Olhar Direto

Segunda-feira, 06 de julho de 2020

Notícias / Política MT

Projeto de lei que dobra valor do Pró-Família é barrado pela CCJR e retirada de pauta

Da Redação - Max Aguiar

06 Jun 2020 - 15:50

Foto: Reprodução

Projeto de lei que dobra valor do Pró-Família é barrado pela CCJR e retirada de pauta
O projeto de lei que aumentaria o valor pego pelo Pró-Família de R$ 100 para R$ 200 foi rejeitado pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) nesta semana e o presidente Eduardo Botelho (DEM) pediu que a pauta fosse retirada da Mesa para ser votada dia 17 de junho, de modo que os parlamentares tenham entendimento sobre a matéria. 

Leia mais:
Governo anuncia nova prorrogação para pagamento de IPVA

Com isso, os deputados pediram que o projeto seja tratado com "carinho", tendo em vista que o momento de pandemia reforça a necessidade de ajuda às famílias que estão em extrema pobreza. Principalmente porque atualmente o governo está pagando metade do auxílio: R$ 50 por mês. 

O deputado João Batista (Pros), autor do projeto, criticou a postura do líder do governo, Deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), que é o presidente da CCJR e sugeriu o parecer contrário foi feito para atender pedido do governador Mauro Mendes, que não quer aumento de despezas ao Palácio Paiguás. 

João disse que apesar de não ser um projeto inconstitucional, pois o Pró-Família já está em atividade, o necessário nesse momento é mais ajuda do governo às pessoas de baixa renda e não um impedimento partindo da liderança. 

João ganhou uma força no discurso. O deputado Max Russi (PSB), que é o autor do programa quando era secretário de Assistência Social e Trabalho, disse que o valor de R$ 200 iria ajudar ainda mais as famílias de Mato Grosso, que atualmente estão recebendo sacolões ou apenas R$ 50. 

Batista disse que o ideal seria pagar em dinheiro. "Não é comprando sacolão que vai ajudar. É distribuindo renda para fazer a economia das cidades girar. Com certeza, será um valor que pode agregar às famílias e os comércios locais. Quando se compra sacolão, se compra de um atacado e apenas uma empresa é beneficiada", comentou João. 

Com a retirada de pauta, o projeto passará a ser reevotado dia 17 de junho. Dia 10, próxima quarta, será dia de votação da nova Mesa Diretora da AL, que cuidará da presidência no biênio 2021 - 2022. 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Walter
    06 Jun 2020 às 18:00

    Esse projeto está errado por que diz que aumentaria de 100,00 pra 200,00, mais já faz mais de ano que só pagam 50,00 desde que o tal Mauro assumiu

Sitevip Internet