicava o medicamento como o essencial para o tratamento. 

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Kalifas
    27 Mai 2020 às 21:44

    Quem quiser se curar é só tomar o remédio do Bolsonaro. Quem precisar e não quiser é só tomar a 51 o remédio do Lula.

  • Eita
    27 Mai 2020 às 21:19

    Deixa esse remedios pros bozominions. Eu prefiro tubaina.

  • carlos daniel
    27 Mai 2020 às 16:47

    O Laboratório do Exército produziu muita cloroquina, então não pode jogar fora.

  • carlos daniel
    27 Mai 2020 às 16:46

    É porque não temos Presidente e sim um Semi-deus formado em Medicina e com alto grau de conhecimento técnico em Biomedicina, com histórico de atleta.

  • Juscelino Alves Ferreira
    27 Mai 2020 às 14:21

    Boa tarde: sou técnico em enfermagem e quero dizer que tem mais hospitais aqui em MT, até Cuiabá, prescrevendo essa medicação!

  • Dr STF
    27 Mai 2020 às 14:19

    Lembrando que não é obrigado a tomar o remédio , você da esquerda pode ficar sem tomar e agonizar depois em uma UTI , mas feliz porque não tomou o medicamento e seguiu a doutrina .

  • Sinforoso
    27 Mai 2020 às 14:14

    e para usar de supositório no gado bozonarista

  • Observo
    27 Mai 2020 às 13:41

    E a tubaina quando irão mandar?

  • carlos daniel
    27 Mai 2020 às 12:30

    Não é o vírus que mata, e a administração criminosa de medicamento sem eficácia. Podem Processar o Estado, se algum familiar morrer pelo uso desse medicamento.

Sitevip Internet