Olhar Direto

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Cidades

Rondonópolis diz que vai acatar decisão judicial de ‘lockdown’, mas não emite decreto e confunde população

Da Redação - Isabela Mercuri

26 Jun 2020 - 09:23

Foto: Reprodução

Rondonópolis diz que vai acatar decisão judicial de ‘lockdown’, mas não emite decreto e confunde população
Em entrevista coletiva realizada na última quinta-feira (25), o Comitê de Gestão de Crise da Prefeitura de Rondonópolis informou que acatou a decisão judicial proferida pelo desembargador Mario Kono de Oliveira, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), na última terça-feira (23). No entanto, a Prefeitura não emitiu um novo decreto municipal. Pela decisão, a cidade entra em “lockdown” pelos próximos sete dias, a partir desta sexta-feira (26).

Leia também:
Decreto na hora do almoço confunde comerciantes de Cuiabá sobre fechamento no primeiro dia de quarentena 

Com as novas regras, devem ficar fechados espaços públicos de lazer, bares, lojas de conveniência, restaurantes, lanchonetes, pizzarias e padarias, consultórios médicos e odontológicos (com exceção de urgências), feiras livres, cultos religiosos, eventos esportivos, entre outros.
 
Durante os sete dias, os serviços de delivery  e drive thru  estarão interrompidos. Também está proibida a utilização de áreas comuns em prédios e condomínios, para eventos que impliquem em aglomeração de pessoas.
 
Alguns pontos não tratados na decisão, como a proibição de bebidas alcoólicas,  estabelecida no Decreto nº 9570/2020, permanece em vigor, assim como também a proibição da circulação de pessoas a partir das 19 horas.
 
Agora, no entanto, supermercados  e postos de combustíveis poderão abrir nos finais de semana. A fiscalização do cumprimento das medidas ficará a cargo da Polícia Militar e da Vigilância Sanitária municipal. A Prefeitura de Rondonópolis não irá fazer atendimento presencial ao público neste período, mas apenas por meio dos canais digitais.

Incerteza

Diante da falta de um novo decreto, a Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis (ACIR), emitiu uma nota informando que não há "Nenhuma posição ou ato oficial do executivo para iluminar o cenário". A associação também disse que "os mais conservadores" irão seguir as restrições da decisão judicial, enquanto os mais "ousados e dispostos" podem optar entre o decreto anterior, emitido pela Prefeitura, e a decisão judicial de agora. Veja:



*O Olhar Direto tentou contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem. 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet