Olhar Direto

Sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Notícias / Cidades

Cuiabano viaja em férias e fica 'preso' por cinco meses na Espanha por conta do coronavírus

Da Redação - Fabiana Mendes

09 Jul 2020 - 15:26

Foto: Reprodução

Cuiabano viaja em férias e fica 'preso' por cinco meses na Espanha por conta do coronavírus
Férias de 20 dias em Palma, cidade turística e capital da ilha de Mallorca, na Espanha. Foi isso que o cuiabano Wilson Felipe, de 26 anos, planejou. No entanto, acabou passando cinco meses no local por conta da pandemia do coronavírus, pois as fronteiras foram fechadas.

Leia mais:
Com explosão de casos, Mato Grosso é o Estado que menos fez teste para o coronavírus

No dia 16 de fevereiro o estudante de Direito chegou à Espanha para visitar a mãe. Naquela época, não haviam casos confirmados da doença no Brasil e o vírus ainda começava a se espalhar pelo mundo. Alguns dias depois, o governo da Espanha anunciou o fechamento das fronteiras terrestres para reforçar o combate a doença.

“Ficamos quase 60 dias em confinamento e saindo apenas para ir ao mercado. A partir do dia 02/05 que começou o desconfinamento. Com tudo isso, a minha passagem foi cancelada por três vezes”, lembrou o jovem em entrevista ao Olhar Direto.

“Uma viagem programada por 20 dias, mas que fiquei quase 5 meses em Palma Mallorca sem poder voltar a casa”, acrescenta. “Esses 60 dias foram muito complicados, pois eu tinha minha vida profissional e faculdade funcionando no Brasil, mas eu não podia participar de nada, fiquei muito preocupado e ansiedade batia todos os dias”, afirma. 

Para cuidar da saúde mental, ele procurava algumas atividades para se ocupar. “Tinha que ficar fazendo coisas aleatoriamente para ver se passava tempo e até mesmo me acalmar. Fiz alguns cursos que ofereciam online e gratuito”, pontuou.

​Recentemente, houve a abertura do espaço Schengen, que permite a livre circulação de pessoas dentro dos países signatários. Com passagens confirmadas pelas empresas SWISS e a Latam, Wilson conseguiu voltar ao Brasil.

O estudante desembarcou em Cuiabá no último dia 7. “Ao chegar no Brasil recebi a orientações sanitárias de que eu devo ficar 14 dias em casa de quarentena. E caso apresente alguns sintomas da Covid-19, imediatamente deveria ligar a emergência e informar que estava na Europa". 

Ele também comentou sobre o colapso no sistema de saúde. "Não esperava que proporção seria enorme como está, pois no início acompanhei que o prefeito havia fechado Cuiabá e não tinha quantidade de casos como hoje. Acredito que tivesse segurado pouco mais não haveria essa quantidade”, diz.

"Hoje sinto mais aliviado em saber que estou em casa, não tem nada melhor que estar na sua terra natal", finalizou. 

Conforme Governo Federal, mais de 21 mil brasileiros que estavam retidos no exterior tiveram que ser repatriados para o Brasil desde o começo da pandemia. Outros, porém, vieram por meios próprios, como aconteceu com Wilson. 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet