Olhar Direto

Sexta-feira, 10 de julho de 2020

Notícias / Cidades

Mais de 100 unidades de saúde não têm plano de contingência em caso de afastamento de enfermeiros

Da Redação - Fabiana Mendes

01 Jun 2020 - 17:35

Foto: PAOLO MIRANDA/AFP

Mais de 100 unidades de saúde não têm plano de contingência em caso de afastamento de enfermeiros
Fiscalização do Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) no último mês, aponta que 112 unidades de saúde não possuem plano de contingência para substituição de profissionais de enfermagem em caso de afastamento e 48 não possuíam plano de contingência institucional. Ao todo, 233 unidades de saúde foram visitadas. Em Mato Grosso, são 167 profissionais afastados por suspeita ou confirmação da doença e duas mortes registradas.

Leia mais:
UFMT disponibiliza recurso para que alunos retornem da Colômbia para o Brasil
 
Além disso, segundo o portal Observatório da Enfermagem, o Brasil contabiliza hoje 16.656 casos reportados de Covid-19 entre profissionais da enfermagem e lidera o ranking mundial de óbitos desta categoria, com  165 registros. Entre as vítimas fatais, 84,8%  são mulheres. 

Segundo informações da assessoria de imprensa, a fiscalização, realizada pelo Coren-MT entre os dias 23 de abril e 27 de maio junto a 219 unidades de saúde públicas e 14 privadas, abrangeu 45 instituições de referência para atendimento à Covid-19.  Em 34 delas, foram encontradas deficiências na capacitação das equipes de enfermagem para atendimento a casos da doença. Em 70 instituições havia problemas com a qualidade ou quantidade de máscaras N95/PFF2 e, em 58, falhas no fornecimento de máscaras cirúrgicas.

Em 36 delas não haviam sido adotadas medidas de proteção a profissionais do grupo de risco e 26 não haviam implantado métodos de limpeza e desinfecção adequados aos padrões recomendados pelas autoridades sanitárias, mas houve apenas três casos em que não foi encontrado álcool 70% disponível.  Quarenta e cinco notificações por irregularidade foram expedidas pelo Coren-MT e 10 encaminhados às secretarias municipais e estadual de saúde.

Atendimentos

Fiscais do órgão realizaram 1.066 atendimentos e 234 instituições responderam ao levantamento situacional sobre as condições de trabalho e proteção à saúde dos profissionais, que  está sendo aplicado por conselhos regionais de todo o país desde o mês de março. Neste período, o Coren-MT averiguou 82 denúncias, das quais 90% tratavam de problemas com equipamentos de proteção individual (EPI).

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Bozôlandia
    02 Jun 2020 às 03:47

    Negacionismo! Estamos á 18 dias sem ministro da saúde... Negligência mal gestão pública tanto na esfera federal, estadual é municipal...Vergonha! Todos vão pedir o seu voto lembre deles!!!

  • Sheik CPA
    01 Jun 2020 às 22:19

    E fácil quero que isso chegue no governador pra ele fazer um levantamento de quantos enfermeiros trabalham na SES ...e Upas hospitais precisando deles façam essa investigação procuram saber isso é uma vergonha eles naum fazem nada ainda ganham diária

Sitevip Internet